sexta-feira, 28 de junho de 2013

CAPAS DE GIBIS (COMÉDIA)


Junho é o mês do Superman. Como muitos blogs de quadrinhos postaram já muita coisa do tema, preparei um post breve sobre capas dos gibis antigos. E, cara, como as coisas mudam com o tempo. Tem cada figura na industria do entretenimento em quadrinhos. Como será que as pessoas viam isso naquele tempo? Hoje algumas capas de gibis jurássicos são capazes de nos tirar bons risadas. Vamos dar uma olhada nestes achados arqueológicos.


Batman ensinando a criançada como a Batcaverna funciona. Pode isso, dupla dinâmica? 


O que é mais estranho? Esse jato do espacial do Batman ou o Bat-sinal sendo projetado na Lua? 


Batcão revelando a identidade secreta de Batman e Robin. É, depois dessa dá pra imaginar que o Batemá vai levar seu fiel cão para um passeio só de ida ao veterinário.


Sem comentários.
Não, essa marcou. A série Batman Bravos e Destemidos aproveitou esse momento histórico. Tudo em nome da comédia.


A criatividade dos escritores daquele tempo era incompreensível. Olha só que beleza de vilão o Batemá já teve. Tenho a impressão que vi esse apagador humano no desenho Batman Bravos e Destemidos. Alguém se surpreende com o detalhe?


Cara, essa é a melhor! O Batemá foi possuido por uma força misteriosa que o obriga a fazer um autorretrato, revelando a sua identidade secreta. Não tenho palavras, isso foi genial.


Pô, Capitão Marvel! Que isso, meu! Para alguém com a sabedoria de Salomão, a força de Hércules, a resistência e invulneralidade de Atlas, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a velocidade de Mércurio, você é bem tapado.


Caramba, Superman, seu traíra. Que trollagem, cara. E o pior é que essa não é última dele.


Batman e Superman sacaneam Robin. Essa é demais. Olha só o Superman. O cara pode voar, é super forte e ainda apronta uma dessas. Mas esse Robin também é muito otário.


Teste de sobrevivencia ministrado pelo sacana Superman. Sim, é o Aquaman ali junto com o Jimmy Olsen. E você ainda se perguntando se a zoação com o Aquaman era de hoje.


KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Aiô, Superman!
Agora o Super foi trollado. De uma forma bem escrota, diga-se de passagem.


Superman Rei da Terra. Isso me lembra que em suas primeiras histórias o Super que nós conhecemos era um cara malvadão que dominava o planeta como um ditador cruel, a história se chamava o Reino do Superman. 
Bom, aqui eu diria que a história original virou comédia de altíssimo nível.


Pat Boone e Lois Lane estão cantando uma nova canção sobre o Superman. Alguém pode imaginar qual a relevância desta história para o universo DC? 


Jimmy Olsen é obrigado a casar com uma gorila e o Superman, o feiticeiro da tribo local, vai determinar a união do casal. Que fila da puta esse Superman. Como pode ser verdade uma porra dessas?! E... Como será que isso tudo foi acontecer?!


Superman cobrando pelo serviço?! É o fim do mundo! Você agora não é mais o meu herói!


Lex Luthou é um vilão imprevisível. Olha só o seu novo plano para destruir o Superman. E o pior, Lois Lane está ajudando de alguma forma. As vibrações do piano e esse instrumento kriptoniano (?) combinados podem ser o fim do nosso herói.
Lois ficou malvada e Luthor, bem, ele é mesmo um gênio do mal e tem classe.


Qual será o segredo de Lois Lane? Alguém parece que vai processar o salão de beleza. Que exagero colocar um cofre na cabeça. Pelo visto o negócio tá tenso mesmo. 


Mais uma trollagem do homem de aço. Bat-bruxo deve ser queimado. Como foi que eles chegaram no tempo dos pioneiros puritanos na América do Norte? O que será que o Batemá fez? Se for a roupa, o Super também deveria estar sendo julgado. 


O que deu agora no Superman? Essa foi a gota d'água. E pensar que esses dois um dia chegaram a se casar.


Esse Super é um comédia.


Pobre Lois. Ela parece estar falando sério, mas o Super não perdoa. Agora a moça vai casar com essa simpatia de super vilão encapuzado.


Superman é um pai abusivo! Jimmy como você foi entrar numa dessas? Esse Super não é flor que se cheire.


