domingo, 9 de março de 2014

PERSONAGENS DE QUEM ANTES EU NÃO GOSTAVA, MAS HOJE GOSTO


Voltei, pessoal.
E aí?
Todo mundo por dentro de tudo o que vem acontecendo?
Caras, chega a ser desconfortável eu ter que escrever certos desabafos no meu blog planejado para assuntos exclusivamente nerds, mas às vezes não dá para evitar.
São tantos os baques que a gente recebe. Até certas organizações mundiais resolveram deixar as máscaras caírem de uma vez. Bem, na verdade nunca esconderam tão bem as suas próprias ideologias, eu é que não me importava com assuntos do tipo.
Uma coisa que me choca é perceber como minha forma de ver o mundo e a sua política mudou. E mudou de uma forma que eu nunca imaginei que mudaria.
Era uma visão muito limitada. Eu via o campo da política e das relações internacionais dividido apenas entre os aliados de um lado e os eternamente inimigos do outro lado. E as ideias que eu defendia há muitos anos atrás faziam de mim um verdadeiro "idiota útil". Se é que me entendem.
Mas como bem escreveu Raul Seixas: "Prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo".
Tá chato esse papo, né.
Mudando de pau pra cavalo. É engraçado, mas eu pensei nisso justamente quando terminei mais um especial ultra nerd sobre personagens do universo dos quadrinhos, animês, filmes, etc, pelos quais antes eu tinha uma visão negativa, mas hoje superei tal antipatia.
Vamos lá, chega de falar sério!


Wolverine

Sim, eu sei o que você deve estar pensando.
Caralho, como pode?! Ele odiava o Wolverine?! O Logan?! O "melhor naquilo que faz, xará"?!
Isso mesmo! Eu odiava o Wolverine! E essa antipatia pelo personagem durou muitos anos! Eu diria que superei isso ainda mais recentemente se comparado com o problema que eu tinha com os outros personagens da lista.
Antes que você fã comece a me elogiar ou você hater (descobri que o personagem tem muitos hoje) comece a me xingar, vamos esclarecer o caso.
Quais os principais problemas que o personagem enfrentou durante toda a sua saga na Marvel Comics?
1º) Roteiristas.
2º) Fãs.
Wolverine, como boa parte dos heróis Marvel, foi criado numa época em que a "patrulha do politicamente correto" não enchia tanto o saco. Assim, os anti-heróis da Marvel puderam ter mais liberdade para agir com mais agressividade contra os seus terríveis vilões. Acredite, já houve uma época em que o Batman matava todos os seus inimigos, isso até a tal patrulha que mencionei aparecer. Daí a grande diferença entre personagens Marvel e DC.
Justamente por causa desse seu estilo, que agradava tanto aos leitores, era muito bom para os roteiristas trabalharem com o Wolverine. Eu tenho a teoria de que amamos tanto os anti-heróis porque eles fazem tudo aquilo que adoraríamos fazer mas nem sequer temos a coragem.
Mas aí veio a superexposição! Não bastava mais o Wolverine aparecer nos X-men e ainda ter a sua própria revista, o sujeito fazia parte dos Vingadores e também dava as caras em mais uma porção de títulos!
Nossa, que saco!
E o pior é que ele sempre estava lá, bancando o fodão, resolvendo os problemas de todas as equipes que participava e ainda sendo o dono de todas as melhores cenas e frases, ditas sempre nos melhores e exatos momentos.
Se já era difícil engolir o Wolverine baixinho, feio e fedido furando o olho dos outros e roubando a mulher de todo mundo, imagina como piorou quando ele ficou alto e bonito no cinema, com a ajuda de Hugh Jackman?
Ele ganhou fangirls! Como se já não fosse ruim aguentar os seus insuportáveis fanboys, a coisa complicou de vez agora com as gurias retardadas que nem sequer liam quadrinhos e passaram a amar o Wolverine por causa do rosto que ele ganhou no cinema.
Então foi isso, a maior parte da minha antipatia vinha da babação de ovo em cima do personagem que eu nem conseguia compreender o porquê de ser tão amado.
Mas então vieram os sempre salvadores sites da internet onde podemos pesquisar tanto dos quadrinhos antigos e assim pude ver o Wolverine clássico na essência daquilo tudo o que ele representou e, é claro, comparei com as diferentes ideias de tantos roteiristas que escreveram o personagem.
E, vejam só, passei a curtir o Wolverine como personagem e também xinguei muito as merdas que certos roteiristas fizeram com ele.
Wolverine ter ganho garras de osso e aquele visual bestial foi idiota e isso aconteceu já nos anos 90, tal como a sua superexposição, que fazia daquele show de horrores um tipo de astro.
Na verdade, nenhum personagem pode ser superexposto, isso pode ser prejudicial para qualquer um, até mesmo para o Coringa da DC Comics.
O que mais gostei de conhecer melhor o Wolverine foi descobrir o que ele poderia ter sido, em contraste com aquilo o que ele se tornou. Eu sinceramente detesto a sua origem. Seria melhor que ela continuasse envolta por mistérios, dava mais charme e interesse ao personagem.
Ele fora planejado para ser filho do seu inimigo Dentes de Sabre (Nunca reparou que os dois são cara de um focinho do outro?). Assim Wolverine teria cerca de 60 anos, enquanto o dito vilão teria cerca de 120 anos. Acho que hoje ambos são bem mais velhos do que isso.
Eu gostaria que a ideia tivesse sido mantida. Tornaria a sua rivalidade ainda mais interessante.
Enfim, Wolverine é um ótimo personagem. Só precisa de roteiristas como os de antigamente, que sabiam trabalhar com ele da forma correta.
O melhor momento do personagem? Sem dúvida é quando ele arrebenta com os caras do Clube do Inferno na saga da Fênix Negra. É animal!


