quinta-feira, 18 de junho de 2015

ANALISANDO A FUSÃO POTARA DE GOKU E VEGETA


Eu curto muito Dragon Ball. Faz parte da minha vida. Faz parte da vida de todo mundo.
Mas eu sou um fã chato. Acho os OVA's da série legais, os filmes são ótimos, mesmo os modernos Battle of Gods e Fukkatsu no F. Entretanto considero Dragon Ball "apenas" a primeira fase (com o Goku ainda criança) até o finalzinho da saga de Majin Boo (quando Goku vai embora para treinar o Ubuu). Ainda estou um pé atrás com Dragon Ball Super (Não faz sentido Goku enfrentar anos antes os Deuses da Destruição e ainda esperar ansiosamente por uma nova batalha contra Majin Boo reencarnado como uma criança). Por isso quando falo de Dragon Ball costumo pensar mais nestes clássicos. E esta postagem analisa justamente um ponto interessante na rivalidade entre Goku e Vegeta, uma das maiores de toda a história das produções japonesas.
Algo que pode ter passado desapercebido para os fãs foi o subtexto presente na série após a épica fusão de Goku e Vegeta através dos brincos Potara, as poderosas relíquias dos Kaioshins, e o surgimento de Vegetto.

As personalidades de Goku e Vegeta são completamente opostas, suas convicções, crenças e moral são radicalmente conflitantes com relação às batalhas, e também foi dito que a rivalidade deles foi um dos fatores determinantes para o grande poder herdado por Vegetto.
Percebemos em determinado momento que Vegeta parece um pouco diferente, sua arrogância foi sendo atenuada, e ele também pareceu adquirir mais sabedoria. Uma teoria pode ser levantada a respeito destas mudanças: provavelmente a fusão Potara ajudou Vegeta a compreender o amor e a motivação de Goku para com as lutas, aos poucos ele foi aceitando a ideia da existência de um saiyajin que tem paixão pelas batalhas apesar do seu coração bondoso. E isso ficou claro quando da célebre cena em que o príncipe dos furries espaciais saiyajins discursa de forma sincera e profunda admitindo a superioridade de seu rival ("Kakarotto, você é o número 1"). Foi uma experiência de aprendizagem para Vegeta que gradativamente mudou sua perspectiva e maneira de pensar.

No entanto, há muito para ser analisado sobre a relação da fusão e o desenvolvimento de ambos os personagens. E, depois de rever o animê infinitas vezes, ler o mangá, e conhecer as diferentes opiniões de nerds e analistas impressionantes, encontrei uma visão mais sólida sobre os personagens Goku e Vegeta como indivíduos separados, e agora vejo não apenas um Vegeta, mas também um Goku muito diferente. Os dois podem ser reinterpretados após o episódio da fusão.
Se foram as reais intenções do autor Akira Toriyama, nunca saberemos. Mas considerando o caminho da sua escrita, vocês podem escolher ver esta teoria como algo que não passa de um mero delírio ou uma ideia surpreendentemente sutil. E muito do que pode provar a teoria está presente inclusive em filmes recentes.

Logo depois que eles se separaram dentro do corpo de Majin Boo, Goku parece desenvolver uma estranha obsessão pela fusão. Ele também fica mais reclamão e insistindo o tempo todo que a fusão com o Vegeta era o caminho mais indicado para derrotar o demônio que poderia destruir todo o universo. Sua atitude é suficiente para fazer o público levantar as sobrancelhas e pensar: "O que há de errado com você, Goku?". Enquanto por outro lado ninguém tem problema com a obstinada resistência de Vegeta.


Esta foi a primeira vez, Goku estava reclamando da atitude de Vegeta e chama várias vezes a atenção do seu rival.



Note também que Goku está mais preocupado e cético, enquanto Vegeta mostra uma atitude mais otimista e relaxada. Nas batalhas antes do Potara, Goku encorajava seus companheiros com várias frases de efeito, enquanto as palavras que repreendiam e as análises calculistas eram praticamente todas de Vegeta.



A segunda vez, Goku nem mesmo tenta ser sutil. Vegeta, que acredita não necessitarem mais da fusão, dá bronca para tomarem medidas de imediato e assim salvarem a todos os que foram absorvidos por Boo.
E desde quando alguém já precisou chamar a atenção de Goku em um momento tão decisivo? Sério mesmo, durante a saga de Cell, caso alguém recusasse a ouvir a sua opinião, a resposta de Goku para isto seria apenas um: "Ah... falou." Mas aqui, mesmo com a recusa de Vegeta, ainda podemos ver um Goku preocupado e com uma ideia fixa na fusão.
O sempre durão Vegeta por outro lado está muito centrado no problema do presente momento e não em coisas como o seu orgulho, como era do seu costume. 



