sexta-feira, 22 de abril de 2016

PERSONAGENS MARGINALIZADOS DOS VIDEOGAMES

 
Variedade é o muito importante para um videogame. Eu não suporto o típico  jogador que só escolhe Ken ou Ryu e só faz exatamente a mesma coisa durante todas as partidas.
 
Todos os personagens merecem uma chance, especialmente aqueles que se alienaram por sua aparência, sua fraqueza ou suas habilidades "únicas".

Aqui estão alguns dos personagens marginalizados dos videogames. Talvez você goste de alguns deles:

 
Dhalsim
 
Todos os jogos de luta têm a sua ovelha negra, e muitas vezes mais de uma.
Street Fighter tem Dhalsim. Mas foi difícil escolher entre ele e o Zangief, embora já tenha conhecido jogadores que se arriscavam com gigante russo. Há uma piada bem velha que diz que se você zerar o Street Fighter II com o Dhalsim ou o Zangief na última dificuldade, acontece um encerramento especial em que a Chun-li aparece tomando banho pelada naquela banheira do cenário do Honda.
Quem escolhia o Hindu? Ninguém. Ele era MUITO lento, seus golpes especiais não eram lá muito eficazes, e ainda seus braços e pernas se esticavam por metade da tela, deixando-o muito vulnerável a contra-ataques como shoryukens por exemplo.
A verdade é que a Capcom sentia tanta pena do Dhalsim e do Zangief, que nos jogos posteriores deu-lhes uma nova chance, melhorando muito de seus movimentos.
E Dhalsim é um caso especial. Em alguns jogos ele ficou muito mais ágil e destrutivo, tornando-se um verdadeiro fetiche entre os jogadores mais hardcores.
 
A inspiração definitiva para a concepção de Dhalsim foi o personagem Yoga Master de O Mestre da Guilhotina Voadora, filme de artes marcais de 1976.
E Dhalsim agora retorna em Street Fighter V. A Capcom trouxe o seu grande "Yoga Master" no esplendor do seu poder e com um design que parece uma versão envelhecida do personagem do filme no qual ele se inspirou, com direito a barba e turbante.
O Dhalsim ancião talvez veio para suprir a falta que o Gen faz ao jogo.

 

 
Liu Kang

Explico-me...
O Liu Kang ao qual me refiro é àquele presente na primeira versão do game Mortal Kombat.
Grandes tempos foram os anos 90. A estreia de Mortal Kombat rendia matérias não apenas nas praticamente extintas revistas especializadas em videogames, mas também em telejornais, devido a polêmica da violência extrema presente no jogo, com golpes que derramavam sangue e ainda a possibilidade de matar o seu inimigo no final da luta com um movimento especial chamado Fatality, a marca registrada do jogo.
Dentro do ainda limitado, porém marcante elenco de personagens, você poderia escolher entre uma dupla de ninjas, uma loira gostosa com roupa de aeróbica, um projeto de Jean-Claude Van Damme, um tio esfaqueador, um agricultor de arroz que na verdade é o deus do trovão, e um Bruce Lee badass.
Parece fácil dizer qual seria a sua primeira escolha, mas não era bem assim.
Liu Kang não era nem um pouco carismático, seus golpes não eram lá muito inspirados e ainda por cima ele tinha um Fatality que nem parecia Fatality.
Mas felizmente a Midway mudou isso a partir de Mortal Kombat 2. Nesta versão, Liu Kang é finalmente um personagem digno de Bruce Lee, e ainda ganhou um dos Fatalities mais marcantes da história do jogo, transformando em um dragão devorador de gente.
 
Comecei Mortal Kombat pela sua segunda versão, e ver a situação de Liu Kang quando arrisquei conhecer a primeira versão do jogo foi realmente um choque.
Grande parte dos jogos de luta tem seu próprio Bruce Lee (Street Fighter tem Fei Long, Worl Heroes tem Kim Dragon, Tekken tem Marshall Law...), e Liu Kang é certamente o melhor de todos.



 
Jigglypuff
 
O Pokémon redondo, rosa e de olhos grandes, de longe o mais fraco de toda o elenco de Super Smash Bros. Cantar não é o mais útil dos movimentos para um lutador. A música do Jigglypuff afeta o inimigo fazendo-o cair no sono, e ele vai acordar antes do Pokemon poder fazer qualquer coisa.

Com seu outro movimento, Jigglypuff rola pelo chão como uma bola de boliche, que muitas vezes pode sair pela culatra e o personagem acaba caindo para fora da plataforma de luta, "Rest" é um movimento muito difícil de usar com eficiência sem ficar ferido, e "Destroyer" tem um alcance muito limitado. Para piorar a situação, Jigglypuff voa pelo cenário com qualquer golpe minimamente poderoso que venha a receber do adversário.

Com tanta coisa em contrário, não é de estranhar que este Pokemon tornou-se um fetiche para alguns jogadores, um desafio para testar as suas habilidades.
 
