segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

PERSONAGENS LATINOS E HISPÂNICOS DOS ANIMÊS


2017 está terminando. E, para não deixar o blog em branco neste último mês do ano, adianto uma postagem do meu arquivo que seria publicada apenas mais a frente (Mas ainda servirá como um complemento para a postagem anterior). Escrever para mim é como uma terapia. Enfim...

Não é muito frequente vermos personagens latinos em animê, especialmente como personagens principais ou pelo menos parte do elenco de apoio. Embora México, Colômbia e Venezuela aparecem mais frequentemente, a América Latina é composta por muitas outras nacionalidades e muitas delas representadas em animê de uma forma ou de outra.


A cruz de Borgonha: um dos símbolos da hispanidade.

Precisamos antes de prosseguir esclarecer que esta definição de latino e/ou hispânico varia bastante. Segundo o censo americano, hispânico ou latino não incluiria os brasileiros ou os americanos com origens no Brasil, pois é específico para pessoas de "cultura ou origem espanhola". Entretanto, o U.S. Department of Labor permite que portugueses e seus descendentes, incluindo aqui os brasileiros, se declarem como hispânicos ou latinos se assim o desejarem, e essa escolha não pode ser contestada.
Já o U.S. Department of Transportation e a U.S. Small Business Administration incluem explicitamente portugueses e seus descendentes na definição de hispânico, pois Portugal faz parte da Hispânia, nome dado pelos romanos à Península Ibérica. Então seria burrice falar "portugalidade" para se referir aos portugueses porque todos estes povos, nós brasileiros inclusos, integramos a Hispanidade como um todo.


É por isso que decidi fazer uma lista para mencionar 10 personagens de animê que são latino-americanos e/ou hispânicos. Incluindo assim os personagens oriundos de países europeus. Os escolhidos são personagens importantes, muito fortes ou simplesmente memoráveis. Muitos deles heróis.

Esta é uma celebração de todos os latinos por igual. Aproveitem!



 
10º Lugar
Nadie (El Cazador de la Bruja)
 
Nadie é uma pistoleira e uma caçadora de recompensas do México. Ela mantém uma atitude otimista, mas é na realidade a única sobrevivente de um ataque a todas as pessoas de sua cidade natal.
Normalmente, ela é muito enérgica e sorridente, mas tem um temperamento pavio-curto e não tem paciência com os seus inimigos. Antes de matar seus oponentes, Nadie tem o hábito de dizer: "Se você tem algumas últimas palavras, diga-as agora".
Nadie é um ás com sua Colt 45 e, trabalhando para Hayward, ela acompanha Ellis em sua jornada, como sua guarda-costas. Ellis tem poderes especiais mistificadores e é procurada por um assassinato que supostamente cometeu. Nadie se aproxima muito de Ellis e está disposta a fazer qualquer coisa por ela.
 

 
 
9º Lugar
Sado Yasutora (Bleach)
 
Sado Yasutora (ou Chad) não se parece com os outros personagens de Bleach. Isso é porque ele é meio mexicano! Durante a série, Chad mostra que ele é mais forte do que a maioria pode imaginar e parece ter um poder especial inato que se desenvolve de forma bastante rápida. Ele tem velocidade, força e resistência sobre-humanas, pode suportar a ataques muito fortes e tem uma grande quantidade de poder espiritual. Seus poderes têm nomes espanhóis como Buraso Direcha del HiganteEl Directo e La Muerte.
Embora ele não seja 100% mexicano, Chad tem várias características latinas já que cresceu com seu avô, que ele chama de "abuelo" (avô em espanhol), no México. Ele é mais alto e musculoso do que seus amigos, tem a pele escura, lábios cheios, cabelos ondulados e parece mais velho do que ele realmente é. Chad também usa uma moeda mexicana ao redor de seu pescoço, que é lembrança de seu avô Oscar Joaquín de Rosa.

Eu gosto de Bleach! É uma obra divertida, mesmo com seus muitos problemas, que qualquer uma outra obra tem. E alguns deste problemas estão justamente em seus personagens principais. Eles são pouco interessantes.
Os personagens mais interessantes de Bleach são aqueles que menos aparecem na obra (Aizen, Os Capitães das Divisões da Soul Society, os Espadas, etc).
Chad, faz parte do elenco principal da obra, embora apareça tão pouco, e seja tão mal aproveitado. Mas, para mim, ele é o único protagonista com uma história de fundo mais interessante e envolvente em Bleach. Sim, ele é um personagem muito melhor do que Ichigo ou Ishida!

Chad é parte de um dos animês mais populares  de todos os tempos e é um personagem principal muito interessante. É por isso que ele merece um lugar nesta lista.
 


 
8º Lugar
Corazon (One Piece)
 
Corazon, Oh Corazon.

One Piece está repleto de personagens incríveis, marcantes, inesquecíveis. E muitos deles, mesmo aparecendo apenas em flashbacks, entregam ainda mais profundidade às histórias dos personagens centrais.

Antes de prosseguirmos, vale alguns esclarecimentos para justificar a aparição deste personagem.
Eu sei que One Piece não se passa no "mundo real". Quero dizer, o mundo de One Piece não está estabelecido como o nosso mundo. Os países presentes na obra são fictícios, sendo simplesmente inspirados em localidades reais. E ainda há regiões "mitológicas" dominadas por criaturas fantásticas e poderes mágicos.
Porém, o mangaká Eiichiro Oda deixou claras as origens e nacionalidades às quais os personagens de seu animê/mangá pertenceriam. E é óbvio que Donquixote Rosinante, o Corazon, e seu irmão (o vilão Donquixote Doflamingo) são personagens de origem hispânica. 