Uchiha Itachi

Nunca morri de amores pelo animê "Naruto" e isto, em grande parte, tem a culpa dos próprios personagens principais.
O Naruto é um moleque chato pra caraio, com os seus bordões e chororô insuportáveis. E ele não é lá um protagonista (Ele é o protagonista mesmo?) muito criativo de animê/mangá de porrada, fazendo o típico burro (com o dobro da burrice habitual) e comilão.
O Sasuke, putz, que cara enjoado! Ele é odiado pela maioria daqueles que o conhecem, então não preciso explicar muito.
E a Sakura é a menininha, no pior sentido que a palavra possa ser aplicada. Até o cabelo dela é rosa! A mais odiada do trio de protagonistas, pelo menos aqui no Ocidente. Ouvi dizer que é um choque para os japoneses saberem que a Sakura é tão odiada por estas bandas. É, os japoneses são mesmo um povo bem diferente do nosso.
Então eu digo que a saga Shippuden, que se passa 3 anos depois da primeira parte do animê/mangá, apesar de tantos defeitos, fez muito bem para os personagens. Naruto e Sasuke por exemplo evoluíram bastante e são mais dignos do posto de principais, só a Sakura que continua um chorona sem direção dentro de um elenco tão vasto de personagens muito mais interessantes.
E esses 3 anos foram milagrosos para Uchiha Itachi, o irmão mais velho de Sasuke, responsável pela morte de todo o seu clã ninja, a sua própria família.
Caras, como eu odiava o Itachi!
Ele parecia um vilão bosta do tipo sou fodão, matei meus pais, atormento meu irmãozinho emo e tudo isso porque eu quero PODER, PODER, PODER!!!
Quase uma versão shinobi da Suzane Richthofen.
E sem falar que Itachi era um diabo de foda! Até os vilões principais da história se cagavam pra ele! Continuo odiando os Uchihas por causa do exagero que é esse poder do Sharingan, que copia os jutsus dos outros, cria ilusões, gera um fogo que queima eternamente e queima até o próprio fogo, invoca poderes dos deuses mitológicos e só falta fazer café! 
Mas aí veio a tão esperada parte em que Itachi e Sasuke finalmente se enfrentam em um combate definitivo. A luta poderia ter sido melhor, é verdade, mas é então que ao fim de tudo aquilo descobrimos a verdade.
Itachi concordou em exterminar o seu próprio clã, poupando apenas o seu irmão mais novo, o qual ele amava mais do que tudo na vida, tornando-se um ninja criminoso renegado, para evitar uma guerra civil iniciada por disputas de poder e ressentimentos de seu clã, que seria tão violenta que poderia acabar com toda a aldeia e a história de Konoha.
Vemos num flashback o momento em que ele se prepara para apunhalar os seus próprios pais e é uma das cenas mais épicas que eu já vi na vida! Seu pai já esperava pelo que aconteceria e, sem se lamentar, pede para que Itachi apenas faça o que deveria ser feito e assim o irmão mais velho de Sasuke o faz, em lágrimas.
Foi um jeito bem estranho de se descobrir a grandiosidade de um personagem e só depois que ele morreu lutando contra o irmão pude perceber isso.
Itachi, o cara que eu tenho certeza de que não odiava sozinho, é na verdade o maior herói da história de "Naruto".
Sem palavras.


