quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

ESPECIAIS DE FIM DE ANO


Estamos no final de Dezembro, ufa! Que mês apertado. Continuo trabalhando feito um louco para ter o "pão nosso de cada dia" e preciso atender centenas de urgências! Vida de profissional da saúde mão é moleza, por isso meus amigos que sonham com a área devem ir se preparando desde cedo.
Mas o importante é que vamos finalmente ter o nosso descanso, para, claro, partir para a farrinha de Réveillon que nunca pode ficar devendo!
Felizmente ainda sobra o tempinho para que eu possa escrever no meu humilde blog. E hoje, já no clima, vamos lembrar das mais marcantes atrações de fim de ano na TV.


Show da virada

Eu sou um crítico feroz do nível da programação da TV aberta, mas ela é a única a qual tenho acesso, pelo menos por agora.
O Show da virada é exibido anualmente pela Rede Globo. É marcante porque eu sempre acompanhava as suas exibições das festas da virada de ano, em todo o país.
Os anos se passaram, eu cresci, e hoje prefiro sair para ver de perto a queima dos fogos e a agitação da galera. Pois é, isso vindo de alguém que não suporta o barulho dos vizinhos. Mas acontece que existe um tipo de barulho saudável, no dia e na hora certa!
Quem não curto mudar um pouco as regras e fazer muito barulho quando se comemora um vitória, uma conquista? Afinal, chegar a mais um ano novo não deixa de ser uma conquista para todos nós.


Retrospectiva

Todas as emissoras tem a sua própria edição do "repeteco" dos acontecimentos mais marcantes do ano. E é sempre bom recordar, como eu não me canso de dizer.


O Conto de Natal da Disney

São raros os anos em que não é exibido na TV aberta o desenho "Um conto de Natal" da Disney. Esta é uma das minhas versões favoritas do conto sobre o velho triste e sovina Scrooge, aqui vivido pelo pato mais rico do mundo, o Tio Patinhas.
Um detalhe curioso é que o personagem Scrooge foi a inspiração que Disney buscou para criar o Tio Patinhas (que inclusive também se chama Scrooge no original). Então é como se ele interpretasse a si mesmo num universo diferente do seu.
Este desenho é muito marcante. Acho que todos já devem ter visto, mas vale a pena rever pela nostalgia e por sua bela lição sobre a partilha.

                            

Comerciais da Varig

Todo ano a Varig tinha belas propagandas com os seus funcionários desejando Feliz Natal e um próspero Ano Novo, num tempo em que eu nem sonhava um dia viajar de avião ou mesmo era nascido. Mas ainda pude conhecer um pouco daquela que fora a primeira companhia aérea brasileira.

                            

Comerciais da Coca Cola

Muito bom. A Coca Cola sabia fazer comerciais.  Esse foi um dos melhores feitos para o Natal.


Amigos

Que saudade. Tá aí uma atração que infelizmente nunca mais veremos.
"Amigos" era um programa sertanejo estrelado pelas duplas do estilo mais famosas daquele tempo, Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano e Leandro e Leonardo.
Quanta nostalgia trás a lembrança de ver os seis cantores juntos, acho que o sentimento é o mesmo ainda que não sejamos tão chegados ao estilo.
Na minha família somos três irmãos. O irmão mais velho é idêntico ao Luciano da dupla Zezé di Camargo e Luciano e o irmão do meio é a cara do  saudoso Chorão da banda Charlie Brown Jr. Então eu sou o único que não se parece com ninguém famoso. 
Doidera, né.


Especial Roberto Carlos

Outro que todo o fim de ano sempre dá as caras é o "rei".
Atração marcante é outra coisa e ainda sempre gera grandes audiências. Deve ser por isso que ele não para de dizer "esse cara sou eu".