É o fim da picada! Lois Lane acusada de matar o amor da juventude do Superman, Lana Lang. E agora, quem vai resolver essa parada? Como diria o Seu Madruga: BATMAN!!!!!!


Caraca, véio! Essa merece um prêmio! Superman e Batman obrigam Jimmy Olsen e Robin a cavarem seus próprios túmulos! Se esses são os nossos heróis, não quero conhecer os vilões.


Lois Lane gata borralheira? Esse Super gosta mesmo de trollar a sua namorada. Se ele é o príncipe dessa história talvez prefira a Lois a essas duas barangas, ou não, vai ver vai querer trollar nessa parte também.


O Superman malvado do Reino do Superman voltou. Mas agora parece ser o rei de um reino desconhecido. Batman pergunta se o Super não reconhece a Dupla dinâmica e ele parece responder: "Dupla dinâmica é o caralho. Vocês são é dois filhos da puta."


Esse Superman... 


Pobre Lois. Se for depender do Superman, tá ferrada mesmo.


Dessa vez o Superman apelou com suas duas pretendentes. Mas de fato. quem disse que óculos são disfarce suficiente? Eu sei que é tenso, Super, mas pega leve com os insultos, modere o seu linguajar.


Em um post sobre capas cômicas não podia faltar uma obra do "mestre" Rob Liefild. Quanto sarcasmo.


"Mestre" Liefield ataca novamente. Que que é isso, cara?


Espero que tenham gostado, logo mais eu volta com uma postagem mais séria, ou não.


segunda-feira, 24 de junho de 2013

FELIZ ANIVERSÁRIO, SONIC


Ontem foi aniversário do nosso ouriço favorito. Vamos dar os parabéns ao Sonic pelos 22 anos da sua grande franquia. Aliás, a minha franquia favorita do mundo dos games, diga-se de passagem.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

E O GIGANTE ACORDOU?

            

Nunca pensei que viveria para um dia ver isso.
É impressionante, fantástico ver o povo brasileiro indo às ruas protestando, exigindo do governo. Muito bom. Não é só porque não vivemos mais numa ditadura (será que não?) que não precisamos protestar. Sou à favor que o povo mostre a sua cara na rua contra os abusos do governo.
Já poderiamos até desconfiar do que vinha por aí quando nossa presidente foi vaiada no estádio Nacional de Brasília (Mané Garrincha) na Copa das Confederações. O povo lá parecia não estar se deixando levar pela euforia da Copa do Mundo. Cada um de nós pode fazer um top 10 dos reais motivos destes dias memoráveis. O que começou como um protesto em São Paulo pelo aumento da passagem dos coletivos juntou-se a outros temas como os serviços precários de saúde, os altos investimentos na estrutura para a Copa do Mundo de futebol e os escândalos de corrupção, como essa famigerada Pec 37 que quer tirar a autonomia do Ministério Público para investigar e punir os envolvidos em corrupção. Para terem uma idéia, esta medida só funciona em três países (Uganda, Quênia e Indonésia).
Apesar de apoiar a manifestação, vou deixar algumas ponderações. As cenas de violência e vandalismo por parte de várias pessoas não pegou nada bem. Felizmente a maioria dos manifestantes são gente de bem que inclusive exigem de seus pares um movimento pacífico e sem confrontos com as autoridades. O outro ponto é que o movimento é visivelmente apartidário, mas, ao que parece, a esquerda está sendo atacada pela esquerda, por parte de certas cenas que presenciei. Tal fato não me impressiona em nada. É historicamente comprovado. Espero estar errado quando penso no país caminhando para o totalitarismo. Mas quero deixar uma coisa clara, não sou de direita e muito menos de esquerda. 
Mas é verdade que o povo brasileiro cansou de ouvir há uma década que tudo está indo de bem a melhor. Cansou de engolir essa corrupção e aceitá-la por nos tirar do patamar de um país subdesenvolvido. Cansou de ver os seus hospitais e escolas aos pedaços, enquanto estádios suntuosos são erguidos da noite para o dia.
Muito bem, povo brasileiro, vamos à luta, mas não se esqueçam de honrar o seu grito de revolta nas próximas eleições e não deixar mais o país nas mãos de pessoas corruptas e incompetentes. Que estes questionamentos sirvam para estimular o Brasil a ser o país da educação e não apenas o país do futebol. 
Até logo.