Kyle Rayner

Os anos 90 foram uma época muito estranha para os quadrinhos. O que está acontecendo com os super heróis? Era o que se pergunta frequentemente na época, até em telejornais. E muitos hoje consideram que aquele foi o pior período na história dos quadrinhos.
Em um grande golpe de publicidade, o Superman é morto na luta contra o monstro Apocalipse, o Batman tem a sua coluna quebrada pelo vilão Bane e o Lanterna Verde Hal Jordan enlouquece, tornando-se o vilão Parallax e termina por morrer e se fundir ao Espectro no fim de uma mega saga.
Foi depois destas tragédias que surge Kyle Rayner, herdando o anel de poder de Hal Jordan e tornando-se o novo Lanterna Verde.
Hoje eu percebo que todos amam Kyle Rayner. Ele é mais querido do que Hal Jordan, mas eu realmente não gostava dele! E isso não era muito justificável porque acompanhei bem pouco dos quadrinhos da época em que ele apareceu.
O conheci na animação da Warner/DC Superman Animated Series e eu não gostei mesmo do personagem. Vi aquele Kyle Rayner, um modesto desenhista, num belo e ensolarado dia, sendo escolhido pelo anel do Lanterna Verde e do nada derrotando o vilão espacial Sinestro, que havia arrebentado com o Superman naquele mesmo dia!
O processo que me tornou fã de Kyle Rayner foi como o que aconteceu com o Wolverine, muito download e leitura de quadrinhos clássicos. E hoje eu posso dizer que Kyle Rayner é um dos personagens mais importantes de toda a história da DC.
O poder dos Lanternas Verdes é a força de vontade e Kyle Rayner é o aquele que melhor representa tal qualidade. O cara é um dos maiores exemplos de superação da história dos quadrinhos.