O Goku antes do Potara poderia ter suas preocupações e nem sempre um plano seguro para vencer um adversário, mas ele nunca foi do tipo de um Kurillin para chamar a atenção de alguém por seus erros passados. A atração de Kurillin pela Androide 18 e a arrogância de Gohan causaram a sua morte, mas ele os apoiou e aconselhou para nunca se abaterem com o sentimento negativo da culpa.
E aqui Vegeta nem sequer estava fazendo qualquer mal, ele estava apenas sendo "Vegeta". Mas Goku leva tudo para o lado pessoal e culpa o seu rival por estarem naquela situação.

E foi assim daí por diante. É meio assustador ver um cara tão despreocupado como Goku agindo assim. Ele era um sabe-tudo, um gênio das lutas, mas aqui gasta o seu precioso tempo pensando em algumas formas de resgatar os outros e ainda enfrentar Boo, irritando Vegeta mais do que de costume. E todos nós sabemos que a irritação do Vegeta não é tão condenável. Afinal, Goku pode ser o nosso herói, mas a sua ingenuidade, mesmo sendo o seu lado mais simpático, pode realmente tirar alguém do sério.


Mais tarde, Goku pela enésima vez reclama por Vegeta não ter aceitado fazer a fusão, mesmo após saírem do interior de Boo e tomarem a decisão de lutar um-contra-um.
Goku admitia que poderiam ter acabado com Majin Boo se tivessem permanecido como Vegetto.


É estranho para mim o jeito como Goku culpou Vegeta e o modo como o príncipe dos saiyajins limitou-se a ignorá-lo, sem levantar a voz mais do que uma vez, mesmo quando eles encontravam-se em uma situação de vida ou morte. Isto simplesmente não é como as velhas intrigas entre Goku e Vegeta.

E a estranheza continua em Battle of Gods:


Em uma das cenas deletadas do filme, após ser derrotado por Bills em sua forma de Super Saiyajin 3, Goku pensa que deveria fazer novamente uma fusão com Vegeta, mas logo chega a conclusão de que talvez nem isto fosse o suficiente para vencer.
Pois é, e eu sempre gostei de ver o Vegetto como o ser mortal mais foderoso de TODO O UNIVERSO.

Claro que nesta cena do filme Goku disse aquilo apenas para mensurar o poder de Bills, mas lembrem-se de que isto veio do mesmo cara individualista que sempre deseja ter uma luta justa um-contra-um com qualquer adversário mais forte, e geralmente se recusa a receber ajuda, a menos que a situação seja realmente extrema, como a Terra encontrando-se a ponto de ser destruída. Assim, o fato de Goku mencionar a fusão naquele momento apenas reforça a ideia de que fora algo que ainda não conseguira superar.

Para dizer isto de uma forma mais filosófica, já foi considerado por muitos analistas (fãs de DBZ) peritos no assunto que Goku é a personificação Budo-taoísta da "consciência do vazio".

Nós concordamos que Goku estava perfeitamente bem com a ideia da fusão, mesma com a estilo Metamoru, que requer aquela dancinha idiota, porque ele não está vinculado a qualquer tipo de dúvida ou orgulho estúpido. Enquanto Vegeta se recusou a fazer tal fusão porque ele é o oposto total.
Goku sabe como deixar de lado o seu orgulho, a dúvida, e é capaz de deixar a sua mente ficar em branco, não se preocupando com a sua auto-imagem. Ele está mais aberto a aceitar, e disposto a aprender. Sempre transmitiu muita confiança e respeito para com os seus amigos e, de fato, mesmo para com Vegeta, ouvindo a sua história e compreendendo as motivações dele durante a saga de Freeza, e quando concordou em permitir que o príncipe dos saiyajins entrasse na Sala do Templo para treinar antes dele durante a saga de Cell.
Goku estava "vazio" antes da fusão. Depois daquele evento mítico, sua mente recebeu, ainda que de uma forma forçada, a mente de Vegeta. Agora o saiyajin criado na Terra não está mais "vazio", e, como ainda carece de uma auto-crítica, desenvolveu gosto pela técnica que lhe trouxe um tipo de "novo ensinamento".

Vegeta por outro lado, aqui me refiro ao momento pós-fusão especialmente, tem muito em sua mente. Ele viveu desde sempre sentindo vergonha por tudo o que passou, pelo regime de semiescravidão que enfrentou quando trabalhou para o próprio tirano que massacrou o seu povo, buscando vingança e recuperar a sua honra e o seu orgulho ferido.
A fusão com Goku foi como forçar algum vazio em sua consciência. A mente de Vegeta está cheia de muitos sentimentos, desagradáveis ou mesmo agradáveis (como já dito, ele tem muito do que se orgulhar). O príncipe dos saiyajins assim não está tão aberto a receber ideias e conhecimentos novos. Seria necessário que esvaziasse a sua mente como a de seu rival.