terça-feira, 18 de junho de 2013

DE VOLTA ÀS AULAS


Voltei a estudar faz pouco tempo. Os últimos anos foram de puro trabalho duro. É esquisito voltar a estudar depois de tanto tempo forçando os mesmos assuntos dentro da cabeça. Vocês sabem, aqueles mais exigidos pela profissão. E agora que volto a estudar, tenho a oportunidade de aprender coisas novas. 
Lembro que, quando era criança, minha maior vontade era ser professor. Quando eu dizia isso, todos zombavam de mim. E o pior é que com o tempo comecei a achar que tinham razão e que estaria destinado a ganhar uma miséria de salário pelo resto da vida. Mas hoje voltei a estudar justamente porque voltei a desejar seguir essa carreia. Claro que pretendo ser um professor universitário, além de seguir minha profissão atual. Voltar a estudar me trouxe muitas recordações, o que me estimulou a criar este novo post. 
Desde os meus 4 anos de idade até a oitava série estudei na mesma escola. Essa foi a melhor fase da minha vida. Como era bom ser criança. Como diria o poeta, que saudade da aurora de minha vida, da minha infância querida. Eu poderia não ser um modelo a ser seguido, era superestudioso, comportado, tinha as melhores notas da classe, mas em compensação era muito tímido, sem entusiasmo, me isolava e nunca tomava partido de nada. Hoje que conheço o mundo de verdade, percebo que ter as primeiras qualidades não ajudam muito quando estes defeitos vem junto com o pacote.
Deixando as bobagens de lado, vou falar de umas minhas mais queridas lembranças da infância. O lugar onde as crianças passam a maior parte dos seus dias. 


O colégio! Sim, tenho muito boas lembranças dele. O CNEC de Campo Grande em Cariacica ES foi onde estudei. Era apelidade de "Padre" porque foi fundado na década de 60 pelo padre José Carlos Barbosa e os professores eram em sua maioria padres, mas no tempo isso já havia mudado, todos nossos professores eram leigos. Mais uma prova de que não estou tão velho.
Era legal estudar numa escola que ficava na mesma cidade onde eu morava, não precisava pegar ônibus ou carona para ir lá. Hoje isso é uma das muitas desvantagens que conheci. Quando comecei a ir à escola sem a companhia da mãe ou do pai, foi lá pela terceira série, acho que o ano era 1992. Eu acordava às 6 horas da manhã e ia com o meu irmão que era da quarta série. No caminho sempre encontrvamos amigos e íamos juntos. Eram dois caras que estudavam com o meu irmão na mesma classe. Tinha um bem nerdão, para os padrões da época, claro, mas eu demorei bastante para chegar no nível dele. O vício nerd dele eram os filmes de terror. Lembro que ele até apelidava a menina valentona da turma de Jason (o de Sexta feira 13)! Gente fina ele. O outro era o suspeito, voz fina, educado, mas cheio de frescuras e tal. Nessa época eu ainda não entendia certas coisas, mas quando meu irmão me contou como ele estva na faculdade, minhas suspeitas de anos atrás foram sanadas. Não quero fazer piadas sobre tal fato, vão pensar que este blog é homofóbico! Ele também era gente fina.
Eu não tenho muita idéia de como está a segurança do bairro hoje, mas, naquele tempo, a manhã era uma verdaddeira maratona. Mesmo estando em grupo de cinco ou até seis pessoas, nós éramos aboradados por um grupo de pijetes, perguntando horas (para ver a marca do relógio, claro), ou exigindo o nosso dinheiro. Perdi a conta de quantas vezes corri ou me escondi dentro de uma loja. Acho que as coisas mudaram ou parecem ter mudado porque cresci.
Ainda falando dos amigos, eu lembro que tinha uma turma bem louca com quem estudei. Os maiores palhaços (e palhaças) da cidade deveriam estar estudando lá. No bom sentido é claro.