Especiais de Natal dos programas infantis

Uma das coisas mais legais desta época do ano: as aulas já tinham acabado, estávamos todos de férias, coisa boa! E como era maneiro acordar cedo na manhã de Natal, com a família toda reunida e ligar a televisão para curtir as programações especiais para as crianças.
Lembro muito bem dos desenhos de sucesso da época sempre prepararem episódios dedicados à época natalina e que eram tradicionalmente exibidos pelas emissoras que transmitiam também as suas séries regulares. Difícil escolher qual mais me marcou em meio a tantas maravilhas como Tiny Toons, He-man e She-ra, aquele dos ursinhos voadores (alguém lembra?). O especial do Pinky e o Cérebro foi certamente o mais divertido de todos.


"De ilusão também se vive"

"De ilusão também se vive" é um filme muito exibido na época natalina e ele emociona contando a história de um homem que é levado a julgamento por acreditar ser o próprio Papai Noel. O clássico de 1947 já foi refilmado muitas e ganhou três Oscars além de receber indicação ao prêmio de Melhor Filme.


Missa do Galo

Diretamente da Basílica de São Pedro no Vaticano, a Missa do Galo que ocorre tradicionalmente à meia-noite do dia 24 de Dezembro todos os anos é levada às TVs de nossas casas. 
Cerca de 122 canais de televisão de 74 países exibem a missa, que no Brasil é mostrada pela Rede Globo e pela Canção Nova.



E por falar em Missa, não deixem de ir ao cinema ver o novo filme "O Hobbit - A desolação de Smaug" baseado na obra literária do grande J. R. Tolkien. Um filme como este é perfeito para fecharmos o ano com chave de ouro, já que vivemos um momento de grande chatice e laicismo forçado, então nada como um filmaço permeada de valores Católicos nas telonas dos cinemas. As obras de Tolkien não são alegorias, que isso fique bem claro, mas são realmente um reflexo daquilo que um homem tão profundamente religioso quanto ele enxergava no mundo.
Eu ainda continuo fazendo a minha parte para encontrar a minha redenção, descobrir a verdadeira felicidade, mas nunca deixarei de ser o "nerdão" que sempre fui.
Aqui terminamos nosso especial de fim de ano, minha época favorita, a qual guardo as minhas melhores lembranças, e aposto que muitos de vocês também pensam assim.

Até a próxima postagem e juízo com as festas, comilanças e bebedeiras!
Bom divertimento!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

FELIZ NATAL


Com o incrível quadro do pintor francês William-Adolphe Bouguereau (1825 - 1905), desejo um feliz Natal para todos. 
Boas Festas.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