Após Goku e Vegeta saírem do interior do monstro criado por Bibidi, há uma "troca de scripts" entre eles. 

Goku aparece mais analista, enquanto Vegeta tende a tomar decisões rápidas e está mais flexível e silencioso. Isto é, quando a última e mais perigosa forma de Majin Boo começa a gritar, sacudindo o planeta Terra inteiro.



E de fato é Vegeta quem salva a Terra da destruição pelo poder de Boo no último segundo.
Quando vi isso pela primeira vez, eu pensei: "Caralho! O Vegeta salvou o dia! Ele é mesmo um cara legal!" Mas hoje eu penso: "O que estão fazendo com o Goku? O que ele estava pensando para ficar paradão num momento como aquele?"

Ao longo da série, muitas questões impediam Vegeta de agir de uma forma rápida e flexível e responder a situações chocantes e desfavoráveis. Ele questionava inclusive a si mesmo em seu orgulho e seus delírios.
Pelo contrário, Goku não pressionava seus pensamentos subjetivos, ele se adaptava, e isto refletia em ações mais rápidas e precisas. Ele lidava com a dor e o choque muito bem, com paz interior ou raiva reprimida. Mesmo depois de perceber o seu erro de deixar Gohan se machucar enfrentando Cell sozinho ou depois do vilão transformar-se em uma bomba para destruir todo o planeta, ele imediatamente tentou desfazer o mal. Ele simplesmente flui.




Então, ver Goku fazer as vezes de Vegeta, enquanto este reage a tudo tão bem, é realmente estranho. E a estranheza continua.



O velho Vegeta costumava ser assim: um homem mal-humorado, imaturo emocionalmente, que é tão confiante de seu poder e habilidade, que não consegue entender e aceitar quando as coisas não saem como quer, e quando ele percebe que não terá o que deseja, rapidamente é dominado por um acesso de raiva ou perde o espírito de luta. Mas aqui nós estamos vendo um Vegeta verdadeiramente confiante, destemido e ousado, facilmente confundido com Goku.

Quando Boo finalmente usa o seu poder para explodir todo o planeta, felizmente eles foram capazes de escapar com a ajuda do Kaoishin do Leste, chegando ao planeta supremo dos Kaioshins. E foi quando esta cena aconteceu:


A dita cena também acontece no mangá, mas particularmente adoro a forma como ela foi retratada no animê. É uma das minhas favoritas da animação. Era o ponto onde Vegeta começa a ser mais tolerante e racional, ou mesmo pacífico. E o ponto onde Goku começa esta tendência constante de se justificar repetidamente, desculpando-se na frente de Vegeta.

O comportamento de Vegeta, como o de qualquer pai normal, é justificável, pois ele acabou de perder o seu filho, e logicamente culparia Goku. E agora tente imaginar o que o Vegeta "pré-Potara" iria pensar sobre a perda de seu filho ("Meu sangue real tem sido desperdiçado, é tudo culpa sua, você tem que pagar por isso!!!"). Aqui sua raiva era apenas... normal. E depois disso, com exceção de quando testemunhou a estupidez do Mr. Satan (um dos "inúteis que não prestam pra nada" salvos por Goku no lugar do Trunks e dos outros), ele nem sequer culpa mais Goku. A única razão pela qual ele está com raiva é o fato das Esferas do Dragão também terem desaparecido.
Este é um desenvolvimento emocional que eu acho muito difícil para Vegeta ganhar em tão pouco tempo se não fosse por ter estado fundido com Goku, adquirindo um pouco da sua calma e natureza pacífica.

Ao mesmo tempo, enquanto Vegeta é estranhamente contido com relação a toda a merda que aconteceu, Goku está se sentindo culpado. E mais outra coisa estranha, Goku fez tudo que o podia, ele salvou todos aqueles a quem pode, não importando quem eram, e isso foi altamente moral da sua parte. Por que ele iria se sentir culpado? Bem, qualquer um se sentiria triste e culpado aqui, seus filhos Gohan e Goten também não puderam ser salvos. Mas o estranho é ele evitando os olhos do Vegeta, um tipo totalmente diferente de culpa que vai completamente contra quem ele era. O velho Goku seria corajoso o suficiente para olhar nos olhos das pessoas e dar uma verdadeira desculpa quando percebesse que fez algo de errado com elas. Goku nunca sentiu vergonha de si mesmo.
Minha observação aqui é que Kakarotto não está se sentindo culpado pelos outros, mas por si mesmo. Por que ele está tão inseguro? Será que é por causa de Vegeta, uma presença que invadiu sua cabeça, que está na frente dele?



