quinta-feira, 16 de novembro de 2017

MINHA OPINIÃO SOBRE ESTERIÓTIPOS LATINOS

Dizem por aí que os estereótipos são apenas generalizações, e muitas outras vezes não passam de mentiras. Embora existam alguns exemplos de juízos verdadeiros, na grande maioria das vezes os estereótipos não passam de preconceitos da sociedade.
Como eu já escrevi em uma das mais antigas postagens do blog (ESPECIAL KINNIKUMAN), alguns estereótipos podem ser ridículos, mas também podem ser muito divertidos. Alguns deles certamente nos fazem rir bastante. E nesse sentido, o estereótipo não é bom, mas também não é de todo mal, uma vez que existe o estereótipo negativo e o estereótipo positivo. É um assunto interessante porque, além de causar risos, ainda pode gerar reflexões sobre a nossa sociedade e nossos preconceitos.
Eu sou latino, e se você está lendo este blog, muito provavelmente é um latino também. Deixo claro antes de prosseguirmos, eu tenho orgulho de ser latino. Amo as nossas origens, a nossa cultura, nossas músicas e nosso folclore. E infelizmente sinto que estão tentando roubar a nossa identidade.
Eu amo ser latino. E hoje vou apresentar alguns estereótipos latinos presentes em representações da cultura pop, que persistem principalmente pela influência dos Estados Unidos, e são propagados sobretudo por Hollywood. Ainda darei minha opinião e tentarei refutar alguns deles.
 
 
 
Estereótipo nº 10
Todos os latinos usam sombreiro e sarape

Estes tipos de vestimentas que tiveram muita popularidade na época da Revolução Mexicana seguem marcando os latinos nos Estados Unidos até os dias de hoje.
E embora este vestiário tenha sido usado apenas em certas regiões da América Latina, os norte-americanos parecem crer que tais vestimentas, o sombreiro e o sarape (também chamado de poncho), são peças fundamentais do guarda-roupas de um latino, apesar de já terem se passado mais de 100 anos desde a revolução.



 
Estereótipo nº 9
Somos grandes amantes

A imagem de que os homens latinos são apaixonados, sedutores e perigosos tem sido alimentada principalmente graças a história do cinema norte-americano.
Tudo isso é verdade?
Creio que nunca saberemos.
O que não se pode negar é que o carisma, a atitude e o estilo dos homens latino-americanos nos tornam muito atrativos para os olhos dos norte-americanos.


 
 
Estereótipo nº 8
Somos preguiçosos
 
Sem dúvida esta é a pior das acusações e ofensas que podem fazer a nós latinos. Não porque desprezamos todos os estereótipos, mas sim porque isto de sermos preguiçosos não passa de uma grande e vil mentira!!
Só para se ter uma ideia, a Organização para a Colaboração e Desenvolvimento Econômico conta com estatísticas que demonstram que nossos hermanos mexicanos são os trabalhadores com o maior número de horas laborais ao ano. E são números que as grandes nações como o Japão e os Estados Unidos estão muitíssimo longe de alcançar.
Mesmo os norte-americanos, propagadores destas mentiras, invejam o vigor que nós brasileiros temos para nos dedicarmos ao nosso trabalho, sem, entretanto, nos tornamos escravos dele. 


 
 
Estereótipo nº 7
Apenas na Espanha se fala espanhol
 
Não é muito estranho se escutar na América do Norte que no México se fala "mexicano", que na Argentina se fala "argentino", e que no Brasil se fala "brasileiro" (LOL). Pode ser engraçado, mas obviamente isto também nos causa muita frustação.
O idioma Espanhol é cerca de 500 anos mais antigo do que o Inglês. O Espanhol é uma das línguas mais importantes do mundo, e o segundo lugar no número de falantes, e já foi apelidado como o "idioma para falar com deus" (foda).
 
Estatísticas:
 
1º - Chinês . . . . 1000 milhões
2º - Espanhol . . 400 milhões
3º - Inglês . . . . . 360 milhões
4º - Hindi . . . . . 260 milhões
5º - Árabe . . . . . 250 milhões
 
Entretanto, devemos admitir que o Português e o Espanhol variam dependendo do seu país de origem. Sim, o nosso Português é um Português completamente diferente do Português de Portugal. E mesmo dentro do Brasil há diferenças muito marcantes na forma de se falar. Em localidades da região Norte, como em São Luiz do Maranhão por exemplo, o Português falado é belo como o Português do século XVI.
 