DICA DE FILME: O HOBBIT - A DESOLAÇÃO DE SMAUG


A dica de filme para o mês de Dezembro não poderia ser outra, ainda mais no meu caso que sou um fã incondicional do incrível universo criado por J. R. R. Tolkien, o mais foda escritor deste estilo de literatura.
Posso falar sem muito pensar que a segunda parte das aventuras do Bilbo é bem melhor que o primeiro filme da trilogia. Com um roteiro bem  mais coerente, bom ritmo e uma evolução de personagens mais bem feita.
Na história da segunda parte da saga, Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) e os anões se separam de Gandalf (Ian McKellen) para atravessar a Floresta Negra! Lá enfrentam aranhas gigantes e encontram os elfos, para entrar na Montanha Solitária onde vive Smaug, o dragão que há muito tempo saqueou o tesouro do reino dos anões do avô de Thorin (Richard Armitage).
Assim como foi na primeira parte, aqui a trama é entrecortada por vários documentos, anotações do Tolkien e elementos de outros livros deste mesmo universo, mas também tem várias coisas criadas exclusivamente para o filme. Tudo isto serve para contribuir positivamente no resultado final, deixando a toda a saga no cinema com o Senhor dos Anéis cada vez mais clara.
Para este filme existem três ramos narrativos que no fim se entrelaçam. O primeiro, com total embasamento no livro que dá origem a trilogia, conta com a saga dos Anões rumo ao encontro do Smaug (Benedict Cumberbatch) para recuperar a Pedra Arken. Nele a incrível interação entre Martin Freeman e o fantástico dragão Smaug. A interação dos dois personagens é sem dúvidas, a melhor coisa do filme.
No ramo sombrio, temos Gandalf atravessando a Terra Média em busca da verdade sobre o Necromante (Benedict Cumberbatch). Apesar deste núcleo ser o considerado a parte da fraca do filme, a construção narrativa foi muito interessante, mesclando os poucos detalhes que constam no livro do Hobbit, com anotações de Tolkien e elementos de outros livros para explicar de maneira mais didática os acontecimentos que culminarão na saga do Senhor dos Anéis para o público que conhece a Terra Média apenas nos cinemas. Ou seja fazendo elo com trilogia passada.
Por último temos o ramo mais dramalhão, estrelado por Legolas (Orlando Blomm), Tauriel (Evangeline Lily) e o anão Kili (Aiden Turner) num pseudo triângulo amoroso partindo do nada rumo a lugar nenhum, mas com as melhores cenas de ação da Terra Média. Aqui o destaque fica por conta de Tauriel, personagem criada exclusivamente para o filme e que surpreende durante sua jornada. Peter Jackson acertou em cheio na criação deste personagem e ao escolher a atriz Evangeline Lily, amada pelo mundo nerd por seu papel na série Lost.
A segunda parte tem uma introdução bem mais curto do que a do primeiro filme, sendo apenas de 9 minutos, comparados aos quase 50 minutos do primeiro filme.
Os efeitos especiais tiveram uso irregular com cenas grandiosas em algumas partes e o final com o Smaug e em outras sente-se bem a presença do CGI.
E por fim, o dragão de Benedict Cumberbatch faz valer a pena. O ator fez a captura de movimentos e também emprestou sua incrível voz ultra vilanesca para dar vida ao dragão antagonista do filme. Talvez não fosse tão necessário as alterações de vozes feita pra modular a voz dele. Mas mesmo assim, você terá oportunidade de se divertir novamente pelo interior da TERRA MÉDIA!
Para leitores do livro que esperavam fechamento do arco neste filme, afinal existem três arcos importantes no livro. Mas Peter Jackson não conclui neste filme, deixando fechamento do segundo arco para terceira parte. Prometendo uma verdadeira batalha no grandioso final dessa trilogia. Um ano agoniante de espera está por vir...

Créditos para o site Actions e Comics.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

OS COMERCIAIS MAIS MARCANTES DA TV


Estamos de volta, meu amigos. Dezembro está aí e eu gosto muito do clima desta época do ano. Quero dizer, quando falo em clima, não me refiro ao calor infernal que sempre faz neste tempo. Nossa, você mal pode esperar pela chegada dos dias de folga. Se o nosso trabalho e estudo já são muito cansativos, com esse calor é um esforço bem maior, quase um martírio.
Eu sempre vi Dezembro como uma época em que nós podemos rever pessoas que há muito não víamos, visitar aqueles lugares especiais que no meio do ano não encontramos tempo suficiente para visitar e, principalmente, lembrar do passado.
Para a postagem de hoje, separei alguns dos mais famosos comerciais televisivos que marcaram a vida de muita gente que viveu os anos 1980 e 1990. Aqui, logicamente, não foram colocados todos, mas pelo menos foram selecionados alguns dos mais conhecidos e importantes que ficaram na memória afetiva da minha geração. 


Coca Cola vs Pepsi

Cara, que boa que era aquela época. A rivalidade entre a Coca Cola e a Pepsi era muito hilária. Acho que não se vêem mais este tipo de provocação porque as leis que controlam o conteúdo das propagandas devem estar mais rígidas.