Souther

"Hokuto no Ken" sempre foi um dos meus animês/mangás preferidos. Mesmo quando ainda conhecia tão pouco sobre ele nos anos 90.
Souther foi um personagem que eu conheci através do filme "Shin Kyoseishu Densetsu no Ken: Raoh Den Junai no Sho", que foi uma das animações realizadas para comemorar os 25 anos da franquia, além de ser praticamente um grande resumo da saga do mangá e animê clássicos na qual ele foi o vilão principal.
Que péssima forma de conhecer o personagem! Eu nunca tinha visto um inimigo tão cruel, covarde e lazarento feito o Souther!
É claro que todos os inimigos que o nosso tão amado herói Kenshiro enfrentou no seu mundo pós-apocalíptico são assim e dava até gosto vermos eles sendo arrebentados no fim dos combates, mas o Souther passava dos limites.
Ele escravizava crianças!
Separava famílias inteiras e usava seus pequenos filhos como mão de obra para a construção de uma enorme pirâmide em homenagem a sua suposta divindade. E não apenas isso, ele os fazia trabalhar sob o chicote de seus soldados, os deixava sem comer e chegou até a matar uma criança envenenada!
Se tudo isso já não fosse o bastante, o cara ainda era imortal! Não literalmente, acontece que ele nasceu com seus órgãos internos, inclusive o coração, e seus pontos de pressão em posições invertidas, tornando-o inume ao Hokuto Shinken, a principal arma de Kenshiro. Assim, Souther foi a primeira pessoa que realmente varreu o chão com o herói brucutu! E o meu ódio só aumentava.
Claro que no final o Kenshiro conseguiu superá-lo e o derrotou, mas, lazarento que só ele, não aceitou ser derrotado pelo Hokuto Shinken e se suicidou apunhalando o próprio peito!
Meu problema com Souther foi novamente a falta de conhecimento. Então quando o mangá de "Hokuto no Ken" traduzido esteve disponível na internet, pude conhecer o Souther que não aparece no filme.
Ele era uma criança órfã, adotada por um mestre das artes do "Nanto Seiken" chamado Ougai.
Souther foi treinado na arte do "Nanto Houou Ken", o mais poderoso estilo Nanto, e era verdadeiramente amado por seu pai adotivo. Mas um dia, durante um treinamento, matou o seu próprio mestre/pai e a dor que sentira por aquela perda foi tamanha que ele passou a desprezar o sentimento do amor.
Na história original, ao ser vencido, Souther ainda questiona porque Kenshiro não abandona o amor que só trás dor e tristeza, mas seu rival retruca que o amor não é apenas dor, ele também é calor humano.
Souther então aproveita seu último minuto de vida para se despedir do mausoléu que preparara para o seu "pai". Ele tinha lágrimas rolando em seu rosto e um olhar puro como o de uma criança!
"O amor também é calor humano"
Que personagem tão forte e até mesmo humano. Eu consegui sentir pena dele, mesmo depois de tudo o que ele fizera. Um dos melhores e mais interessantes vilões da série, junto de Yuda, mesmo porque não considero Raoh um vilão e sim um antagonista.
Souther é um personagem incrível e sem falar que foi provavelmente a maior inspiração para o personagem Geese Howard dos jogos Fatal Fury e KOF da SNK, o que o torna ainda mais importante para o universo nerd.


Haruhi Suzumiya

É, esse é um caso complexo.
Eu odiava a personagem e hoje gosto dela, mas é meio complicado, continuo com um pé atrás com ela.
"Suzumiya Haruhi no Yuutsu" é uma série que envolve a rotina escolar, mas buscando uma abordagem de ficção científica, com alienígenas, viagens no tempo e outras doideras.
O principal problema da série era justamente a sua protagonista Haruhi. Ela é uma mala sem alça, super folgada, implicante e ainda por cima uma bully. Curioso que, apesar de todos estes defeitos, os roteiristas pareciam tentar à todo custo nos fazer engolir isto e gostar dela. E parece que funcionou.
Defender bullies é uma tarefa hercúlea, ainda mais para mim. Eu não suporto essa raça e acho que nem os próprios bullies conseguem se suportar.
Os amigos dela passam por cada uma, mas provavelmente devem continuar a aturando porque ela tem um poder inconsciente que pode levar o universo inteiro à destruição! E foi isso que me fez gostar da personagem, o interesse pelas origens desse poder de modificar a realidade e, bem, ela é uma graça. Eu acho que tentaria suportar essa folgada. Valeria a pena no fim das contas!
Seria interessante conhecer melhor a personagem e ver até onde as situações geradas por seu poder poderiam chegar.
E aí? Algum vilão cósmico que toparia uma luta com máximo de seus poderes contra a menina? 

Não se esqueçam de trazer o seu "Made in Heaven" e a "Manopla Infinita". Só um conselho. 



Wally Presa

A luta livre nunca morrerá!
"Kinnikuman Nisei", conhecido aqui pelos brazucas como "Músculo Total", foi um dos melhores animês que nós assistimos. E eu não tenho dúvidas disso. Esse desenho era tão legal que dava até para ignorar a sua tosquíssima dublagem. Aquilo parecia até uma redublagem zoada! A maioria das frases que saíam das bocas dos personagens não condiziam com a realidade, mas era bem divertido, vamos combinar.
Dentre os mais loucos lutadores deste animê, Wally Presa era o pior para mim. O lutador irlandês, essa morsa humana, não vencia uma luta sequer, era deprimente vê-lo lutar. Suas lutas serviam apenas para ajudar o Kid Músculo a perder a sua covardia e também inspira-lo a derrotar os vilões que surravam o Wally.
Eu sei que o Dik Dik Van-Dik, o homem-gazela da Tanzânia, era um poser que também só apanhava, mas ele pelo menos era superengraçado e divertido, o que fazia muito bem para a sua imagem.
Só quando voltei a assistir à série percebi que o Wally era um personagem bem legal, sua concepção era interessante e ele tinha uma bondade e uma ingenuidade que o tornavam de certa forma adorável. 
Os seus golpes também são bem bacanas e na última parte do mangá, o "Ultimate Choujin Tag Arc", quando a nova geração de Choujin viaja no tempo para evitar que Kevin Mask seja apagado da existência, Wally tem seu lado fera despertado por Neptuneman e forma com ele o "Hell Expansions", o time de luta livre mais brutal da história!
Se quiserem saber o que acontece depois, leiam o mangá!
Wally Presa é um personagem muito maneiro e eu gosto bastante daqueles típicos grandalhões gentis como ele, que são pouco comuns nos mangas de hoje em dia.
A sua irmãzinha Doroth é uma gracinha.