Voltando agora ao personagem que ocupa o 8º posto desta postagem...
Corazon foi um personagem que me marcou profundamente. Não muito tempo atrás, antes mesmo de apenas começar a debater se poderia ou não adicioná-lo à lista (devido a dúvida inicial sobre sua origem hispânica), senti que era uma obrigação real falar sobre o personagem.
Corazon era um personagem tão amável, e foi incrível como o animê reproduziu a empatia que ele tinha pelo jovem Trafalgar Law. Você era capaz de sentir o sentimento paternal que ele desenvolveu por aquela pobre criança doente que já havia mesmo aceitado sua própria morte e chorava sozinho, de uma forma ainda mais envolvente do que no próprio mangá (que já havia sido muito bem escrito). O animê não teve medo de expressar aquela sua empatia por Law.
Corazon estava em lágrimas por uma criança que ele ajudou em todos os sentidos. Ele desviou-se de sua missão como um agente duplo da marinha e investigando cada passo do bando pirata do seu irmão, protegendo Law. E não teve medo de engolhir seu orgulho e dizer que o amava, mesmo parecendo um grande idiota.
Mas, agora que penso nisso, ele nunca tive um orgulho muito forte. Corazon cuidava de Law e nunca pensou em si mesmo. Embora ele tenha lutado apenas por Law, ele nunca demostrou isso. E no final ele foi morto pelo seu próprio irmão por traição.

Corazon nos fez rir e chorar. Nunca vamos esquecê-lo.


 
 
 7º Lugar
Alfredo Gonzales (Hajime no Ippo)
 
Alfredo Gonzales, o boxeador peso-pena e primeiro oponente mexicano e a segunda pessoa a conseguir derrotar Ippo (o protagonista deste animê/mangá  tão inspirador quanto Rocky Balboa) em um ringue de boxe. 
As pessoas de sua cidade natal e ao redor de todo o México, acreditam que ele será o próximo Campeão do Mundo na divisão WBA.
Semelhante a outros personagens da série, Alfredo cresceu nas favelas de uma cidade mexicana onde se envolveu com lutas de rua. Ao olhar para as partidas de Ricardo Martinez, ele viu como este incrível lutador ajudou as pessoas ao interagir com a multidão mais do que outros boxeadores. Ricardo tornou-se a luz que ajudou Gonzalez a se tornar o que ele é agora.
Gonzalez sempre esteve procurando por "uma luz" para guiá-lo. Ele foi apresentado ao boxe em uma idade jovem por seu treinador. Ele lutou duas partidas do título mundial contra Ricardo, mas perdeu, com sua segunda luta levando-o mais longe desde que voltou a usar seu estilo de luta original. É então que ele vem para o Japão para lutar contra Ippo em um desafio preliminar do título mundial. Após sete rodadas, Alfredo superou com sucesso Ippo e assegurou o seu terceiro título mundial com Martinez.
 
Alfredo Gonzales merece uma posição nesta lista porque além de ser mais um personagem latino de destaque em um animê/mangá, é um personagem que sentimos sua evolução dentro da obra, e inspira a todos nós.
 
 
 
 
6º Lugar
Aldebaran de Touro e Shura de Capricórnio (Saint Seiya) 
 
Saint Seiya tem uma boa cota de personagens latinos: Io de Scylla é chileno, Niobe de Deep é boliviano, Daidalos de Cefeu (o poderoso mestre de Shun de Andrômeda) é argentino, e por aí vai.
Agora falemos dos dois principais representantes latinos e hispânicos desta obra: Shura de Capricórnio é Espanhol e Aldebaran de Touro é BRASILEIRO!

Guerreiros superiores, honrados com as sagradas armaduras de ouro, pertencendo portanto a classe mais elevada na hierarquia dos cavaleiros defensores da deusa Athena, dominando plenamente o 7º sentido, sendo capazes de se moverem a velocidade da luz, e dominando habilidades especiais com poder de destruição desde o nível atômico.

Acho que isso já diz muito...

Shura de Capricórnio é um dos mais poderosos cavaleiros de ouro, e possui o poder da espada sagrada Excalibur. É o cavaleiro mais devotado a justiça e aquele que reconhece o seu erro de trair Athena e aliar-se ao Grande Mestre do Santuário, honrando Shiryu de Dragão com o poder da Excalibur e protegendo-o da morte com sua própria armadura.

Aldebaran de Touro por outro lado é um personagem muito fácil para você gostar e se identificar.
O mais forte, fisicamente falando, dos cavaleiros de ouro, é uma pessoa muito correta e generosa. Ele respeita os seus rivais e os testa para que eles possam alcançar o poder verdadeiro necessário para a batalha.
Ele é brasileiro, mas nunca foi revelado de qual lugar do Brasil especificamente ele possa ter vindo.
Pode parecer apenas especulação, mas tudo indicada que Aldebaran possa ter vindo de algum lugar da região Norte de nosso país.
Aldebaran de Touro, segundo especulações, pode ser natural de Belém do Pará!
 


 
5º Lugar
Pillar Men (Jojo's Bizarre Adventure)
 
Os vilões principais de Battle Tendency, o segundo arco do eterno mangá Jojo's Bizarre Aventure.

Mais uma vez, antes de prosseguir, preciso de uma rápida explicação do porquê da escolha destes personagens...

Pillar Men (Homens do Pilar) não são humanos, mas seres imortais pertencentes a uma raça de um tipo de deuses-vampiros astecas. Obviamente os Homens do Pilar vieram de algum lugar da América Latina. Provavelmente o México.

Kars, o líder dos Homens do Pilar, no intuito de vencer a fraqueza que os vampiros têm pela luz do Sol, criou a Máscara de Pedra, um artefato mágico que deu a Dio Brando (O vilão da primeira e terceira partes do mangá) os seus poderes vampirescos.
Kars é semelhante a Dio no que diz respeito a sua inteligência e a sua obsessão real pelo poder. A diferença é que Kars é um vilão um pouco mais "profundo". Ele revoltou-se contra a sua própria raça. Sentia-se rejeitado por seus semelhantes por ser, digamos, "diferente". 
Nunca se viu no mesmo nível de seus companheiros que deixaram o seu povo junto dele. E Kars dificilmente admite quando comete algum erro. É indiscutivelmente um dos personagens mais fortes de Jojo's Bizarre Adventure, sobretudo quando ele se transforma na "forma de vida perfeita". 
Kars deve ser o personagem mais fabuloso de Jojo's Bizarre Adventure, que caso não saiba, é uma série muito viril e fabulosa.

Apesar de falar tanto sobre Kars, devo admitir que o Pillar Men mais marcante para mim é certamente aquele mais viril deles: Wham.

