sábado, 24 de outubro de 2015

MOMENTOS BIZARROS EM MANGÁS POPULARES





O Japão é incrível!
Mas é verdade que muitos ainda não compreendem a grande diferença entre a forma como o povo nipônico vê o mundo e a nossa forma de enxergar este mesmo mundo.
Sim, pouco compreendemos da cultura japonesa, que ainda é de uma certa forma alienígena para todos nós. Não é porque você é fã de animações, quadrinhos e filmes japoneses que pode considerar-se um perito no assunto.
Ora, como fãs desta cultura na forma de seus animês, mangás ou tokusatsus, conhecemos muito bem o senso de humor ácido que só os japoneses possuem. E sabemos que há algumas cenas bastante estranhas, principalmente em mangás onde há mais liberdade e menos vigilância da censura pentelha. Mas isto não é exclusivo dos quadrinhos japoneses, os quadrinhos ocidentais das eras de ouro e prata tinham muito disso também, e de certa retornaram com a modernização destas histórias.
Alguns mangás tem destas coisas de parecer bizarro. O site Chuva de Nanquim há algum tempo atrás fez uma lista com as ideias mais bizarras e estranhas para fazer uma história, e de forma parecida selecionei especificamente os momentos mais bizarros que aconteceram em obras consagradas de grande sucesso, e onde você certamente poderá encontrar uma de suas preferidas. Para a postagem foram selecionados acontecimentos em obras mais conhecidas e mais padronizadas, não foram utilizadas cenas de mangás que tem a pretensão única de serem bizarros como por exemplo Let's Dance With Papa. Cenas exclusivas de animês, bem como fillers, não estão incluídas.
As vezes acontecem cenas engraçadas que passam desapercebidas, porque afinal acompanhamos este tipo de entretenimento há tanto tempo que ficamos meio "anestesiados" com tudo isto.
Vale lembrar também que esta lista não tem a intenção de ofender a ninguém e foi feita com o único intuito de divertir.



Todos querem abusar da Lucy Steel
(Jojo's Bizarre Adventure)

A história de Jojo's Bizarre Adventure é em sua totalidade tão louca e bizarra quanto divertida.
Mas a sétima parte do mangá, Steel Ball Run, é de longe a mais louca de todas.
A esta altura, após os animês lançados recentemente, envolvendo os dois primeiros arcos deste mangá, acredito que a obra esteja mais popular do que nunca, e todos já devem saber o que vem a ser um Stand, o poder secreto apelão dos personagens de Jojo's Bizarre Adventure.
Existem diversas maneiras de se adquirir um Stand, e esta sétima do mangá apresenta mais uma que envolve um evento doidera metafísica que deixaria Joseph Smith de certa forma orgulhoso.
O ano é 1890, o universo atual é uma realidade alternativa criada pelo Stand do padre Enrico Pucci, e o vilão desta história é Funny Valentine, o 23º presidente dos Estados Unidos, e ele deseja obter o poder de um cadáver santo.
Toda a bagunça acontece durante uma corrida organizada por Stephen Stell. E a sua jovem esposa, Lucy Stell, preocupada com a segurança do marido, decide investigar o presidente.


Lucy então acaba aproximando-se da fogosa primeira-dama Scarlet Valentine.
Jojo's tem a sua cota de MILFS deliciosas, e Scarlet está no páreo pela preferencia dos leitores, junto de Lisa Lisa e, é claro, Holy Joestar, a possível paixão secreta de Noriaki Kakyoin.
Scarlet é um mulher forte e ambiciosa, nem um pouco tímida, e por muitas vezes tomando a iniciativa. Ela não tem problemas para falar sobre seu marido, mesmo quando é para seduzir outras mulheres...


A primeira-dama norte-americana tem um relacionamento firme com o presidente, mas isso não a impediu de manter uma extensa coleção secreta de livros com conteúdo erótico lésbico, e também nunca foi um problema para ela ter desejos de se relacionar com outras mulheres!
Naquele que é provavelmente o momento mais politicamente incorreto deste mangá, Lucy decide aproveitar-se da promiscuidade de Scarlet para se aproximar mais da intimidade do presidente, mas acabou se dando mal...


Em uma cena, Scarlet tenta seduzir Lucy, e revela um dos seus fetiches, a obrigando a se sentar em seu rosto! Mas o que torna a cena de fato estranha é a idade de Lucy. Ela tem SOMENTE 14 ANOS!
ALERTA: MENOR DE IDADE!
Araki Hirohiko, tal como Garth Ennis, consegue divertir e ao mesmo tempo ofender qualquer tipo de leitor. E isto é um feito para poucos.


Como se já não fosse escandaloso para muita gente ver uma adolescente casada com um homem 40 anos mais velho (!!!), Lucy foi objeto de desejo sexual da primeira-dama, quase foi estuprada pelo presidente, e ainda Dio Brando cogitou por suas mãos nas intimidades da pobrezinha... Sem mencionar que ela "engravidou" de um cadáver!