                             

No YouTube você pode encontrar muitos vídeos de jogadores que realizam proezas incríveis com Jigglypuff.


 
Cell Juniores e Saibamen
 
Secundários de ínfima categoria em Dragon Ball Z e presença garantida em todos os jogos da série. Eles são pequenos, seus golpes não são fortes e o seu número de magias e combos é muito limitado. No entanto, eles cumprem os seus deveres e por isso merecem respeito.

Sua baixa estatura pode ser uma vantagem fundamental na luta, já que muitos hits podem falhar contra eles.

Em Budokai, o controle dos personagens é tão uniforme e as suas habilidades estão tão pouco personalizadas que se ignorarmos as estatísticas de força ou de vitalidade, há pouca diferença entre escolher Broly ou Saibaman...

Yamcha que o diga!

Tá, talvez possa ter exagerado.


 
O anão de The King of Dragons
 
O mítico beat'em up de ambientação medieval fantástica da Capcom também tem o seu personagem repudiado. Talvez isto seja muito subjetivo e varie da experiência de cada um, mas eu nunca vi ninguém escolhendo o anão inútil. Bem, na verdade eu já vi alguns o escolherem, só para depois morrerem e nunca mais nem pensarem em voltar a fazer isso novamente.

O seu machado tem um alcance muito curto, e o anão também não se destaca por sua força, ou por sua quantidade de vida. Devo admitir que para este pobre, nem eu ousaria dar-lhe uma chance. Sempre escolhi os magos e os cavaleiros em quase todos os jogos do estilo, incluindo este.



 
Natalya
 
Para um homem que atrai algumas dos mulheres mais atraentes e também mais inteligentes na profissão espionagem, James Bond desta vez realmente não se saiu muito bem, ganhando a atenção da programadora Natalya.

Considerada amplamente como a coisa mais irritante de GoldenEye 007, Natalya constantemente fica no caminho dos tiros e de todos os perigos, e ainda caminha muito lentamente. Ela sempre arruma uma maneira de atrapalhar e estragar as nossas missões, é preciso ter muita paciência. É uma experiência bem ingrata mesmo.

E se ser irritante já não fosse suficiente, o fator beleza também deixa um pouco a desejar. Tudo bem que estamos falando de um game antigo, mas convenhamos que esses polígonos e essa fotografia como rosto já não agradavam muito mesmo naquela época.


 
Bowser

Bowser é um grande personagem, carismático como poucos vilões dos videogames. Neste caso, refiro-me ao Bowser dos primeiros Mario Kart's, especificamente Super Mario Kart e Mario Kart 64, onde não era possível escolher o veículo e o rei dos Koopas estava limitadíssimo por seu excesso de peso.

Junto de Bowser poderia incluir Donkey Kong Jr e Donkey Kong, que tinham o mesmo flagelo. Sim, os corredores pesados são aqueles com maior velocidade máxima, mas de que serve isso se você não pode controlar e eles colidem e deixam a pista constantemente? Era quase impossível chegar a velocidade máxima nos primeiros jogos. A Nintendo melhorou isto nos últimos títulos da franquia, mas nos primeiros era um inferno.

Quer um desafio? Tente terminar com Bower o Mario Kart: Super Circuit em 150 cc.
 


 
Voldo
 
Nem tem absolutamente nada para elogiar em Voldo de Soul Calibur.
Em Soul Calibur você tem como opções jogar com samurais, ninjas peitudas exterminadoras de demônios, piratas zumbis, e ainda há a possibilidade de jogar com reconhecidas figuras da cultura pop como Darth Vader. Mas dentro disso tudo ainda há Voldo...
Ele é um dos lutadores mais reconhecidos de Soul Calibur, mas seus ataques e movimentos são tão ruins quanto estranhos, como aquele em  que "abraça" seu adversário como uma cobra.
O seu design também não é dos melhores. Ele parece um ceguinho, sadomasoquista com problemas de libido.
A reação mais comum de qualquer uma pessoa que veja Voldo em ação pela primeira vez é cair na gargalhada. Já vi isso acontecer centenas de vezes.

Mas apesar disso tudo, Voldo é provavelmente o personagem mais popular da série.
Voldo é simplesmente assustador, pura e simplesmente. Uma criatura rastejante que é tão mortal quanto é estranha. Embora eu pessoalmente não o recomende como a melhor das escolhas para uma partida de Soul Calibur.



Como uma opinião mais pessoal, odeio Chang e Choi, personagens inúteis do KOF que estão presentes em todas as edições do jogo. Um só sabe pular e o outro é lentão e vulnerável. O KOF é mestre em apresentar personagens que só servem para completar os seus times de 3 ou 4 lutadores, e que acabam tornando-se marginalizados como estes dois já citados, os esquecíveis como Foxy e Hinako.

 
Conhece mais algum marginalizado em videogame? Deixa nos comentários.