Wham é incrível. Não apenas por sua força e poder. Mas principalmente por ser acima de tudo um guerreiro que preza a honra e valoriza o seu adversário.
Em sua luta final contra Joseph Joestar, ele perfura os próprios olhos, cegando-se, e tornando sua luta mais dramática. E, após ser vencido, mesmo tendo sua cabeça decepada e seu corpo pulverizado, ele ainda tem forças suficientes para proteger seu rival Joseph (!!!) dos seus aliados vampiros que tentaram assassiná-lo após o final do combate.
Joseph garante para Wham uma morte tranquila e presta o seu respeito... 

MASCULINIDADE! 



 
4º Lugar
Carlos Rivera (Ashita no Joe)
 
Do épico e imortal mangá Ashita no Joe, Carlos Rivera é um boxer oriundo da Venezuela que foi classificado como # 6 no mundo. Chamado de "rei sem coroa", porque o campeão do mundo ficou com muito medo de enfrentá-lo em uma partida.
Ele foi convidado para o Japão por Shiraki Yoko para ajudar Joe a se recuperar. É muito descontraído e amigável fora do ringue. Tem uma tendência a brincar com seus oponentes para tornar suas lutas mais excitantes, atraindo-os para uma falsa sensação de confiança de que possam vence-lo. E então, ele mostra porque é chamado de "Terror venezuelano".
De acordo com o que o seu treinador Harry Robert revelou quando perguntado pela mídia, a razão pela qual Carlos brinca com os seus oponentes é porque, quando ele fica sério, ele quer que seus oponentes o desafiem. Carlos também não tem medo de cometer faltas se a situação assim o exigir.

Independentemente dos seus motivos e apesar de mostrar algumas tendências maliciosas, em sua maior parte, ele é uma pessoa muito boa. A cena em que ele fica como uma criança quando vê a neve pela primeira vez demonstra muito de sua personalidade divertida e contagiante.
Carlos pode ser um playboy carismático, mas ele não acha que o seu ranking no mundo é apenas para exibição.
 
 
 
 
3º Lugar
Michiko Malandro (Michiko to Hatchin)
 
Embora o universo em Michiko to Hatchin seja imaginário, ele é claramente baseado no Brasil! E todos os seus nomes estão em português. Ao que parece, o Japão já tem uma noção mais apurada do que realmente é o povo brasileiro, depois de nos representar como Blankas da vida.

Agora, você conhece Michiko?

Essa menina é sem dúvida brasileira!

Michiko é uma super-latina que não se confunde. Ela é uma criminosa procurada que acabou de fugir da prisão e resgata Hana Morenos de sua família adotiva abusiva.

Outra latina como personagem principal! Essa beleza de pele negra tem tudo o que uma protagonista de animê precisa: ela é forte, inteligente e incrivelmente SEXY.

Na verdade, ela é conhecida como a "diva sexy". Michiko escapou da prisão mais de uma vez e, no momento mais recente, ela está em posse de uma motocicleta e uma arma para resgatar Hana, não importando quem fique em seu caminho. Ela é uma latina sexy, apaixonada e implacável com um grande coração.

Michiko definitivamente ganhou seu lugar nesta lista.
 
 
 
 
2º Lugar
Roberta Rosarita Cisneros (Black Lagoon)
 
Não deixe essa carinha linda enganá-lo. Roberta é um assassina colombiana que foi treinada pela milícia cubana e agora trabalha como empregada da família Lovelace. (Muito bom, os latinos podem fazer qualquer coisa!).
Ela é muito mais forte do que parece; é incrivelmente rápida e tem instintos sobre-humanos. Uma vez que ela passou vários anos de treinamento, é especialista em várias artes marciais, ataques secretos e pode manejar vários tipos de armas com muita facilidade. Roberta é capaz de feitos impressionantes, quase sobre-humanos. Ela pode atirar com o lançador de granadas usando apenas uma mão!

Além de ser uma fera selvagem, Roberta também é muito leal ao mestre e ao filho dele. Ela ama o pequeno Garcia e vive para protegê-lo com tudo o que tem.

A personagem de Roberta parece estar baseada em El Mariachi interpretado por Antonio Banderas. 

E ela é tão selvagemente legal. Tanto que ganhou o seu próprio OVA: "Black Lagoon Roberta's Blood Tail"

Roberta merece a medalha de prata nesta lista por ser tão incrivelmente foda!
Uma das melhores e mais marcantes personagens femininas!


 
 
1º Lugar
Buffaloman (Kinnikuman)
 
E o ser digno o bastante para receber a medalha de ouro nesta lista para personagens latinos ou hispânicos é obviamente o Akuma Choujin mais sinistro e forte do clássico animê/mangá Kinnikuman.

E claro que estou falando de Buffaloman, a "versão bovina de André the Giant".

Buffaloman é espanhol, embora a dublagem americana de Músculo Total (O original Kinnikuman Nisei), que é quase uma redublagem zuada, tenha transformado o personagem em russo e inclusive lhe deram um sotaque ridículo (Felizmente não reproduzido em nossa dublagem).
Se alguém souber o motivo da mudança, me informe...

Como a maioria dos personagens deste fantástico animê/mangá que é quase uma declaração de amor à luta-livre e aos seus icônicos personagens, Buffaloman é um ex-vilão.
E não deixe o exagero capilar enganá-lo, é peruca. Buffaloman é calvo. Pertencente a um povo de homens com características taurinas, Buffaloman já era um lutador muito poderoso originalmente. Mas conseguiu um poder muito maior (Na casa dos 10 milhões na escala Choujin) após rezar para Satã.
...

Imaginem algo foda assim passando na TV de hoje.
Se a torcida organizada do Mr. Satan em Dragon Ball Z (SATAN, SATAN, SATAN, SATAN, SATAN...) já incomodou os fanáticos religiosos desocupados, imaginem o que causaria um personagem abertamente Satanista. Com certeza daria merda! (Lembrando que mesmo o inocente Digimon Frontier, com seus pequenos Digiescolhidos "recebendo" Digiespíritos, deixou estes mesmos desocupados em polvorosa).

Após o seu pacto com o Diabo, cada vez que derrota um inimigo, Buffaloman ganha um nova cicatriz, o que é bastante estranho. E mais estranho ainda é que são cicatrizes vivas que também podem tomar o corpo de seus inimigos.