Como trabalho em Campo Grande, às vezes passo por lá. Olhando do lado de fora, não parece ter mudado muito, mas por estas imagens que eu consegui, pelo visto eles se informatizaram. Quando estudei lá só tínhamos um laboratório de informática michuruca.
E os funcionários. O coordenador do turno vespertino era o Zenóbio. Lembro que morria de medo do cara, diziam que ele era muito rigoroso e o escambau, mas o cara era a maior figura do colégio inteiro! Interrompia as aulas de língua estrangeira para bater papos em inglês ou até em outros idiomas com a professora na frente da classe, sempre usava uma gravata e um "celular" que mais parecia um tijolo pendurado na cintura. Não, não riam. Nessa época eles eram assim mesmo. Estamos nos anos 90, malditos jovens do reggae! Ele foi um dos caras mais inteligentes eque já conheci. Por onde andará hoje? De manhã o coordenador era o Gilson, eu nem imaginava que esse cara era o professor de Filosofia da turma do 2ª grau quando eu estudava de manhã. Ele foi o Gilson Tonto (uma paródia do Sílvio Santos) na época das gincanas que o colégio fazia. que saudade das gincanas!
Lembrei agora dos porteiros. De tarde era o Biscoito e não, eu nunca soube o nome verdadeiro dele. E, o mais hilário, descobri muito depois que ele virava o capeta quando alguém o chamava por esse apelido. Ainda bem que eu nunca conversei com ele. Falaria esse nome e me daria mal. De manhã o porteiro era o Tio Chico. Super humilde e gente boa, trabalhador. Infelizmente soube que ele faleceu não fazem tantos anos. Descobri uma comunidade no Orkut feita por estudantes do CNEC para homenageá-lo. Têm alguma dúvida da importancia que esse senhor teve em nossas vidas e na história da nossa escola?
Os professores, ah, que figuras eu conheci. Poderia falar de todos eles aqui, mas o post ficaria extenso demais. Poderia falar de Pgneu da Matemática, Cesar da Geografia, , Euzinha de Português, Dilza, Ildefonso, Carlos, Rosemary, mas acho que farei um post futuro para falar sobre os melhores deles. Talvez no dia dos professores.



Essa foto acima foi feita em 2008. Pena que não esteja mais assim hoje por causa das reformas. Essa é a escadaria em frente da igreja, que logo se tornará um santuário. Eu gostava muito de ficar nessa escada quando a aula terminava cedo. Aqui aconteceram alguns dos melhores momentos da minha vida. Foi aqui que eu gostei de uma menina e (ao menos assim acredito) ela também gostou de mim. Pena que não levei isso adiante. Ser tímido é foda! Aqui eu também vinha meditar quando as coisas não estavam dando certo para mim. E também vinha zoar com os colegas quando a aula terminava cedo em semanas de provas em Julho. Enfim, tinha um valor sentimental muito grande. Espero que o santuário vá reconstruí-la.
O melhor de estudar naquela época era a certeza de que no final tudo ficaria bem. Com muito estudo e esforço, as dificuldades eram vencidas. Já nos dias de hoje, o estudo e todo o nosso esforço às vezes não garantem nossa vitória. A incerteza é algo que sempre nos acompanha. Mas isso não quer dizer que podemos desanimar. Estudar e se esforçar ao máximo ainda é preciso e muito!

O hino do meu colégio era muito bacana. Lembro que nós sempre o cantavamos juntos, assim como o hino nacional, antes de entrar na sala de aula, quando ainda era criança e estudava de manhã cedo. Felizmente encontrei algo para postar aqui. Confiram.

           

Fala sério! Incrível, não é? Até hoje essa música arrepia.

Bem, vou ficando por aqui. Prometo que trarei posts mais interessantes depois destes devaneios saudosistas. Para os próximos meses estou planejando especiais sobre quadrinhos e desenhos antigos. Então eu volto quando estiver tudo pronto. Até a próxima.