  
 
Estereótipo nº 6
Somos bons dançarinos
 
Certamente um norte-americano ficaria muito surpreso ao descobrir que existe um ou outro latino com dois pés esquerdos. E embora tenhamos uma grande fama na pista de dança, nem todos nós nascemos para bailar. 
Esta crença parece ser alimentada pelo nosso Carnaval, ou talvez pela ideia de que todos nós na América Latina só dançamos Salsa, e assim se crê que este seja o único gênero latino.
Será que nunca ouviram falar do Tango, do Mambo, do nosso Samba, ou mesmo do internacional Reggaeton?



 
Estereótipo nº 5
Todos nós comemos tacos e só bebemos tequila
 
Muitos norte-americanos acreditam que só comemos tacos e bebemos tequila.
NÃO! Também bebemos vinho, cachaça, caipirinha, conhaque, aguardente, cerveja, uísque (os mais metidos de nós) e até água (às vezes).
Mesmo a tequila não é uma bebida tão consumida no México quando comparada ao consumo de outras bebidas alcóolicas. E ainda assim os mexicanos são considerados pelos americanos como os maiores consumidores de tequila do mundo.

 
E quando falamos de comida, a verdade é que países da América Latina, como o México e o Peru, foram condecorados pela UNESCO graças a sua extraordinária gastronomia.


 
 
Estereótipo nº 4
Todos somos pobres
 
Se é certo que existem muitas regiões marginalizadas na América Latina, também é certo que muitos latinos trabalham em cargos muito bem remunerados em seus respectivos países, se não em todo o mundo.
Este estereótipo foi propagado principalmente com a ajuda de Hollywood, em cujos seus filmes ou séries é muito frequente vermos latinos como jardineiros, empregados domésticos ou atendentes de caixa. Quando na verdade nos Estados Unidos existem latinos trabalhando em setores de seguridade pública, educação e saúde.


Ricardo Montalbán com a belíssima
Esther Williams.
Este saudoso ator mexicano é um dos
mais icônicos da história do cinema
norte-americano. Já foi o anfitrião
da Ilha da Fantasia e ainda enfrentou o
Leslie Nielsen e o Freakazoid! Quer mais?

Inclusive na terra do Tio Sam temos latinos que se converteram a atletas profissionais, atores, jornalistas, e a lista segue.


 
 
Estereótipo nº 3
A cor de nossa pele
 
Se tem sangue latino, então deve ser moreno. Esta parece ser a ideia que têm muitos norte-americanos. Eles parecem duvidar de que nós latinos podemos ter qualquer um tom de pele.
Os norte-americanos parecem ignorar que personalidades como Alexis Label, Linda Carter e Francisco Muñiz têm fortes raízes latinas. Tanto assim como Eva Mendes, Sofia Vergara e Eva Longoria.
O brasileiro é um povo mestiço. Ao contrário do que aconteceu com os colonizadores da América do Norte, na América Latina foram incentivados os casamentos entre as várias etnias. Compare o nível de miscigenação do povo brasileiro com o norte-americano. A diferença é surpreendente. Uma das mais belas particularidades do nosso povo.    
 


 
Estereótipo nº 2
Todos os latinos são imigrantes ilegais 
 
Existem muitas maneiras de se conseguir o "sonho americano", e alguns latinos que optaram por faze-lo de uma forma, digamos, menos convencional foram a minoria.
Lamentavelmente, a ideia nos Estados Unidos de que todo o latino é ilegal é algo alimentado por muitas pessoas na atualidade e até por seu próprio Governo. Pode parecer exagero, mas só o seu sobrenome já pode lhe causar problemas e perseguição na grande nação americana.
Para ser mais justo, - e essa é para todos aqueles que querem politizar tudo, mesmo nas conversas mais banais - problemas com a imigração ilegal não é algo recente na história dos Estados Unidos, como muitos gostam de acusar unicamente a atual gestão daquele Governo. A questão da imigração ilegal já atravessa muitas décadas, e foi confrontada por Governos administrados por presidentes de distintos posicionamentos políticos. Um assunto realmente delicado de se tratar.



Este presidente também tem um muro
de proteção! Atenção, isto foi
APENAS UMA PIADA de mau gosto.
 
Hoje em dia há quase 60 milhões de latinos legalizados nos Estados Unidos. E muitos sofrem discriminação e maus tratos devido a este estereótipo baseado em pura desinformação.
 


 
Estereótipo nº 1
LATINO NÃO É O MESMO QUE MEXICANO
 
Se há algo que pode ferir o orgulho de todos nós latinos por igual é que nos despojem de nossa identidade. E, para nossa desgraça, isto é algo que acontece com bastante frequência na América do Norte. Se você fala Espanhol ou tem a pele morena, automaticamente é mexicano.


Robbie Reyes, o ótimo  Motoqueiro Fantasma latino de
Agentes da Shield.
 
É uma verdadeira lástima que apesar de virmos de 20 belíssimos países onde se fala diferente, se come diferente, e se têm culturas e costumes diferentes, para eles todos somos mexicanos apenas por compartilhar a mesma língua. Sim, porque para muitos norte-americanos até no Brasil se fala Espanhol.
 