Buffaloman era um homem de fortes ideais. E acima de tudo honrava a sua palavra, nunca voltando atrás em suas decisões. E foi por isso que ele salvou o seu inimigo ao custo de sua vida, após ser derrotado pela primeira vez por Kinnikuman.
Voltando a vida, Buffaloman se redimiu de seus crimes e aos poucos foi revelando muitos outros traços de sua personalidade, como a valorização da amizade e do companheirismo.
A sua devoção por Kinnikuman foi tamanha que ele, quase morto após a luta contra os Perfect Choujins, permitiu que seus chifres fossem amputados para que fossem fundidos em um único osso que foi transplantado para o braço de Kinnikuman, decepado naquela batalha, permitindo que este fosse reconstruído!

Mas este não seria o fim de Buffaloman...


 
 
Hors Concours 
Monkey D. Luffy (One Piece)
 
Sim, meus amigos! Há um personagem que merece um prêmio especial nesta lista. Acima de todos os demais!
Mokey D. Luffy talvez não seja o seu personagem favorito desta lista, mas ele é sem dúvidas o mais impressionante de todos! Afinal, ele é o herói/protagonista principal de One Piece, o animê/mangá de maior sucesso no mundo, e, segundo o mangaká Eiichiro Oda, Luffy é BRASILEIRO!

Eu gosto muito de One Piece! É uma obra fantástica! Mas reconheço também alguns problemas que a obra enfrenta: Ela é infinita (Já está muito difícil continuar acompanhando) e tem milhares de personagens, sendo que alguns deles, os melhores de toda a obra (Shanks, Mihawk, Dragon, Akainu, Barba Negra...), raramente aparecem...

Mas voltando ao nosso herói Monkey D. Luffy...
O autor do mangá já admitiu que se One Piece se passasse no mundo real, Luffy não seria "apenas um rapaz latino-americano", ele também seria brasileiro.
O que posso dizer sobre isso?

FODA!

Luffy rejeita todos os estereótipos de um brasileiro, ao mesmo tempo que abraça a todos eles.
Ele é simples, humilde, um pouco ingênuo, divertido. Gosta de beber e comer bem. E acima de tudo é um cara muito festivo. Ele tem aquele tipo de alegria que os gringos certamente imaginam que todo o brasileiro tem.

E ele é um "pirata do bem". Ele não partiu para o mar para matar, saquear, ficar podre de rico... Não! Ele partiu para o mar porque estava atrás da verdadeira liberdade!
A jornada de Luffy me ensinou muitos valores sobre amizade e a importância da família (A família que você escolhe!). E o personagem nos transmite muitas lições sobre força de vontade e enfrentar os medos.

Monkey D. Luffy. Como brasileiros todos nós nos orgulhamos deste personagem.

Não é de se estranhar que uma mente tão criativa e inteligente como a de Eiichiro Oda tenha uma visão tão positiva do Brasil. Afinal, os japoneses construíram a imagem dos brasileiros através de figuras icônicas do esporte como Ayrton Senna (Tenho um pôster com o carro dele no meu quarto) e Zico (Algum flamenguista lendo?)!

E isso pode significar que talvez os estrangeiros tenham uma visão mais positiva do Brasil do que os próprios brasileiros.
O brasileiros tem o hábito de colocar-se voluntariamente em uma condição de inferioridade em comparação com o resto do mundo. Isto é algo que o grande escritor Nelson Rodrigues chamou de "Complexo de Vira-latas".


Nelson Rodrigues (1912-1980)

Os brasileiros precisam mudar e ter orgulho de si. Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil. E realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todos os lugares do mundo têm seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Tenho nojo deste complexo!

Em minha pós-graduação conheci gente de muitos lugares do mundo (Em sua maioria cientistas que amam trabalhar com os brasileiros), e eles me garantem que o Brasil tem uma reputação invejável no exterior, mas os brasileiros parecem ser cegos para tudo, exceto para o lado negativo. Sem deixarem de mencionar também que é deprimente o endeusamento aos Estados Unidos como um modelo de sociedade. Existe um exagero na idealização dos americanos, e um exagero na rejeição ao Brasil pelos próprios brasileiros.
O Brasil passa por um momento complicado e realmente não tenho uma solução de fato imediata para o problema, mas obviamente, se os brasileiros tivessem um pouco mais orgulho da sua própria identidade, este país seria muito melhor. Só ficar falando merda de sua própria nação e do seu povo não vai resolver nada!
Estes que passam a imagem negativa do Brasil para o exterior não têm o direito de se queixarem de preconceito quando visitam outros países, afinal eles contribuíram com o estereótipo.
Não se deixe enganar. O Brasil é um país rico, e tem tudo para dar certo. Nossos grandes obstáculos foram o roubo de nossas raízes e estes sucessivos desgovernos que enfrentamos. E parte de nosso subdesenvolvimento devesse, ironicamente, as potências endeusadas pelos brasileiros, potências estas que tiraram de nós estas nossas raízes.
 
É como se vivêssemos um segundo processo de colonização, mas agora por imposição "cultural".
Vejam, nos dias de hoje um homem é muito mais valorizado pelo tamanho de sua carteira e pelo novo iPhone ostentado por ele. Este é o novo tipo de valor que estamos importando.

É preciso lutar contra o complexo de vira-latas!
Como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impondo suas crenças e cultura.
Os brasileiros são vítimas de vários crimes contra a pátria. E os mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar nossas raízes culturais.

 
E esta foi a lista dos personagens latinos e hispânicos em animê. Claro que há mais personagens latinos em animê. Eu escolhi estes porque eles têm papéis principais, poderosos ou memoráveis ​​de alguma forma. Existem países que aparecem com mais frequência, como o Brasil, a Colômbia e o México, mas existem outros países que ainda são pouco citados em animê, como o Equador e a Guatemala apenas para citar alguns.
Espero que tenham gostado desta celebração do "animê latino"! Nos veremos em breve, amigos!
 