Comentem!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

ESPECIAL KINNIKUMAN




Iniciando mais um post atrasado. Mas este provavelmente é o último caso. Planejado também para o mês passado, hoje falaremos de Kinnikuman, um anime muito conhecido, mesmo aqui no Brasil, graças a exibição de sua série animada mais recente pela 4kids anos atrás, tendo sido chamada por estas bandas de Músculo Total (Ultimate Muscle para os yankes). Ainda que o anime que todos viram tenha sido uma versão editada e devidamente censurada pelos norte americanos. Eu, por outro lado, conheci primeiro a série clássica dos anos 80 através da internet que sempre disponibilizou vídeos e o mangá traduzido para o inglês. Eu nunca tive uma TV paga.
Kinnikuman é um mangá criado pela dupla Yoshinori Nakai e Takashi Shimada, conhecidos pelo pseudônimo Yudetemago. O que começou como uma paródia do Ultraman tornou-se a história de um super-herói atrapalhado chamado Kinniku Suguru que deve ganhar um campeonato de luta livre para defender o título de príncipe do planeta Músculo. Os brasileiros conhecem melhor o seu filho Kinniku Mantaro que estrelava a série que passou na 4kids.
O mangá foi publicado na Shonen Jump desde Maio de 1979, ganhando sua primeira série animada em 1983 (com bem menos sangue e decaptações do que sua versão em quadrinhos, mas ainda assim com combates mais brutais do que um DBZ) e ainda é um sucesso estrondoso no Japão e no mundo. Kinnikuman foi um dos mangás responsáveis pela popularização do estilo shonen e contém toda a essência dos mangás de luta, que infelizmente vem perdendo muito da qualidade com o passar dos anos, antes com heróis mais durões e menos certinhos. Bom, deixando o desabafo para algum post futuro, vamos homenagear  este fantástico mangá de luta com um top 15 especial com os personagens mais legais da primeira série, a minha favorita.


Número 15
Akuma Shogun

Esse carinha foi um dos vilões mais poderosos de toda a série e também um dos personagens mais interessantes. Akuma Shogun era originalmente um dos reis do mundo celestial, seu nome original era Goldman, o deus da guerra. Ele constantemnet vivia em conflitos com seu irmão mais novo, Silverman. Até que numa dessas batalhas, em que ambos utilizavam espadas, acabaram decaptando-se mutualmente (foda). Sua alma ficou confinada na Golden Mask que trajava. Anos mais tarde, aliou-se ao rei do submundo, Satan (não o do DBZ, o próprio), que lhe deu um novo corpo, em troca de serví-lo. Macabro, mas Kinnikuman tem muito disso, apesar de parecer ser comédia pura em alguns momentos. 
Akuma Shogun tem um corpo praticamente invulnerável, além de ser quase impossível ferí-lo, já que não passa de uma armadura fazia. Talvez seu único ponto fraco seja sua cabeça, que apresentou sinais de dor e sangramento na luta contra Kinnikuman e Buffaloman.
    



                         

Esse cara era um verdadeiro exército de um homem só. Quando conheci a série pensava que ele fosse o "último chefe". Pois é, tem gente ainda mais forte que esse cara!




Número 14
Sunshine

Originário do Peru, Subshine é um dos comuns e peculiares tipos que vemos no anime/mangá. De fato, ele é aparentemente feito de pedras, seu corpo lembra um típico santuário Inca e ele pode fragmentar o seu corpo tornando-se areia. Sunshine é legal pelo seu estilo de luta mais variado. Apareceu no começo também como vilão, mas depois teve seu momento de redenção, descobrindo a honra e a amizade, deixando os Cavaleiros do Zodíaco orgulhosos tô zoando).
Sunshine pode ser mais conhecido do público brasileiro por sua aparição na série Músculo Total, velho e com um tapa-olho, que até hoje intriga muita gente. Como alguém feito de pedra e areia perde um olho? Vai ver o os desenhistas acharam que seria style.




                          

Não é o vídeo original feito para a série, mas vá lá, essa música é animal. Essa é a luta mais foda do Sunshine, que foi contra o Geronimo.




Número 13
The Big Budo

O mundo de Kinnikuman é dominado pela existência de lutadores chamados Choujins. O personagem título e todos os demais pertencem a essa"raça" de seres que superam em muito os humanos. Existem Choujins na Terra e em outros planetas, como é o caso de Kinnikuman. Dentre os Choujins existem aqueles que superaram em muito as forças dos demais ao ponto de não encontrarem mais lutadores capazes de enfrentá-los. A solução foi então se refugiarem no céu. Onde permanecem em combates eternos, desafiando até mesmo os deuses. Eles sãos os Perfect Chpujins. Assim é Big Budo. No passado foi conhecido como um ser poderoso chamdo Rei Netuno que dominou todos os torneios Choujins, entretanto ele abandonou os torneios porque os combates deixaram de ser uma luta até a morte e tornaram-se um espetáculo comercializado. Ele entrou em hibernação no rio Tamisa, até que foi despertado por um Choujin chamado Kenkaman, que mais tarde tornou-se Neptuneman. Juntos eles conspiraram para que as lutas voltassem as suas raízes sangrentas. 