Quando da batalha final contra Majin Boo no planeta supremo, os deuses Kaioshins sugeriram que eles se fundissem novamente, mas aqui Goku desiste da ideia da fusão, julgando não ser indicado para aquele momento (Boo também não estava fundido com mais ninguém).
Goku ainda disse "Não é assim que fazemos as coisas", agora definitivamente aceitando que ele é um saiyajin assim como Vegeta. E seu rival fica feliz com isso. Finalmente se livrou dos piolhos do Kakarotto.


Goku está se comportando como um saiyajin. No entanto, foi grande a surpresa de Vegeta quando descobriu que Goku não faz isso por respeito a ele. A sua real intenção era mostrar e exercer o seu poder para que Vegeta pudesse testemunhá-lo.



Olhem para o rosto arrogante e presunçoso de Goku naquele momento. Será que ele desejava apenas obter a glória para si mesmo? Além disso, ele fez questão de explicar para o seu rival o motivo de suas ações na luta contra o primeiro Majin Boo, afirmando que a sua forma de Super Saiyajin 3 é tão incrível que certamente poderia ter vencido o inimigo.


Foi um comportamento diferente em comparação com quando ele falou sobre o Super Saiyajin 3 e as suas intenções para Piccolo. Ele estava apenas afirmando um fato, mas aqui ele está claramente provocando Vegeta, e ainda fica aborrecido ao perceber que seu rival não estava escutando.
O Goku "Pré-Potara" nunca demonstrou tanta presunção, e agora parece estar inseguro sobre si mesmo diante de Vegeta, e por isso precisa ser notado.

Por outro lado, foi durante este combate decisivo que Vegeta finalmente aceita a superioridade de Goku, ele compreendeu que não era pário para Majin Boo e desejou que seu rival fizesse o seu melhor, pois o destino de todo o universo estava em suas mãos.



Vegeta encoraja Goku a usar todos os seus poderes de Super Saiyajin 3. Ele acreditava que Kakarotto não conseguia vencer porque estava inibido e preocupado com a presença do príncipe da sua raça, por isso não estava lutando como um verdadeiro saiyajin. Então Vegeta sugere para não se importar com tão pouco e que destrua aquele demônio de um vez por todas.
O velho Vegeta pensaria algo como: "Muhahahah, ele se curvou para mim, como deveria ser" ou "Tch, lixo sentimental".


Mas Kakarotto negou serem aquelas as suas aflições, ele não estava preocupado com Vegeta. De fato, tudo o que tinha em mente naquele momento era a sua batalha contra Majin Boo.


O motivo para Goku não liberar todo o seu potencial, não era por pensar em Vegeta. E o fato de ter iniciado a batalha só para se mostrar pode soar um tanto egoísta e irracional para o saiyajin criado na Terra que tanto admiramos. 
Goku simplesmente precisava de tempo para reunir o seu poder, porque o Super Saiyajin 3 consumia muito das suas forças e ele não conseguia chegar ao máximo necessário para destruir Boo. E deixou Vegeta de fora da luta simplesmente porque tinha certeza de que o príncipe não era pário para o inimigo, mas preferiu o silêncio e deixou isto apenas nas entrelinhas.
Depois que Goku percebe que estragou tudo, fica racionalizando a si mesmo e os seus erros, como se ele estivesse falando consigo mesmo, em vez de Vegeta. 
Ao mesmo tempo, Vegeta entende a mensagem de que Kakarotto não quis envolvê-lo naquela luta por conhecer os seus limites, mas ele não fica nem um pouco aborrecido e decide lhe dar uma mão. Enquanto Goku descansaria para recuperar o seu poder, Vegeta enfrentaria Boo durante o tempo de exato 1 minuto, o necessário para seu rival reunir suas energias.
Duvidam ainda da mudança repentina de Vegeta?



E continua. Vegeta passou por um verdadeiro martírio para deter Majin Boo e quase morreu pela segunda vez, mas de nada adiantou a sua ajuda porque Goku estragou tudo, seus poderes não voltaram e ele perdeu toda a sua força! Entretanto Vegeta não disse nada sobre o assunto. Ele permaneceu frio e paciente, perdoando aquele erro. E ainda consegue sorrir mais tarde.

Enquanto isso, Goku está novamente justificando a sua incompetência e repreendendo a si mesmo. Em seguida, ele fala como um lutador arrogante, do modo como o Vegeta na saga Freeza faria.