FELIZ NATAL!
BOAS FESTAS!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

MINHA OPINIÃO SOBRE ESTERIÓTIPOS LATINOS

Dizem por aí que os estereótipos são apenas generalizações, e muitas outras vezes não passam de mentiras. Embora existam alguns exemplos de juízos verdadeiros, na grande maioria das vezes os estereótipos não passam de preconceitos da sociedade.
Como eu já escrevi em uma das mais antigas postagens do blog (ESPECIAL KINNIKUMAN), alguns estereótipos podem ser ridículos, mas também podem ser muito divertidos. Alguns deles certamente nos fazem rir bastante. E nesse sentido, o estereótipo não é bom, mas também não é de todo mal, uma vez que existe o estereótipo negativo e o estereótipo positivo. É um assunto interessante porque, além de causar risos, ainda pode gerar reflexões sobre a nossa sociedade e nossos preconceitos.
Eu sou latino, e se você está lendo este blog, muito provavelmente é um latino também. Deixo claro antes de prosseguirmos, eu tenho orgulho de ser latino. Amo as nossas origens, a nossa cultura, nossas músicas e nosso folclore. E infelizmente sinto que estão tentando roubar a nossa identidade.
Eu amo ser latino. E hoje vou apresentar alguns estereótipos latinos presentes em representações da cultura pop, que persistem principalmente pela influência dos Estados Unidos, e são propagados sobretudo por Hollywood. Ainda darei minha opinião e tentarei refutar alguns deles.
 
 
 
Estereótipo nº 10
Todos os latinos usam sombreiro e sarape

Estes tipos de vestimentas que tiveram muita popularidade na época da Revolução Mexicana seguem marcando os latinos nos Estados Unidos até os dias de hoje.
E embora este vestiário tenha sido usado apenas em certas regiões da América Latina, os norte-americanos parecem crer que tais vestimentas, o sombreiro e o sarape (também chamado de poncho), são peças fundamentais do guarda-roupas de um latino, apesar de já terem se passado mais de 100 anos desde a revolução.



 
Estereótipo nº 9
Somos grandes amantes

A imagem de que os homens latinos são apaixonados, sedutores e perigosos tem sido alimentada principalmente graças a história do cinema norte-americano.
Tudo isso é verdade?
Creio que nunca saberemos.
O que não se pode negar é que o carisma, a atitude e o estilo dos homens latino-americanos nos tornam muito atrativos para os olhos dos norte-americanos.


 
 
Estereótipo nº 8
Somos preguiçosos
 
Sem dúvida esta é a pior das acusações e ofensas que podem fazer a nós latinos. Não porque desprezamos todos os estereótipos, mas sim porque isto de sermos preguiçosos não passa de uma grande e vil mentira!!
Só para se ter uma ideia, a Organização para a Colaboração e Desenvolvimento Econômico conta com estatísticas que demonstram que nossos hermanos mexicanos são os trabalhadores com o maior número de horas laborais ao ano. E são números que as grandes nações como o Japão e os Estados Unidos estão muitíssimo longe de alcançar.
Mesmo os norte-americanos, propagadores destas mentiras, invejam o vigor que nós brasileiros temos para nos dedicarmos ao nosso trabalho, sem, entretanto, nos tornamos escravos dele. 


 
 
Estereótipo nº 7
Apenas na Espanha se fala espanhol
 
Não é muito estranho se escutar na América do Norte que no México se fala "mexicano", que na Argentina se fala "argentino", e que no Brasil se fala "brasileiro" (LOL). Pode ser engraçado, mas obviamente isto também nos causa muita frustação.
O idioma Espanhol é cerca de 500 anos mais antigo do que o Inglês. O Espanhol é uma das línguas mais importantes do mundo, e o segundo lugar no número de falantes, e já foi apelidado como o "idioma para falar com deus" (foda).
 
Estatísticas:
 
1º - Chinês . . . . 1000 milhões
2º - Espanhol . . 400 milhões
3º - Inglês . . . . . 360 milhões
4º - Hindi . . . . . 260 milhões
5º - Árabe . . . . . 250 milhões
 
Entretanto, devemos admitir que o Português e o Espanhol variam dependendo do seu país de origem. Sim, o nosso Português é um Português completamente diferente do Português de Portugal. E mesmo dentro do Brasil há diferenças muito marcantes na forma de se falar. Em localidades da região Norte, como em São Luiz do Maranhão por exemplo, o Português falado é belo como o Português do século XVI.
 

  
 
Estereótipo nº 6
Somos bons dançarinos
 
Certamente um norte-americano ficaria muito surpreso ao descobrir que existe um ou outro latino com dois pés esquerdos. E embora tenhamos uma grande fama na pista de dança, nem todos nós nascemos para bailar. 
Esta crença parece ser alimentada pelo nosso Carnaval, ou talvez pela ideia de que todos nós na América Latina só dançamos Salsa, e assim se crê que este seja o único gênero latino.
Será que nunca ouviram falar do Tango, do Mambo, do nosso Samba, ou mesmo do internacional Reggaeton?



 
Estereótipo nº 5
Todos nós comemos tacos e só bebemos tequila
 
Muitos norte-americanos acreditam que só comemos tacos e bebemos tequila.
NÃO! Também bebemos vinho, cachaça, caipirinha, conhaque, aguardente, cerveja, uísque (os mais metidos de nós) e até água (às vezes).
Mesmo a tequila não é uma bebida tão consumida no México quando comparada ao consumo de outras bebidas alcóolicas. E ainda assim os mexicanos são considerados pelos americanos como os maiores consumidores de tequila do mundo.

 
E quando falamos de comida, a verdade é que países da América Latina, como o México e o Peru, foram condecorados pela UNESCO graças a sua extraordinária gastronomia.


 
 
Estereótipo nº 4
Todos somos pobres
 
Se é certo que existem muitas regiões marginalizadas na América Latina, também é certo que muitos latinos trabalham em cargos muito bem remunerados em seus respectivos países, se não em todo o mundo.
Este estereótipo foi propagado principalmente com a ajuda de Hollywood, em cujos seus filmes ou séries é muito frequente vermos latinos como jardineiros, empregados domésticos ou atendentes de caixa. Quando na verdade nos Estados Unidos existem latinos trabalhando em setores de seguridade pública, educação e saúde.


Ricardo Montalbán com a belíssima
Esther Williams.
Este saudoso ator mexicano é um dos
mais icônicos da história do cinema
norte-americano. Já foi o anfitrião
da Ilha da Fantasia e ainda enfrentou o
Leslie Nielsen e o Freakazoid! Quer mais?

Inclusive na terra do Tio Sam temos latinos que se converteram a atletas profissionais, atores, jornalistas, e a lista segue.