Capitão América

Como eu te odiava, Steve Rogers! Como eu te odiava!
Odiar o Capitão América não era algo tão absurdo se você pensar bem. Grande parte dos jovens leitores de quadrinhos aqui da América Latina provavelmente também o odiavam muito.
O motivo é óbvio. É só ver o seu uniforme e os ideais que ele prega. Ele parecia tão ingênuo aos nossos olhos, como um ursinho carinhoso grandão.
O antiamericanismo é muito forte na América Latina, inclusive no Brasil, ainda mais com essa doutrinação "Paulofreiriana" das escolas. Mas atenção, não estou defendendo os Estados Unidos, meu antiamericanismo diminuiu com o passar dos anos, eu amadureci, mas não tenho respeito suficiente por essa nação que herdou todos os valores de seus colonizadores, como buscar sempre o lucro e o acumulo riquezas à todo o custo, mesmo que isso signifique explorar os outros, causando miséria e pobreza por onde passar, e ainda querendo impor a sua "cultura" à todos os povos.
Acontece que o brasileiro médio adora culpar os outros por seus problemas. Hoje culpa os Estados Unidos, ontem culpava Portugal. A culpa nunca é do próprio brasileiro.
Não curte o Capitão? Então esqueça o seu uniforme e preste atenção em Steve Rogers! Durante a saga "Guerra Civil" ele lutou contra o próprio governo dos Estados Unidos por este ter traído os seus ideais. Algo que nunca pensamos que veríamos nos quadrinhos. E o grande Rogers mesmo diz: "Eu não represento os Estados Unidos, represento valores como a verdade, a justiça, a honra. Valores que são comuns para todos os povos do planeta, não apenas para os americanos."
O Capitão é uma máquina de combate e é um dos caras mais machões da Marvel. A juventude de hoje precisa disso para se inspirar.


Po

Não consigo acreditar que eu já não gostei do Po, o protagonista do filme "Kung Fu Panda"!
O motivo era bem tolo. Eu gostava tanto do vilão Tai Lung que foi um choque para mim vê-lo sendo vencido por um panda gordo e atrapalhado, após este receber um treinamento tão imbecil, mesmo sendo ele aplicado pelo próprio mestre Shifu.
Eu descobri depois que o Tai Lung não era um vilão tão legal assim. O Lorde Chen, inimigo do segundo filme, era um personagem bem mais profundo e interessante e, por outro lado, o Po é o melhor protagonista dos filmes da DreamWorks, melhor até do que o Shrek.
Ele é divertido, engraçado e envolvente e ainda é dublado pelo Jack Black. É muito emocionante a sua história com o senhor Ping, que o adotou ainda filhote, provando que pai é realmente aquele quem cria, por mais explorador e pão-duro que ele possa parecer.
E a Tigresa, a melhor personagem da franquia e outrora sua rival, provavelmente tem uma queda por ele, foi o que pareceu no segundo filme. Sortudo o gordinho, não acham?