                           

Reparem que a Coca Cola era bem mais trollada pela Pepsi do que o contrário. Isso quer dizer que a Coca Cola tinha mais pedras nos sapatos com sua concorrente do que com historinhas mal contados e difíceis de digerir sobre supostos ratos dentro de garrafas.
Engraçado que nunca gostei de Pepsi, achava ela bem menos gostosa que a Coca Cola. Mas no quesito humor, ela mandava tão bem quanto a sua rival.
Se não me engano havia uma rivalidade parecida entre a Queops e a Elma Chips. Não era tão engraçada quanto a dos refrigerantes, mas era bem marcante.

                                                               Ursos da Coca Cola

Ainda falando sobre refrigerantes, a Coca Cola tinha um dom de produzir comerciais que ficavam pra sempre marcados em nossa memória afetiva. 
Este aqui por exemplo, tem uma animação que continua bem bacana apesar dos anos que se passaram.

                           

Devem ter percebido que aqui os ursos da Coca Cola estão em clima de Copa do Mundo.
Sim, foi em 1994.
Grandes tempos. Até assistir futebol era muito mais legal.

                                                            Cotonetes Johnsons

A Johnsons tinha uma série de comerciais com personagens bem divertidos e engraçados. Eu era moleque e nem dava muita bola para os produtos das propagandas.

              

Sempre enxuguei o ouvido com a toalha mesmo.

                                                           Não esqueça a minha Caloi

Quem não lembra desse?
E nessa época do ano, com o Natal chegando, as lembranças ficam ainda mais vivas.
Quem nunca quis ter uma Caloi?

                                

Eu sempre quis uma bicicleta e, claro, tinha que ser Caloi!
Nunca ganhei nem uma bicicleta de marca furreca. Mas o Natal está aí e meu aniversário é no mês que vem. Quem sabe?

...

É só brincadeira!
Se alguém quiser me presentear, estou mais a fim de ganhar um carro 0 Km. 
Alguém?

                                                                      Compre Baton

Esse era hipnotizante. Literalmente.

                                

Ah, como aqueles tempos eram inocentes.

                                                                  Guaraná Antártica

Esse era bom, mas era também bem subliminar.
Vai dizer que não dá vontade de uma pipoca com guaraná depois de ver isso?

                               

Sempre me disseram que eu deveria preferir guaraná a Coca Cola. Afinal é um produto nacional e ainda não tem ácido fosfórico (era o que me disseram). Bem, de todo modo não tomo mais refrigerante hoje em dia. Mas ver esse comercial me faz querer rever meus conceitos.

                                                         Honda (Na cama com pijama)

Uma palavra: Mítico!
Vai dizer que não se lembrava deste?

                                

Que foda!
Juro que nem na época em que passava na TV eu sabia do que se tratava o comercial. Só lembrava do gordo engraçado que, de tanto que fez sucesso, foi até imitado pelo Bussunda (nunca gostei de "Casseta e Planeta").
Então ele cantava sobre a monotonia da sua vida e tudo melhoraria, segundo a voz do anunciante, se ele comprasse uma Honda e coloca-se assim mais emoção no seu dia a dia. Ah, agora faz mais sentido.

                                                                    O primeiro sutiã

                                

Que bacana era esse! Os tempos inocentes.

                                                                   Brinquedos Estrela

Esse é nostálgico, hein. Muito nostálgico.

                                

A música me emocionava na época e ainda consegue fazer isso um pouco (mais pela saudade dos bons tempos). Esse comercial fazia qualquer criança desejar ter um brinquedo da Estrela, qualquer que seja. 

                                                        Banco Nacional - Feliz Natal

                                

Sem palavras. Os finais de ano nunca mais foram os mesmos sem esta canção, que era um dos motivos que me faziam gostar tanto desta época do ano.
Ai, esses bancos.
                                                                Comerciais Bombril

                                

Não preciso falar muito, vocês já sabem que esse cara é foda!
Os comerciais da Bombril eram mesmo únicos graças as suas performances.

                                                     Comercial das formigas da Philco

                                

Comercial bem feito é outra coisa. 
Esse das formigas da Philco até rendiam discussões nas aulas meia boca de informática que eu tinha no meu antigo colégio. É, nós fomos das primeiras turmas a ter esse tipo de aula. Não que isso fosse algo para se gabar, mas mesmo assim a gente se divertia.