Para piorar ainda mais, depois do Potara, Vegeta ficou fazendo caretas estúpidas como... :


Enquanto Goku... :

Realmente, quem são esses dois novos personagens que nos apresentaram? Existem teorias de que cada um pudesse ler os pensamentos do outro depois de terem se fundido, e eles compartilham agora um vínculo inquebrável. Foi afirmado no início por Dai Kaioshin que a fusão Potara era eterna, porém Goku e Vegeta foram inexplicavelmente separados após serem absorvidos pelo corpo de Majin Boo. Talvez, mesmo que não dividam mais o mesmo corpo, a fusão deles permaneça eterna em um outro sentido.
A fusão deu à luz a um Goku mais certo de sua identidade (vide a sua provocação ao deus da destruição Bills em Battle of Gods logo que se conheceram) e a um Vegeta iluminado com uma atitude mais positiva como era a de seu rival.

Ambos os personagens são fascinantes em termos de personalidade para mim, como um leitor e um fã deles, durante toda a série antes e depois da fusão Potara.
Certamente há mais na fusão Potara do que o ser mais poderoso do universo. Quando eles estavam em fusão, as atitudes e estilo de Vegetto mudavam descaradamente em pleno combate contra Boo. E agora que não estão mais juntos, cada um pode compreender o outro como a palma da sua mão.
Vegeta teve o seu melhor momento ao aceitar Goku como o melhor lutador, e por isso decidiu continuar a se dedicar para ainda poder competir com ele, Enquanto Goku saiu da fusão como um lutador mais racional.


O que acharam da teoria? Dai Kaoishin tem muitas coisas para explicar.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

CASAIS DIFERENTES (PORÉM ADORÁVEIS) DA FICÇÃO


Fugindo um pouco do foco do blog, dedico uma postagem aos "casais". Mas não estão listados aqui casais comuns, mas sim aqueles casos mais improváveis/peculiares/esquisitos, ou, falando mais respeitosamente, distintos.
E aqui o "diferente" significa não haver limites. Então passe longe desta postagem caso você seja anti-furries por exemplo.
Apresentamos alguns dos casais mais atípicos, porém adoráveis já criados e aclamados pelos fãs da cultura nerd/geek.

Atenção: Não é um ranking, os personagens foram escolhidos de forma aleatória.



Lady Iris e Jake

Eles não formam apenas um casal estranho, mas também um tipo bem incomum no mundo dos desenhos animados. Afinal, Hora de Aventura é uma animação que procura o tempo todo quebrar certos paradigmas.
Jake e Lady Iris sempre namoraram, e isso nunca foi segredo para ninguém que assistia ao desenho. Complicada é a ocasião em que Lady Iris revela estar grávida, dando um grande susto em Jake. Mas apesar disso os dois continuam namorando.
Finn, sendo o melhor amigo de Jake, estranhou o fato deles não serem casados e terem tantos filhos.
Assim Jake tornou-se o primeiro personagem de desenho animado a engravidar alguém sem estar casado (algo que acontece com frequência na realidade), e os filhos do casal, que herdaram um pouco da aparência e poderes de ambos os seus genitores, são até mais bizarros do que eles, o que era de se esperar.
Curioso também é que o desenho não idealiza as relações entre os seus personagens, não há romantismos ou aquela velha história do "amor sempre vencendo no final". E apesar de ser um pai ausente, não há dúvidas do amor que Jake tem pelos filhos e pela namorada.



CJ e Mordecai

O Cartoon Network vive uma nova fase de surrealidade nos desenhos animados. Nova, porque nas últimas décadas os desenhos surreais sempre estiveram presentes. É só lembrar de clássicos como A Vaca e o Frango, O Laboratório de Dexter, Johnny Bravo, dentre outros.
Claro que a surrealidade nunca esteve tão presente e evidente como agora, e o meu desenho animado favorito desta nova era do CN sem dúvidas é Apenas um Show.
O casal escolhido desta animação cheia de bizarrices divertidas é Mordecai e CJ.
Mordecai é uma gralha azul, conhecido também por ser uma das faces do seu próprio criador J G Quintel, enquanto CJ é uma espécie de... nuvem. Uma nuvem de chuva aliás, ou melhor, de tempestade! CJ é especial, mesmo no mundo de Apenas um Show, e pode se transformar em uma violenta tormenta quando irritada. Tudo parece possível nesta animação.
Antes de namorar CJ, Mordecai namorou Margaret, uma gralha como ele, porém de cor vermelha, mas devido aos estudos dela, eles tiveram que se separar, o que foi complicado para os dois e para todos os fãs do casal.
Se foi muito difícil para Mordecai esquecer o seu primeiro amor, também foi complicado para os fãs aceitarem o seu relacionamento com CJ.
Mas o público aos poucos começou a curtir a dupla. Coisas assim também acontecem na vida real.