                           

MAGNET POWER!!!!




Número 12
Neptuneman

Esse cara era demais. Muito fodão. E vejam, ele não é a cara do Hulk Hoogan? E não é uma simples coincidência. Neptuneman foi um Choijin da Inglaterra conhecido como Kenkaman. Ele era tão poderoso que não encontrava oponentes capezes de competir com ele. Mesmo Robin Mask parecia fraco perto dele. Foi então que ele, desiludido por não encontrar alguém que pudesse derrotá-lo, tentou cometer suicídio atirando no rio Tamisa. Mas foi lá que acabou despertando o Rei Netuno, que lhe falou das glórias do passado e os comabtes mortais. Facinado, Kenkaman decidiu aliar-se a ele, que o rebatizou Neptuneman e lhe entregou uma máscara que lhes dá o poder sobre o Magnet Power, uma força magnética que vem da própria Terra e aumenta suas forças muitas vezes.




                         



Na última fase do anime, na luta pelo trono do planeta Músculo, ele se alia a Kinnikuman. 


                          




Fala sério, cara. Demais essa fase. Foi mesmo a melhor de todas. O final foi previsível, mas a história compensou e as lutas nem se falam. Os aniomes daquela época eram os melhores.




Número 11
The Ninja

Um ninja que luta usando jutsus? Desculpe, Naruto, mas Kinnikuman já tinha isso muito tempo antes. Também foi introduzido na história como um vilão e depois tornou-se aliado. 
Ele entrou para este top porque também é personagem mais diferente em seu estilo de luta, não valendo-se apenas dos comandos de luta livre, mas também do ninjutsu.




                           

A música parece meio infantil, mas essa luta é uma das mais brutais da série e foi bem anemizada no anime.




Número 10 
Ashuraman

Ashuraman é um dos personagens mais sinistros da série. Ele tem seis braços e três rostos intercambiáveis! Também foi visto inicialmente como um vilão e príncipe do Makai, o reino dos demônios. Ele consegue regenerar os seus braços roubando os do oponente (sim, bizarrisse é pouca nesta série) além de parecer ter o poder sobre os elementais.




                           

Demais, né. Ainda mais sendo o personagem dublado por um dos maiores gênios da dublagem, o saudoso Daisuke Gori.




Número 9
Buffaloman

O espanhol Buffaloman (sim, espanhol, mesmo que na Espanha não existam búfalos) também é introduzido na história como um vilão que mais tarde torna-se herói. Isso é uma grande tendência na série. Ele é conhecido por ter um estilo de luta dos mais brutais, contando com sua gigantesca força física e seu poder Choujin concentrado em seus chifres, chamados de Long Horns. Fez um pacto com Satan, em busca de mais poder e, apesar de realizar o seu desejo, veio a perder al luta contra Kinnikuman. Não é mesmo seguro negociar com o capeta. Mas isso só mostra como a versão bovina de André the Giant é macho. Além de anganar o capeta, ainda voltou a vida e deu a volta por cima, virando um cara do bem.




                           

Tema sinistro, hein.
PS: no mangá, pelo menos, esse cara é careca. Isso aí é uma peruca (?). Quer dizer que ele trocou o cabelo crespo por um liso na série que passou no Brasil? Vai saber.





Número 8
Prince Kame Hame

Os velhos são realmente os melhores nos animes. E isso foi desde sempre. Prince Kame Hame (talvez um antepassado do mestre Kame?) é um Choujin veterano residente nos Estados Unidos, mas que veio originalmente do planeta Coconuts. É considerado um deus pelo povo havaiano ao chegar a Terra. Na sua primeira aparição ensina suas técnicas para Kinnikuman ser capaz de derrotar seu rival Jesse Mavia, mais tarde ele une-se ao herói na saga Dream Choujin Tag Arc, usando o disfarce de Kinnikuman Great. Mesmo depois da morte ele continua treinando e aconselhando os jovens Choujins. O cara é foda mesmo! 




Número 7
Kinniku Ataru 

O irmão mais velho de Kinnikuman, deixou seu planeta natal muitos anos atrás, aborrecido com o estilo espartano no qual viveu desde a infância. Para mim ele é o mais forte de toda a série. Ele só perdeu para o Phoniex (o "último chefe") por uma conveniência do roteiro. É o tipo de personagem que mais admiro, sempre fazendo o que é certo, sem parecer hipócrita. Esteve acompanhando o crescimento do seu irmão às escondidas desde o princípio, esperando ve-lô desenvolver a verdadeira força de um Choujin.