 
 
Estereótipo nº 3
A cor de nossa pele
 
Se tem sangue latino, então deve ser moreno. Esta parece ser a ideia que têm muitos norte-americanos. Eles parecem duvidar de que nós latinos podemos ter qualquer um tom de pele.
Os norte-americanos parecem ignorar que personalidades como Alexis Label, Linda Carter e Francisco Muñiz têm fortes raízes latinas. Tanto assim como Eva Mendes, Sofia Vergara e Eva Longoria.
O brasileiro é um povo mestiço. Ao contrário do que aconteceu com os colonizadores da América do Norte, na América Latina foram incentivados os casamentos entre as várias etnias. Compare o nível de miscigenação do povo brasileiro com o norte-americano. A diferença é surpreendente. Uma das mais belas particularidades do nosso povo.    
 


 
Estereótipo nº 2
Todos os latinos são imigrantes ilegais 
 
Existem muitas maneiras de se conseguir o "sonho americano", e alguns latinos que optaram por faze-lo de uma forma, digamos, menos convencional foram a minoria.
Lamentavelmente, a ideia nos Estados Unidos de que todo o latino é ilegal é algo alimentado por muitas pessoas na atualidade e até por seu próprio Governo. Pode parecer exagero, mas só o seu sobrenome já pode lhe causar problemas e perseguição na grande nação americana.
Para ser mais justo, - e essa é para todos aqueles que querem politizar tudo, mesmo nas conversas mais banais - problemas com a imigração ilegal não é algo recente na história dos Estados Unidos, como muitos gostam de acusar unicamente a atual gestão daquele Governo. A questão da imigração ilegal já atravessa muitas décadas, e foi confrontada por Governos administrados por presidentes de distintos posicionamentos políticos. Um assunto realmente delicado de se tratar.



Este presidente também tem um muro
de proteção! Atenção, isto foi
APENAS UMA PIADA de mau gosto.
 
Hoje em dia há quase 60 milhões de latinos legalizados nos Estados Unidos. E muitos sofrem discriminação e maus tratos devido a este estereótipo baseado em pura desinformação.
 


 
Estereótipo nº 1
LATINO NÃO É O MESMO QUE MEXICANO
 
Se há algo que pode ferir o orgulho de todos nós latinos por igual é que nos despojem de nossa identidade. E, para nossa desgraça, isto é algo que acontece com bastante frequência na América do Norte. Se você fala Espanhol ou tem a pele morena, automaticamente é mexicano.


Robbie Reyes, o ótimo  Motoqueiro Fantasma latino de
Agentes da Shield.
 
É uma verdadeira lástima que apesar de virmos de 20 belíssimos países onde se fala diferente, se come diferente, e se têm culturas e costumes diferentes, para eles todos somos mexicanos apenas por compartilhar a mesma língua. Sim, porque para muitos norte-americanos até no Brasil se fala Espanhol.
 

Mancha Solar, o mutante brasileiro que fala espanhol?
 
Após cumprir com o objetivo da postagem (escrever sobre estereótipos), encerro com uma "pequena" reflexão... Quem tirou de nós o orgulho de sermos brasileiros? O que mais vejo hoje no Brasil são latinos que odeiam ser latinos.
Há um movimento em nosso país, e já tomando conta do resto da América Latina, que visa apagar o nosso passado, roubar nossa identidade.

Não vejo os Estados Unidos como "um povo escolhido" para nos liderar como essa gente vê. Muito pelo contrário!! Além do mais, aquilo que se convencionou chamar de "democracia" pelos norte-americanos funciona apenas dentro do seu próprio país. Democracia esta que eles querem impor em qualquer lugar do mundo, mesmo que tenham que usar a força para isto. Os resultados estão aí. Vejam o desestabilizado Iraque, tomado por grupos terroristas, só para citar um exemplo.
E hoje você não pode apontar as verdades históricas e/ou criticar o "sacrossanto norte-americano". Porque se o fizer, você é socialista. Aí é foda, né.
Eu sei que vivemos um momento muito delicado para expor certas opiniões que podem desencadear julgamentos precipitados. Mas eu queria escrever sobre isso no meu blog, e não encontrei uma oportunidade melhor do que esta.

A América Latina enfrenta tantas dificuldades justamente por tentar emular o estilo da "democracia" norte-americana. Tornando-se cada vez mais pobre e perdendo sua identidade. A nossa submissão é muito clara desde a Proclamação da República. Os nossos políticos daquela época mesmo afirmavam "O que é bom para os Estados Unidos é bom para nós", mostrando como era evidente a sua subserviência.
Mergulhando ainda mais fundo na história, o historiador sueco Carl Grimberg (1875-1941) afirmou: "Os povos anglo-saxônicos foram os maiores beneficiados pela independência da América Latina".
Não é uma questão de defender ou atacar aquele governo ou aquela forma de governar. É uma questão de injustiça histórica. Vocês já devem saber o que acontece com aquele que não aprende com a sua própria história.

Há uma verdadeira campanha de ódio ao Brasil! Desde cedo somos bombardeados por propaganda (a mais poderosa das armas) que nos ensina a odiar a nós mesmos, a desprezar o nosso passado. Por mais que as mentiras venham aos poucos sendo refutadas, ainda há uma grande propaganda desta retórica. Os tão aclamados holandeses, por exemplo, saquearam o nosso país e ainda tentaram instituir um regime semelhante ao Apartheid que foi estabelecido na África do Sul. Imaginam o pesadelo que isso seria para nós brasileiros que sempre fomos um povo mestiço?

Quando você consegue convencer um povo de que ele não tem nada do se orgulhar, porque ele é naturalmente corrupto, que a sua história deve ser esquecida, seu legado cultural deve ser apagado, fica muito fácil para qualquer um governo se apresentar como um salvador quase messiânico e domina-lo. Eu não acredito mais em Governos!

O povo latino era é o povo mais solidário e generoso do mundo. Mas o que se vê hoje é uma extinção daquele sentido de comunidade tão comum do nosso povo. Parece que há a construção de uma sociedade baseada em meros interesses.
Antes, o dinheiro era um dos meios para crescermos como pessoas. Mas agora ele é o meio e o fim. Daí o grande egoísmo das pessoas na atualidade. É o acumular pelo acumular.
As pessoas não tem mais tempo para seus amigos, nem para seus próprios familiares.