Gumball Watterson e Penny Fitzgerald

Mais uma da fase surrealista do CN atual. O Incrível Mundo de Gumball é bem louco e bizarro. Ele mistura animação tradicional com 3D, stopmotion, e até live action. E apesar do desenho ser em tudo muito divertido, desde a premissa aos personagens, acredito que dificilmente funcionaria do jeito que funciona sem estas suas peculiaridades únicas.
Gumball é o garoto mais tapado do universo. Dentre todas as suas extravagâncias,  uma das maiores foi se apaixonar por um amendoim (!), e a paixão não foi pouca coisa.
Tá, eu sei que a Penny é fofa, mas a menina é uma porra de um amendoim! Um amendoim com perninhas e bracinhos, e ela mesma se determinou como tal.
Havia muitas teorias entre os fãs a respeito do seu design. Era fácil perceber que seu corpo era um tipo de casca e que alguma coisa, que deveria ser seu verdadeiro ser, estava se ocultando no interior desta. As teorias eram bem loucas, como a de que talvez ela seria mais uma furry, tal como Gumball e sua família, mas ela teria a aparência de um alce. Vai dizer que não suspeitou que aquelas "antenas" dela pareciam "chifrinhos"?
Bom, seria mais provável ela ser um vegetal, já que o seu primo é uma florzinha (em ambos os sentidos). Mas eis que descobrimos a verdade em "A Casca", o episódio mais Hora de Aventura de todos neste desenho.
O tema central do dito episódio foi o da aceitação ao diferente. Quando Penny compreendeu que Gumball a aceitava do jeito que ela era, a garota também foi capaz de se aceitar, retornando a sua forma verdadeira (um tipo de anjinho alienígena adorável).



Brad Carbunkle e XJ-9 "Jenny" 

Uma Robô Adolescente já pode ser considerado um clássico. E aqui está um dos casais mais estranhos e mais simpáticos desta postagem.
Claro que há algo de especial na amizade da heroína desta animação com o garoto Brad, certamente que há. Jenny teve outros pretendentes, como o nerd tarado e chegado numa tecnofilia Sheldon (Bazinga?), mas não havia um sentimento recíproco.
Brad é o primeiro verdadeiro amigo de Jenny, aquele que está mais próximo dela. Geralmente ela confia a ele os seus sentimentos pessoais e quaisquer outras emoções que esteja passando. Ele muitas vezes dá conselhos a Jenny e ajuda em missões e atividades normais de adolescentes. Já aconteceram em várias ocasiões momentos sugerindo uma possibilidade dos dois terem uma relação que vai além de uma simples amizade entre jovens.
Brad e Jenny tem um tipo único de relacionamento, porque mesmo que eles sejam realmente bons amigos, têm ligeiros sentimentos românticos para com o outro.



Uruki e Takiko Okuda

Fushigi Yuugi é uma obra muito interessante, principalmente pelo fato do seu spin-off ser muito melhor do que a sua história original.
Takiko e Uruki, do mangá Fushigi Yuugi: Genbu Kaiden, são os protagonistas principais da história. Takiko, depois de discutir com o seu pai, é sugada para um mundo contido no livro mágico chinês que ele passara semanas traduzindo. Neste mundo, ela torna-se uma sacerdotisa que deve reunir os sete guerreiros celestes para ressuscitar o deus Genbu, que tanto pode salvar quanto destruir o seu reino.
O primeiro guerreiro que ela conhece é Rimundo, também conhecido como Uruki, e ele acaba tornando-se o seu principal interesse amoroso no decorrer da história.
Os dois formam um casal simpático e comum das típicas histórias shoujo. Mas há um pequeno detalhe: Uruki possui um marca de nascença em seu corpo, assim como todos os outros guerreiros celestes, que lhe concede um poder em particular, e o seu é o controle do vento. Mas o problema é que quando Uruki usa seus poderes de vento, seu corpo sofre uma belíssima transformação...

Fushigi Yuugi versão yuri!
Sim, Uruki é um Ranma 1/2 da vida. Mas no caso de Uruki, podemos dizer que ele nasceu um hermafrodita! A marca no peito dele é o caractere chinês para "mulher", o que pode explicar a mudança do seu corpo quando ativa os seus poderes.
Além de ser um dos guerreiros que tem a missão de proteger Takiko, é também o príncipe coroado de Hokkan, mas foi injustamente perseguido por causa de uma profecia falsa dada por um oráculo. Mesmo com Uruki inicialmente se recusando a ajudar Takiko, eles acabam se apaixonando um pelo outro.
Sua história é aquela típica dos amantes de dois mundos distintos. E tentarão separa-los a todo custo, ela por ser uma sacerdotisa e ele por ser seu guardião com poderes sobrenaturais.