                                                             Poupança Bamerindus

            

Por onde andam esses caras?!
Isso era muito foda. Eles eram tão bons quanto o Carlos Moreno.
Quem viveu aquela época e que não tem o jingle da Poupança Bamerindus na ponta da língua?
Simplesmente inesquecível.

                                                  Qual será o segredo de Tostines?

Valeu ao grande Mário Lúcio de Freitas por disponibilizar este vídeo no seu canal do You tube.

                              

Comerciais com desenhos animados são sempre marcantes. 
Esse dos biscoitos Tostines era o melhor. 

                                                                 Bombons Garoto

Quem não lembra deste?
O título deste comercial poderia muito bem ser: "Hormônios adolescentes, a missão".

                              

Demais!
Ouvi dizer que este foi um dos comerciais mais premiados da história da TV. De fato é bem maneiro. No meu tempo gostávamos mesmo é de mulher. Se foi uma brincadeira sem graça, peço perdão, respeitosamente.
Cá entre nós, se em 1995 era feita um propaganda assim, imagina agora em 2013! 

Este comercial acabou me fazendo lembrar de um video clip muito da hora da música "Garotos II" do cantor Leoni. He, he. É estranho, mas acho que essa era a única música que eu conhecia dele e ainda assim entra na minha lista das melhores canções que eu já escutei.

Segue aí o vídeo porque afinal estamos em Dezembro e, como eu disse, é a época das recordações.

                             

Até a próxima postagem.

domingo, 1 de dezembro de 2013

PERFIL: BLAZE THE CAT



Dezembro chegou. Como passou rápido! Eu sei que parece uma frase meio amarga para se dizer quando o ano está chegando ao seu fim, mas é algo inevitável de falar. Assim que Janeiro chegar, não vai demorar muito para estarmos cantando "jingle bells" novamente. Saudades do tempo em que os dias, semanas e meses pareciam não ter tanta pressa.
Bom, deixando esses devaneios de lado, vamos ao que interessa.
Hoje estamos dando continuidade a série "Perfil" e a escolhida desta vez é Blaze the Cat.
Eu já disse muitas vezes que o universo Sonic é o meu favorito dos videogames e isso se deve muito aos seus próprios personagens, pra lá de interessantes e carismáticos, sendo que a Blaze é disparada a minha favorita.
Blaze é uma princesa de outra dimensão. O universo do Sonic parece ser composto por muitos mundos paralelos, conectados entre si por portais mágicos. Como quando eu lhes falei sobre os mundos da mitologia nórdica no artigo sobre o Loki Laufeyson. Sacaram?
No mundo de Blaze existem os itens de poder chamados Sol Esmeralds, que são muito similares as Chaos Esmeralds que existem no mundo do Sonic. A gatinha surge pela primeira vez na história buscando recuperar estas tais jóias do seu mundo, roubadas pelo Doctor Eggman,
Nesta sua primeira participação nas histórias contadas no jogo, Blaze conheceu e fez uma grande amizade com Cream e Chaos. E todos vocês já devem conhecer a nossa coelhinha preferida Cream que sempre foi gentil e afetuosa e, logo que  encontrou nossa heroína,  a levou para sua casa, as duas passam a ser companheiras de aventuras, mas isso não durou muito tempo, pois Blaze tinha que procurar pelas Sol Emeralds. Durante essa fase, Blaze lutou ao lado do nosso herói Sonic, mas também tiveram que se confrontar diversas vezes. A rivalidade entre os dois foi uma das mais marcantes, como as demais rivalidades que o ouriço azul tem no universo do seu videogame.
Ao lado de Sonic, Blaze venceu os vilões Dr Eggman e Dr Eggman Nega e recuperou as Sol Esmeralds, além de desenvolver os seus poderes de se transformar em Burning Blaze, tão poderosa quanto o Super Sonic. Enfim a princesa pode retornar para o seu mundo e, após isto, suas participações na série acabaram tornando-se obrigatórias. Em "Sonic Rush Adventure" inclusive ela ganha uma nova companheira, Marine the Raccoon, a guaxinim simpática e divertida que todos nós amamos. 