Número 6
Ramenman

Ramenman não é apenas um dos melhores lutadores desta série, mas um dos melhores da história dos animês. Ele é tão sinistro que volta a vida depois de ser lobotomizado (!) e sobrevive mesmo depois de ter seu coração varado duas vezes na mesma luta. Acha que exagero é pouco? Ramenman era um dos lutadores mais brutais no começo da série, onde mata Brockeman numa cena histórica (no anime "anemizaram" a cena. Ele não deu o fatality do Jhonny Cage, mas em compensação tranformou o oponente em macarrão e o comeu eu acho). É conhecido também por ser um homem muito sábio e honrado. Tão popular e top que chegou a ganhar uma série de anime só para ele.




                            

Esteriótipos. Essa série tem aos montes.





Número 5
Brocken Jr

Por falar em esteriótipos, eu acredito em esteriótipos positivos e negativos. Kinnikuman está cheio de esteriótipos negativos. É o caso de Brocken Jr, alemão e... nazista. Mas ainda assim um dos personagens mais populares da série e queridos. é mesmo um dos meus favoritos. Apareceu pela primeira vez na série para vingar a morte de seu pai Brockeman, que foi morto por Ramenman. Mas depois disso ele decidiu esquecer sua vingança e trilhar um novo caminha. De fato, diferente de seu pai, Brocken Jr nunca foi um bom nazista. Seus golpes especiais estão entre os mais emblemáticos da série como o Berlim akai no ame.
Vocês devem estar pensando: esse cara me lembra algém? Seria o Bison/Vega de Street Fighter? 
Isso mesmo e não deve ser coincidência, a Capcom copiou muita coisa de Kinnikuman na hora de conceber seus persongens como por ezemplo Honda, que parece muito com Rikishiman, ou Zanguief, que parece um tipo de mistura de Kinnikuman com Mike Haggar.




                              


Talvez a intenção do autor era que Brockeman fosse visto como o nazista verdadeiro, enquanto Brocken Jr tornaria-se o alemão atual. É escândolo para nós vermos uma pessoa boa e honesta como Brocken Jr, fazendo o bem mas ainda mantendo um uniforme típico e suásticas nazistas. Por isso mesmo, Kinnikuman foi proibido na França, um dos paízes que mais sofreram com a invasão nazista.


Hail Bocken! Hail Brocken! 





Número 4 
Terryman

Choujin dos Estados Unidos. Seguindo o estereótipo, é texano, popular e só pensa em dinheiro, isto só no começo da série. Terryman mudou, quem diria, ao ver Kinnikuman, auém que ele tanto desprezou em ação. Kinnikuman não se importava com o que as pessoas pudessem lhe pagar, ele sempre as protegia e as salvava do perigo. Terryman mudou suas convicções devido a força de vontade e fé do seu rival.
Terryman tornou-se o maior exemplo de superação do anime/mangá. Ele salvou Kinnikuman de ser baleado por Kinkotsuman e acabou tendo uma perna amputada. Mas essa deficiência não o afastou do ringue. Ele de fato figura entre os mais poderosos heróis da Terra.
As das lutas de Terryman são algumas das mais emocionantes da série. Ele é tão bruto que consegue lutar sem uma perna e dois braços. Tô falando série! Vejam a sua luta contra Ashuraman e entenderão. 





                           

Terryman foi baseado no lutador Terry Funk. Muito legal os Estados Unidos serem representados por um cowboy, afinal os ingleses são representados por um cavaleiro real e os japoneses por um Ultraman bizarro.





Número 3
Robin Mask

Robin Mask no início da série é o atual campeão dos torneios Choujins e era tido como o mais poderoso. Tudo isso mudou após ser derrotado por Kinnikuman, ser esilado da Inglaterra e a morte de sua esposa. Robin Mask tornou-se amargurado e obsecado pela derrota de Kinnikuman. Por isso viajou pelo mundo em busca de alguém para quem pudesse ensinar suas técnicas e enfrentasse seu rival por ele. Suas viagens o levaram para a União Soviética, onde encontrou e treinou Warsman. Mas esse novo confronto com Kinnikuman mudou novamnete Robin Mask, que decidiu reconstruir a sua vida, agora sem o desejo de se vingar.
Robin Mask é um típico cavalheiro inglês, masi tarde na série ele mostra ser capaz de atos de puro altruísmo para salvar seus companheiros, mesmo que para isso tenha que entregar a sua vida. Foi assim quando lutou até a morte para que Kinnikuman pudesse recuperar o trono do planeta Músculo.