Tsukumi e Kuranosuki 

A nerd e o drag queen. Podemos considerar os protagonistas do incomum animê Kuragehime como o, digamos, "mais colorido" e também o "mais fabuloso".
Sério, os dois conseguem convencer muito como um casal, superando muitos dos casais daquelas já batidas histórias para garotas.
Tsukimi é uma otaku loser com uma autoestima extremamente baixa. E Kuranosuke é um cara que gosta de se vestir como uma mulher, não por ser gay, mas porque quer ser um designer de moda.
Como você pode imaginar, a sociedade odeia os dois, mas juntos eles são capazes de fazerem coisas incríveis e poderão ver seus sonhos tornarem-se realidade.
Mesmo não sendo fã do estilo, confesso que adoro os dois como uma dupla e como um casal!



Androide 18 e Kuririn 

Um dos casais mais adoráveis (quem diria?) e um dos mais estranhos surge no animê/mangá Dragon Ball, da inesperada atração entre Kuririn e a Androide 18, a maior das beldades criadas por Akira Toriyama.
Kuririn é o melhor amigo do herói Son Goku e, apesar de ter seus momentos de valentia durante os infinitos combates titânicos do animê/mangá, é facilmente lembrado como um fraco, atrapalhado, perdedor, e sempre morrendo e sendo ressuscitado.
Então o que a Androide 18, uma das mais incríveis mulheres dos animês, viu naquele anão, careca, sem nariz e perdedor?
Certamente ela viu o que nenhum de nós vimos.
Kuririn é exemplo de determinação, sempre "se fode nessa merda", mas não se aborrece com isso, ele ri de suas próprias cagadas e continua seguindo em frente até acertar. E ele acertou muitas vezes! Tanto que a generosa providência dos animês presenteou a sua paciência oriental com uma lindinha ciborgue e uma adorável família.
Detalhe mais peculiar é o fato do casal ter tido uma filha. Mas como androides tem filhos?



 Ruby e Mikage Shiraishi

Vejam esta imagem. Jewelpet é muito louco, cara!
Acreditem, esse não é o único romance inter-espécies desta franquia. Eu escolhi o caso mais famoso e também o mais questionável e fofinho.
Mikage Shiraishi surge na fase Jewelpet Sunshine como um dos personagem principais da temporada. É um jovem calmo e atencioso, do tipo que acaba seduzindo involuntariamente todas as gatinhas do colégio, inclusive Kanon Mizushiro, protagonista feminina da temporada, e a rival dela, Ruby, a coelhinha que por sinal agora vai seduzir o rapaz.
"Ma Como?!"
Sim, isso mesmo!
Jewelpets são quase humanos pelo que eu sei. Eles foram criados para serem amigos dos humanos, e são capazes de desenvolver sentimentos muito mais profundos por seus companheiros.
Mikage começou a ter sentimentos por Kanon e chegou a dizer que a amava, mas com o tempo começou a demonstrar ter sentimentos por Ruby. Quando Tour, um dos Jewelpets que já namorou Ruby, confessou seus sentimentos pela linda coelhinha, o rapaz parecia um pouco chocado e irritado.
Após a batalha final (mesmo os animês de romance precisam de uma), Mikage fez seu último pedido à poderosa rainha do reino de Jewelland: ele queria renascer como um Jewelpet.
Numa das mais belas provas de amor, Mikage abandonou tudo só para estar com Ruby, aquela que havia sido o seu consolo na infância.
Um relacionamento bem louco e bizarro, mas de certa forma poético.



Kanga e Tigrão

Impossível não gostar do Tigrão. Ele é tão animado, divertido e bobo, sempre de bem com a vida.
Mais impossível ainda é não gostar da Dona Kanga. Mãe de um simpático canguruzinho chamado Roo, ela é uma dona de casa, feliz, responsável e muito fofa.
Roo aliás é um grande admirador do Tigrão, sempre o acompanhando em suas travessuras e sonhando em seguir os seus passos como um "grande pulador".
Mas não parece totalmente óbvio que o Tigrão está usando Roo para chegar na mãe dele?
Em várias situações, ele já deixou bem claro que está interessado na mamãe do seu melhor amigo. E até já confessou que gosta dos abraços dela ("Safadenho").
Ficou mais do que claro que apesar de ser como um irmão mais velho para o pequeno Roo, a grande vontade do Tigrão é tornar-se o pai do moleque.
Bem, não que eu acredite que a Disney algum dia vá explorar esse enredo. Será que o Bosque dos Cem Acres está aberto a relacionamentos inter-espécies? O politicamente correto certamente ainda não chegou por lá.