Giorno Giovanna

O típico caso de personagem que a gente julga pelas aparências.
Giorno Giovanna é o protagonista de "Vento Áureo", a quinta parte do incrível mangá "Jojo's Bizarre Adventure". E ele é também filho de ninguém mais ninguém menos que Dio Brando, um dos maiores vilões das histórias em quadrinhos de todos os tempos. Seria então Giorno meio vampiro? Bom, ele nasceu com o cabelo preto e este, numa certa idade, do nada ficou dourado, como um Super Saiyajin, isso já prova que ele não é muito humano.
Eu não gostava do Giorno por um motivo bem babaca, a sua aparência. Vocês podem reparar como ele é bem feminino e esbelto, do jeito que as fãs de yaoi amariam. Mas eu nem procurei conhece-lo melhor, apenas me deixei levar pela opinião de outros preconceituosos que faziam muitas piadas sobre o personagem, do tipo "Dio nunca soube que teve esse filho, mas, se soubesse da existência dele, provavelmente morreria de desgosto".
Eu também tinha muito preconceito com a quinta parte do mangá, mas hoje eu a acho bem melhor do que a quarta parte por exemplo.
O Giorno é um personagem bem fera! Depois de uma infância infeliz com um padrasto violento, inspirado por um gangster que ajudava as pobres pessoas da região da Itália onde viveu, decide tornar-se um "gang star". Ele adentraria no submundo do crime organizado para fazer o bem às pessoas mais necessitadas, assim como aquele que o ajudara.
E Giorno, apesar de raramente permitir que a fúria tome conta dele, não se importa de passar por cima de qualquer um que fique no seu caminho com intensão de atrapalhar os seus planos, mesmo que isso signifique matar. E ele o faz, até que no final deste arco do mangá torna-se o líder da máfia Passione, eliminando até mesmo o antigo líder Diavolo.
Sim, ele é o herói desta história!
Também é dono do Stand mais apelão de todos os protagonistas do mangá, o "Gold Experience", que aumenta todas as percepções, inclusive a dor, de qualquer um que ele toca, além de gerar vida, transformando objetos inanimados em plantas ou bichos, podendo também ser usado para curar.
Eu sei que ainda não parece muito se comparado ao "Star Platinum" de Jotaro Kujo que simplesmente para o tempo, mas é muito mais versátil e, além disso, quando evoluiu para "Gold Experience Requiem", ganhou a habilidade da nulificação da causa e efeito, tornando-se praticamente invencível!


May

Durante muito tempo eu não gostava dela por razões bem injustas e sobretudo passionais.
Numa nova fase do animê "Pokémon", May apareceu substituindo a Misty no elenco de protagonistas, justo no lugar dela, de quem eu tanto gostava. E ainda por cima ela entrou para o grupo da mesma forma que a Misty, após ter a sua bicicleta destruída ao topar com Ash e Pikachu. O que vocês imaginam que passou pela minha cabeça?
Bem, o mesmo aconteceria com a Dawn no futuro, então isso era apenas falta de criatividade dos roteiristas.
O fato de May substituir a Misty e ainda ter um irmãozinho chato de doer, que puxava a orelha do Brock sempre que este se engraçava com alguma garota, não ajudava nada para que eu a aceitasse. Mas, depois de centenas de capítulos, eu notei a May. Ela era uma personagem muito mais estimulada do que a Misty e tinha objetivos mais claros e ambiciosos. Até mesmo rivais ela tinha, como o aboiolado e engraçado Harley e o fodão Drew, com quem a menina faz, sem dúvidas, o casal mais legal de toda a franquia.
E quando May já havia me conquistado, ela simplesmente sai do animê, dando lugar a tão menos interessante Dawn. Só damos valor ao que temos quando perdemos.
May também é  irresistível, tão linda e meiga, mas creio que todas as meninas de Pokémon o sejam!


Ufa, cansa escrever uma postagem especial dessas. Leva muito tempo, mas o resultado final compensa. Você pode ler e se divertir se não estiver com nada melhor ou mais importante para fazer. Eu pessoalmente adoro visitar outros blogs justamente por causa disso e ainda dá que aprender muito com os outros blogueiros mais experientes.



Só lembrando. Não se esqueçam da grande estreia do MELHOR ANIMÊ desta temporada! No dia 04 de Abril deste ano estreia a saga "Stardust Crusaders", a terceira parte de "Jojo's Bizarre Adventure"! 


Eu estou ansioso. E vocês?

Nenhum comentário:

Postar um comentário