Não é nostalgia. É verdade que já houve um tempo em que numa sexta-feira à noite, ou num sábado à tarde, você podia se reunir com os amigos e sua família na calçada da sua rua, conversar e rir alto sem medo de ser assaltado (Eu fazia tudo isso, mesmo sendo terrivelmente tímido). E ainda por cima o Brasil parece que está se desvinculando de tudo aquilo que ele era há pelo menos uns 50 anos.
Nossas raízes históricas são tão interessantes, tão únicas (A história da Península Ibérica é fascinante!), e eu nunca vi nada de semelhante em outro lugar. Procure pela verdade histórica documentada, você vai se impressionar.
Essa é função da história. Você não deve fechar os seus olhos para os problemas que enfrentamos hoje. Mas é em momentos de dificuldade que a história está presente para resgatarmos aquilo que perdermos. Para que possamos descobrir onde foi que erramos. Você precisa compreender porque as coisas são como são.

E abaixo aos incultos e ignorantes que não se preocupam em conhecer e estudar o seu próprio país, vivendo de panfletagem, e sonhando com um Brasil que não é o Brasil!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

JACK KIRBY: ESTILO E INFLUÊNCIAS


No mundo dos autores de quadrinhos, há alguns poucos que podem ser considerados gênios. Autores que definiram as HQ's em um nível tão alto, que todos aqueles que vieram após eles, olharam para o seu trabalho para buscar inspiração.
Citando alguns nomes, temos Alex Toth, Stan Lee, Steve Ditko, Julius Shwartz, Carl Barks, Robert Crumb, Bob Kane, Bill Finger, Will Eisner, John Buscema, Harvey Kurtzman, John Romita Sr., Wally Wood, Milton Caniff, Doug Wildey, Harold Foster, Frank Miller, Alan Moore, Barry Windsor-Smith, Frank Ferzetta, Jim Steranko, Joe Kubert, Neal Adams e, o mais influente de todos os tempos, Jack Kirby.

Estamos no ano do centenário do lendário Jack Kirby (1917-1994), e ainda temos a chegada de Thor Ragnarok aos cinemas. Tudo isto foi o que me inspirou a preparar esta postagem. Uma vez que os mundos e cenários apresentados neste filme estão fortemente inspirados no trabalho de Jack Kirby. Embora, infelizmente esta deva ser mais uma incursão do deus do trovão no cinema que não me agradará (Mudar a história e certos elementos das histórias em quadrinhos do material de origem para uma adaptação cinematográfica é até perdoável, mas, no caso de Thor, certas mudanças afetam diretamente a essência da própria mitologia nórdica na qual o personagem foi inspirado, e isso sim é um atentado imperdoável!).

Considerado "O Rei", Jack Kirby levou as histórias heroicas para um nível totalmente novo. Ele estabeleceu um estilo que se tornou absolutamente onipresente. Com sua incomparável criatividade, imaginação e dinamismo, Kirby nos levou para lugares que nunca pensamos serem possíveis, que nunca pensamos que pudessem existir.


New Gods (A morte dos antigos deuses):
A imaginação de Jack Kirby era capaz de nos levar aos lugares mais incríveis.

A arte de Kirby era mais baseada em originalidade, enquanto a arte de muitos outros considerados também gênios era mais baseada no refinamento. Por isso compará-lo com outros grandes criadores de seu tempo não seria uma das tarefas mais fáceis. Falar sobre o estilo de Kirby não é apenas falar sobre a sua arte, mas também sobre o quanto ela influenciou e tornou-se única, tornando estes super-heróis fantasiados realmente "Supers!"  
Com isso dito, escrevo sobre seu trabalho dividindo-o analiticamente em sete categorias específicas: Contagem de histórias, Versatilidade, Dinamismo, Simplicidade, Imaginação, Produção e Influência.


 
Contagem de histórias

Esta é a categoria que separa um artista e um artista de quadrinhos. Para ser um grande artista de quadrinhos, você deve adaptar o roteiro do escritor e interpretá-lo através de arte e painéis (conhecida como arte sequencial). Quando se trata de contar uma história com arte, Jack Kirby é simplesmente o melhor dos melhores. Ele teve um olhar muito parecido com o de um diretor de cinema, mostrando exatamente o que é necessário no painel de quadrinhos para estimular o olhar e o subconsciente do leitor. Kirby foi extremamente influente em sua capacidade de contar uma história.


Quarteto Fantástico #51 (1966)

O Incrível Hulk #1 (1962)
 
 
 
Versatilidade
 
Kirby foi completamente versátil, e não há muito que ele não tenha sido capaz de desenhar. Teve tal talento que, na maioria das vezes, ele criou suas próprias interpretações de um assunto em particular. Foi um artista mais visceral que trazia impressões das coisas por conta própria. Acredite ou não, Kirby foi muito imaginativo, muito criativo e muito dinâmico!
Entretanto, em essência, sua versatilidade carecia de um detalhismo devido ao seu estilo, especialmente quando comparado a Alex Toth. Quando um desenho exigia algo mais concreto, Toth foi melhor devido ao seu estilo. A habilidade de Kirby era muito mais adequada para um livro de quadrinhos.



 
 Dinamismo

O dinamismo é bem marcado pelo exagero na arte de quadrinhos, e Kirby conseguiu aprimorar essa habilidade mais do que qualquer artista antes ou depois. Embora essa habilidade possa ter impedido o seu destaque na categoria acima (Versatilidade), é aqui que ele mais se destaca. Todos os painéis que Kirby desenhava (mesmo que os personagens estivessem de pé ou sentados) gritavam com eletricidade e movimento. Era quase como se a própria página não pudesse conter a arte devido ao poder desenfreado que ela irradiava. Foi com essa habilidade que Kirby fez seus heróis e batalhas de quadrinhos.



Tales of suspense #95 (1964)
 

Journey into Mystery #112 (1965)
 

Tales to Astonish #82 (1966)
 
 
 
Simplicidade
 
Onde Kirby se destaca por ser o artista mais dinâmico de todos, ser sutil não foi um dos seus pontos fortes. A simplicidade de vários criadores foi o que mudou toda a indústria da animação, porque não havia necessidade de um trabalho tão meticuloso. Kirby nunca foi simples, sua arte e perspectivas estavam em diferentes códigos de área. Às vezes, havia muita coisa acontecendo em um quadro e era difícil para o leitor captar tudo o que estava dentro dele, e eles tiveram que dar um passo atrás e olhar para ele por alguns minutos para identificar toda a informação nele contida. Como já dito em um exemplo acima, a arte de Toth era mais adequada para uma animação que projetou 90% dos cartoons de ação e aventura de Hanna-Barbera nos anos 60 e 70.
 