 Jessica e Roger Rabbit

Um dos casais mais famosos e também mais perturbadores, presentes em praticamente todas as listas que tratam do assunto.
A semelhança de alguns de nossos casos anteriores, contém ética questionável, pois é um emparelhamento entre uma mulher e um coelho: Jessica Rabbit, um dos maiores ícones da cultura pop, símbolo sexual e uma das maiores obras-de-arte já concebidas pela caneta de um desenhista, e Roger Rabbit, o felizardo astro dos desenhos animados.
Felizmente como ambos os personagens são desenhos animados não há tanto problema como poderia haver! Provando o velho ditado "não há nada mais atraente do que um bom senso de humor", Jessica é cortejada com sucesso pelo dito coelho e, eventualmente, alega que sua capacidade de fazê-la rir é o principal motivo para amá-lo tanto.
A lógica de Jessica de fato desafia as disparidades de personalidades e espécies.



Bunnie Rabbot e Antoine D'Coolette

O casal mais simpático e diferente surgido nas páginas dos quadrinhos do universo de Sonic da Archie Comics é formado por Bunnie (outra coelha!) e Antoine. Ambos surgiram na série animada baseada nos games do ouriço mais famoso da Sega nos anos noventa, mas tiveram um desenvolvimento impressionante na sua versão impressa.
Bunnie é a melhor amiga da princesa Sally, uma coelhinha com sotaque sulista e partes biônicas, é uma guerreira nata, apesar de que antes sonhava em ser a cabeleireira da sua amiga.
Antoine era conhecido no desenho por ser covarde e atrapalhado, um verdadeiro alívio cômico, e um estereótipo um tanto ofensivo de francês. E não é que os quadrinhos o transformaram em um dos mais valentes e épicos guerreiros do elenco.
Por mais clichê que seja falar isso, vale lembrar que "por trás de um grande homem sempre há uma grande mulher". Antoine foi importante para o desenvolvimento de Bunnie, como o apoio que lhe prestou quando enfrentou a rejeição de suas partes biônicas, o que exigiu uma atualização, impossibilitando que no futuro pudesse ser desrobotizada. E a importância de Bunnie para o crescimento de Antoine nem se fala. Foi o apoio da coelha que deu a ele a coragem para enfrentar e superar qualquer desafio.
Claro que toda essa história só poderia mesmo terminar em casamento.



Hiei e Mukuro

Este é certamente o casal mais marcante (antes de dizer "estranho") que eu conheci no começo da minha adolescência. Hiei e Mukuro do animê Yu Yu Hakusho são perfeitos e se completam, embora o autor Yoshihiro Togashi nunca tenha confirmado que a dupla realmente seja um casal.
Mukuro é uma das mulheres mais poderosas da história de Yu Yu Hakusho, e eu sou facilmente atraído por personagens femininas que são fortes. Sua aparência de fato é assustadora, porém podemos dizer que ela é MEIO-bonita. E seu pesado e triste passado também é outro ponto que torna a personagem intrigante e interessante.
O ódio e rancor dentro de si apenas serviam para lembrar Mukuro de que ela ainda não era forte o suficiente, e sentindo fraca e vulnerável, era incapaz de deixar o seu passado. Mas quando decidiu mostrar tanto o seu corpo e quanto a sua consciência para Hiei, ela estava começando a se abrir. 
No mítico episódio em que os dois se enfrentaram, Hiei perdeu a luta, mas foi capaz de quebrar os grilhões que selavam os pulsos de Mukuro desde que fugira da escravidão, e aquilo significou que ela estava finalmente liberta do ódio e agora poderia ser verdadeiramente LIVRE. 
Após o último torneio das Trevas, o "casal" de youkais passa a viver junto. E em uma ocasião, Hiei presenteia Mukuro, no dia do aniversário dela, com o demônio Chikou, um mercador de escravos que a molestara durante a infância. E Chikou estava devidamente "petrificado" graças a uma planta parasita que Hiei encomendara de seu amigo Kurama. Aquela planta, além de limitar todas as funções motoras do hospedeiro, o regenerava de qualquer ferimento mortal, sem no entanto eliminar as suas sensações dolorosas. Assim, Hiei garantiu que Mukuro poderia torturar Chikou a vontade e, quando se cansasse disso, poderia cortar o pescoço dele e jogar o corpo no lixo. Não é fofo?


Ainda sozinho? Não se preocupe, se um grupo como este ainda pode encontrar o amor, então provavelmente há esperança para todos nós.

                                  
RUBY X MIKAGE (GRANITE)