                         

Robin Mask também foi dublado por Daisuke Gori, sua voz é mesmo inconfundível. É a mesma voz do Mr Satan em Dragon Ball Z e Heihashi Mishima em Tekken.





                         

Essa foi a última luta de Robin Mask na série. Mesmo sem entender nada de japonês, essa cena emociona. Detalhe: ele venceu o homem mamute do vídeo sem usar os braços e pernas!





Número 2
Kinnikuman

O nosso grande herói Kinnikuman. Super forte, mas covardão, excêntrico, burro e, acima de tudo, escroto. Acredito que ele tenha dado origem ao típico protagonista cheio de traumas, que parece que vai carregar o estigma de perdedor pela vida inteira, mas que um dia descobre ter um grande poder e supera aos poucos todas as suas dificuldades. Esse é um conceito que com o tempo passou a ser utilizado à exaustão nos animes e tornou-se um tanto irritante. Mas ainda assim vejo personagens assim muito inspiradores para todos nós.
Kinnikuman nasceu no planeta Músculo, príncipe do seu mundo natal, caiu na Terra quando bebê, num dia que seu pai, o rei Mayuri, o confundiu com um porco! Com uma trágica origem dessas, quem diria que Kinnikuman tornaria-se um dos maiores heróis da história do Japão!





                           

Uma curiosidade: Kinnikuman é dublado pelo lendário Akira Kamiya, que faz as vozes de Ryo Saeba de City Hunter e Kenshiro (sim, ele mesmo) de Hokuto no ken.





Número 1
Geronimo

Aqui é um caso perfeito onde um esteriótipo pode ser usado de forma bem positiva. Também representado os Estados Unidos, temos um índio Apache e ele se chama Geronimo. Demais esse cara!
A criação e o conceito do personagem teve como base o Gerônimo história e a cultura e religião dos povos indígenas da América do Norte, o que é muito interessante já que é um tema bem pouco explorado.
Entrou no torneio sem o poder de um Choujin, mas valendo-se da sua habilidade e magia ainda venceu o poderoso Sunshine. Depois disso, passou por um teste de passagem do seu povo e tornou-se um Choujin.





                            

Esse cara é hardcore. Ele consegue fazer o coração, que parou dirante a luta, voltar a bater, o apertando com a mão! Pena que teve poucas lutas durante a série.

Posição suprema
Warsman

E a maior colocação de todas vai para o russo, ou melhor, soviético Warsman. Sem dúvidas o meu favorito. Warsman é um Robo Choujin, um tipo de ciborgue. E como tal, teve uma infância muito triste e sofrida em sua terra natal, principalmente devido ao seu rosto assustador. Mas, apesar de ser maltratado e hostilizado pelos outros, ele sonhava em crescer e tornar-se um defensor do povo soviético. De certa forma foi o que aconteceu, mas Warsman e outros Choujins daquele país eram usados pela KGB como armas vivas em sua guerra contra aqueles que se opunham ao governo comunista. Afinal, estavamos em plena Guerra Fria.
A vida de assassinatos e perseguições de Warsman mudou quando ele conheceu Robin Mask, que o acolheu como seu discípulo. Ele é responável por alguns dos combates mais brutais da série, como o em que eviscera Pentagon, o que decapta Teacupman e o da famosa lobotomização de Ramenman.
Ele também passa a integrar o time dos heróis após essa fase. É muito carismático e também com certeza serviu de inspiração para personagens de outras mídias.





                              

Eu acho que o Vega do Street Fighter pegou um pouco do estilo de luta dele (máscara e garras, além de ataques aéreos).
O seu conceito lembra um pouco o Omega Red na Marvel Comics, não é.







Pra finalizar, um jogo feito por fãs japoneses. O melhor feito por fãs sem dúvida e melhor do que muita coisa que se vê em matéria de fighting games ultimamente.





          

Se não me engano, não é um jogo tão difícil de se baixar. Já o tive uma vez, mas perdi tudo com um problema no computador, se não mandaria os links.


Até a próxima!