Blaze é uma garota que precisou crescer muito cedo, por suas grandes responsabilidades para com o universo. Ela cresceu sem seus pais, cercada pelos guardas leais de seu reino, longe de tudo e de todos. O poder que recebera já desde seu nascimento era perigoso tanto para si mesma quanto para os outros que ousassem se aproximar. Além disso, teve um educação muito rígida e espartana. Foi ensinada desde cedo os seus deveres como guardiã das Sol Esmeralds e de defender o seu povo, seja através da sua agraciada inteligência ou mesmo por meio de seus punhos, como a excepcional lutadora que é, uma das melhores de toda a série.

                              
                               (Vídeo em espanhol)

Todos estes propósitos e o fato de não ter crescido como uma garota comum (tá parecendo agora Street Fighter!) formaram muito do caráter da personagem. O seu humor, o seu foco para com a sua missão, a sua timidez, a sua dificuldade de aceitar as suas limitações e o seu querer entender o valor da amizade ou mesmo do amor.
Blaze é especial do meu ponto de vista sentimental e ela muito me encanta. Acho que tenho uma queda por essas personagens carentes, talvez porque também seja assim. Em muitas das cenas em que a víamos, em suas primeiras aparições, ela aparecia com a cabeça sempre erguida e contemplando o seu reino, mas ela nada dizia, apenas contemplava, como se algo a mais lhe faltasse, alguém com quem ela pudesse conversar, alguém que pudesse lhe confortar, alguém que ela pudesse abraçar, falava-lhe calor, mas nossa grande heroína nunca se desviava do seu dever. E isso fazia dela uma grande mulher!
Em muitas das suas aventuras, ela finalmente compreendeu a importância da amizade, de ter alguém com quem pudesse contar, confiar. Ela tem grandes amigos hoje, como Sonic, Cream, Tails e Marine e vê-la na companhia deles é muito emocionante.
Blaze também é de fato uma gata, em todos os sentidos! Eu gosto muito da sua aparência, estilo (Hello Kitty hardcore piromaníaca) e personalidade. É uma personagem muito fofa e adorável! É meio difícil resistir a tanto charme e graça felina.


...


O que foi?


Antes de fazerem piadinhas sobre furries, compreendam que não há nada de errado em achar uma personagem antropomórfica, como a Blaze, bonitinha, mas é claro que para tudo há um limite, né. Por favor.


Aproveito também esta postagem para falar sobre os trabalhos da desenhista argentina Idolnya (este é o nome que ela usa, não tenho muitas informações) que tem um canal no youtube e uma vasta e bela galeria de imagens no Deviantart com tirinhas incríveis dos personagens do universo Sonic. O vídeo que postei acima inclusive é uma cortesia desta ferinha.
E também falo sobre o grupo Team Chaotix BR que faz um trabalho bacaninha com a dublagem brasileira amadora das tirinhas desta desenhista. A tirinha "Uma comic Silvaze" é a minha favorita e a dublagem ficou hilária. Eu já gostava muito do Silver, mas, com os desenhos e histórias de Idolnya e a dublagem foda do grupo Team Chaotix Br, agora ele é um dos meus personagens favoritos de todo o universo de Sonic.
Também gosto do casal Silver e Blaze que é o mais legal e apaixonante de todos os games.

            

Valeu por colocarem a Blaze com roupas mais femininas e dizendo "miau". Eu sempre quis saber como seria ver algo assim (he, he).

O que foi?

Ainda vou fazer um artigo com mais trabalhos do Team Chaotix Br e da Idolnya. Eles merecem!

Então ficamos por aqui, pessoal. Aguardem porque em breve estaremos de volta.