Kamandi #20

Etrigan, the Demon

Deve-se notar que, embora não tenham trabalhado juntos, Alex Toth redesenhou os personagens de Jack Kirby para animação de Hanna-Barbera do Quarteto Fantástico (1967). Este cartoon foi posteriormente adicionado ao World of Super Adventure (1980) de Hanna-Barbera. Esta foi uma combinação do "pacote" reexecutado de diferentes séries de desenhos animados de ação e aventura de Hanna-Barbera que originalmente funcionavam de 1966 a 1970. E Toth foi o responsável por projetar quase todos eles. Muitos de vocês devem conhecer, ou ao menos terem ouvido falar de Homem-Pássaro e o Galaxy Trio, Space Ghost e Dino Boy, O Quarteto Fantástico, Moby Dick e Mighty Mightor, Herculoids, Shazzan e Frankenstein Jr. e Os Impossíveis.



  
Imaginação

Kirby foi um mestre da criação e seus conceitos que estavam acima de qualquer artista da história dos quadrinhos. Embora Kirby tenha criado alguns conceitos lendários para a DC Comics na década de 1970, Stan Lee era o cara que utilizava a imaginação de Kirby melhor do que qualquer outra pessoa já fez na década de 1960. Lee planejava uma pequena ideia na cabeça de Kirby e depois deixava ele correr com ela, e os resultados eram sempre extraordinários! Juntos, eles trouxeram vida nova ao campo moribundo dos quadrinhos e criaram personagens e ideias que não só salvaram a indústria, mas não puderam ser acompanhadas por nenhuma outra equipe criativa na história do meio!
Jack Kirby criou quase todo o visual do Universo Marvel e ninguém pode competir com isso.
 


Quarteto Fantástico #51 (1966)
 


The Almighty (1990)
 
 

Produção

Muitos artistas, embora construindo longas e ilustres carreiras, passando por muitos gêneros, tinham o hábito de nunca se estabelecerem em nenhum título.
Jack Kirby, por outro lado, produziu um grandioso número de lendários de títulos, sendo os mais famosos do seu período ininterrupto de 102 números no Quarteto Fantástico com Stan Lee. Ele era um desenhista incansável que geralmente começava a desenhar das 12 horas até às 4 da manhã, sete dias por semana sem feriados e, incrivelmente, nunca perdeu um prazo!
Durante a década de 1940, ele era conhecido por desenhar incríveis 5 páginas por dia!!! Kirby foi tão insanamente prolífico que ele foi o único artista dentro de 3 décadas que era o melhor homem em seu campo e capaz de se reinventar a cada vez.
A forma como ele desenhou o Capitão América na década de 1940 foi completamente diferente da forma como desenhou os quadrinhos de romance e monstros na década de 1950. Então, na década de 1960, na Marvel, quando ele criou o Quarteto Fantástico, ele teve uma verdadeira compulsão criativa que produziu o seu melhor trabalho!  E ainda mais incrível, se você olhar para o seu trabalho de 1961 a 1966, é totalmente diferente e melhor a cada vez. E isso são 30 anos de quando ele se tornou um artista de quadrinhos! Sua criatividade era intensa e sem precedentes.


Jack Kirby foi tão incrivelmente prolífico que continuou sendo o melhor artista em quadrinhos por 3 décadas consecutivas (1940-1960) e reinventou consistentemente cada vez mais e melhorando.
 

 
Influência

Kirby foi o artista que colocou a arte de quadrinhos na estratosfera. E com os super-heróis, maiores do que nunca hoje em dia, com filmes e produtos disponíveis nas lojas, você ainda pode ver a influência de Kirby em tudo.
O único outro homem em quem eu posso pensar que pode ser comparado a Jack Kirby em influência no mundo dos quadrinhos e super-heróis é o seu parceiro Stan Lee.

Tales of Asgard

 
Seu estilo, habilidades e imaginação ilimitada foram perfeitamente construídos. Seus conceitos e ideias são tão incrivelmente populares que Hollywood está fazendo BILHÕES hoje!
Ele não pode ser comparado com qualquer outro autor de histórias quadrinhos porque sua pura produção criativa resultou em tantos personagens duradouros.
Stan Lee apelidou Jack Kirby de "The King of Comics" na década de 1960, mas também estava dizendo aos leitores a verdade. Mesmo alguns dos melhores criadores do campo foram para Kirby para obter conselhos e dicas de como fazer um verdadeiro comic ou layout de super-herói. Lee foi o primeiro a dizer aos artistas para dar-lhe ação, perspectiva e impacto, "a maneira como Kirby faz isso".


Hoje falamos de Jack Kirby como um dos verdadeiros mestres da indústria de quadrinhos. Seu trabalho continua a inspirar outros autores até hoje. E realmente não importa qual ícone você mais gosta, precisamos sempre honrar seu legado e agradece-los por todos os anos em que eles nos entretiveram. E isso não é apenas para Jack Kirby, isso é para todos os autores, muitos que constantemente não são reconhecidos pelas massas.
 

A velha prancheta de desenhos, onde universos são criados.
 
Precisamos lembrar e agradecer aqueles que abriram a estrada para todos hoje. Especialmente os autores da década de 1930 ao longo da década de 1950, que trabalharam longas horas com anonimato completo por pouco ou nenhum dinheiro.



Jack Kirby criou porque precisava, ele tinha a necessidade de criar.
Em suas próprias palavras, trabalhava com quadrinhos para "make a living".
Por sua família, ele criou alguns dos maiores personagens de todos os tempos!
 
A maioria deles foi desaprovada por trabalhar neste campo "embaraçoso" - no sentido de que somente os apreciadores deste tipo de mídia e entretenimento, isto é, nós, valorizamos e veneramos seu trabalho - e, no entanto, eles fizeram magia em cada página para fazer as crianças sorrirem e dar-lhes a capacidade de sonhar. 

Kirby e estes tantos outros autores são os nossos verdadeiros heróis.