Mancha Solar, o mutante brasileiro que fala espanhol?
 
Após cumprir com o objetivo da postagem (escrever sobre estereótipos), encerro com uma "pequena" reflexão... Quem tirou de nós o orgulho de sermos brasileiros? O que mais vejo hoje no Brasil são latinos que odeiam ser latinos.
Há um movimento em nosso país, e já tomando conta do resto da América Latina, que visa apagar o nosso passado, roubar nossa identidade.

Não vejo os Estados Unidos como "um povo escolhido" para nos liderar como essa gente vê. Muito pelo contrário!! Além do mais, aquilo que se convencionou chamar de "democracia" pelos norte-americanos funciona apenas dentro do seu próprio país. Democracia esta que eles querem impor em qualquer lugar do mundo, mesmo que tenham que usar a força para isto. Os resultados estão aí. Vejam o desestabilizado Iraque, tomado por grupos terroristas, só para citar um exemplo.
E hoje você não pode apontar as verdades históricas e/ou criticar o "sacrossanto norte-americano". Porque se o fizer, você é socialista. Aí é foda, né.
Eu sei que vivemos um momento muito delicado para expor certas opiniões que podem desencadear julgamentos precipitados. Mas eu queria escrever sobre isso no meu blog, e não encontrei uma oportunidade melhor do que esta.

A América Latina enfrenta tantas dificuldades justamente por tentar emular o estilo da "democracia" norte-americana. Tornando-se cada vez mais pobre e perdendo sua identidade. A nossa submissão é muito clara desde a Proclamação da República. Os nossos políticos daquela época mesmo afirmavam "O que é bom para os Estados Unidos é bom para nós", mostrando como era evidente a sua subserviência.
Mergulhando ainda mais fundo na história, o historiador sueco Carl Grimberg (1875-1941) afirmou: "Os povos anglo-saxônicos foram os maiores beneficiados pela independência da América Latina".
Não é uma questão de defender ou atacar aquele governo ou aquela forma de governar. É uma questão de injustiça histórica. Vocês já devem saber o que acontece com aquele que não aprende com a sua própria história.

Há uma verdadeira campanha de ódio ao Brasil! Desde cedo somos bombardeados por propaganda (a mais poderosa das armas) que nos ensina a odiar a nós mesmos, a desprezar o nosso passado. Por mais que as mentiras venham aos poucos sendo refutadas, ainda há uma grande propaganda desta retórica. Os tão aclamados holandeses, por exemplo, saquearam o nosso país e ainda tentaram instituir um regime semelhante ao Apartheid que foi estabelecido na África do Sul. Imaginam o pesadelo que isso seria para nós brasileiros que sempre fomos um povo mestiço?

Quando você consegue convencer um povo de que ele não tem nada do se orgulhar, porque ele é naturalmente corrupto, que a sua história deve ser esquecida, seu legado cultural deve ser apagado, fica muito fácil para qualquer um governo se apresentar como um salvador quase messiânico e domina-lo. Eu não acredito mais em Governos!

O povo latino era é o povo mais solidário e generoso do mundo. Mas o que se vê hoje é uma extinção daquele sentido de comunidade tão comum do nosso povo. Parece que há a construção de uma sociedade baseada em meros interesses.
Antes, o dinheiro era um dos meios para crescermos como pessoas. Mas agora ele é o meio e o fim. Daí o grande egoísmo das pessoas na atualidade. É o acumular pelo acumular.
As pessoas não tem mais tempo para seus amigos, nem para seus próprios familiares.

Não é nostalgia. É verdade que já houve um tempo em que numa sexta-feira à noite, ou num sábado à tarde, você podia se reunir com os amigos e sua família na calçada da sua rua, conversar e rir alto sem medo de ser assaltado (Eu fazia tudo isso, mesmo sendo terrivelmente tímido). E ainda por cima o Brasil parece que está se desvinculando de tudo aquilo que ele era há pelo menos uns 50 anos.
Nossas raízes históricas são tão interessantes, tão únicas (A história da Península Ibérica é fascinante!), e eu nunca vi nada de semelhante em outro lugar. Procure pela verdade histórica documentada, você vai se impressionar.
Essa é função da história. Você não deve fechar os seus olhos para os problemas que enfrentamos hoje. Mas é em momentos de dificuldade que a história está presente para resgatarmos aquilo que perdermos. Para que possamos descobrir onde foi que erramos. Você precisa compreender porque as coisas são como são.

E abaixo aos incultos e ignorantes que não se preocupam em conhecer e estudar o seu próprio país, vivendo de panfletagem, e sonhando com um Brasil que não é o Brasil!