Menina azarada essa Lucy.



O detector de homens
(City Hunter)

Spike Spiegel é fodão, e isso qualquer um sabe. Mas antes dele existiram dois caras igualmente fodas, Arsene Lupin III e Ryo Saeba. E o herói da série City Hunter é sem dúvidas o mais sacana desta trindade máscula dos mangás.
Em certo capítulo do mangá que foi essencialmente bizarro, Ryo Saeba foi contratado para uma missão especial junto com sua parceira Saeko, no reino fictício de Ruxia, para deter o governante impostor e corrupto (e tarado) Eran.
Em seu palácio, Eran decretou como mais importante de suas leis que apenas mulheres poderiam entrar, ele inclusive tinha o seu próprio harém.
O motivo não era apenas o fato de Eran ser safadão, mas também era devido a sua terrível enfermidade. Ele tem alergia a homens. E não é uma alergia qualquer, o simples fato de se aproximar de um outro homem o faz ter uma bizarra crise de urticária.


Para se infiltrar no palácio, Ryo se disfarça mais uma vez como um traveco uma mulher. Afinal valeria o sacrifício, já que Saeko lhe prometera uma nhanhada no caso da missão dar certo
Mas nosso herói não contava com a vistoria feita pela mulher-macho chefe de segurança do palácio.


Em tudo a chefe de segurança era bem brutal. Ela agarrou Ryo à força, o trancou num quarto e, imobilizando-o em uma cama, começou a despi-lo para confirmar se ele era realmente uma mulher.
Como acham que nosso herói escapou desta enrascada?
Ele mesmo esclarece para Saeko na cena que se seguiu:


Enfim o seu disfarce só foi descoberto porque Ryo entrou no quarto de Eran justo quando o impostor estava num momento, digamos, íntimo com Saeko.
A visão dos peitos descobertos de sua parceira fez Ryo ter uma ereção gigante, revelando o seu disfarce-fajuto, e um confronto com as guardas do palácio foi inevitável.
Como recompensa por seu "ato heroico", Ryo poderia ter uma noite com TODAS as mulheres do harém, mas ele também não se esqueceu da nhanhada prometida por sua parceira.


Acontece que Ryo foi trollado por Saeko que foi embora do país, deixando-o preso em Ruxia.
Digamos que Ryo foi mantido prisioneiro em um quarto ocupado por centenas de ninfomaníacas contra a sua vontade.

Mas ele gostou...


E, depois de meses, Ryo retornou ao Japão, acabado e desnutrido de tanto caminhar e trepar, e mesmo assim, louco para ter aquela nhanhada que Saeko ainda ficara lhe devendo! E Ryo tratou de cobrar isso quando finalmente encontrou Saeko!

Cara, isso foi muito foda!
Entendeu? Foda!



Uma visita ao reino Kama Bakka
(One Piece)

Ah, One Piece.
A obra da mente criativa e insana de Eichihiro Oda tem grandiosos momentos.
O mangá anarquista de Oda teve muitos acontecimentos bizarros e loucos, mas o ápice da esquisitice foi alcançado no início do arco de Impel Down, quando descobrimos que no mundo de One Piece existe um reino localizado na exótica ilha de Momorio chamado Kama Bakka (que significa "Cheio de travestis").
O inferno Kama Bakka é um tipo de mundo bizarro habitado pelos okamas mais loucos, feiosos e pervertidos da história.
Muitos leitores se perguntaram como seria possível a existência de um reino/país gay, já que as taxas de natalidade deveriam ser praticamente inexistentes. Minha teoria é que a ilha Momorio deve ser um tipo que colônia/santuário para acolher todos aqueles excluídos da sociedade devido a sua orientação sexual e seu estilo extravagante e escandaloso de levar a vida, como foi o caso de um rei, cujo nome não foi revelado, que apelou ao governante de Kama Bakka para que o transformar-se em uma mulher. Pois é...


Quem comanda todo o reino de Kama Bakka é o governante, okama e membro do Exército Revolucionário, Emporio Ivankov. Ele possui o poder de uma Akuma no Mi (fruta do diabo) que permiti ao seu usuário produzir e injetar qualquer tipo de hormônio.
Digamos que Ivankov é um doutor na cirurgia de mudança de sexo! Homens que querem ser mulheres ou mulheres que desejam ser homens o procuram constantemente.
O país que governa no início era habitado exclusivamente por travestis, mas depois que retornou da prisão, Ivankov levou consigo para Kama Bakka os New Kamas, transexuais que ele criou quando esteve encarcerado em Impel Down.


Ivankov aliás prega um tipo de "nazismo gay", considerando os okamas um tipo de raça superior.
E coitado de quem, que por alguma infelicidade, faça uma visita a este "pesadelo homofóbico". Porque os okamas farão uma lavagem cerebral no infeliz para lhe causar um tipo de inversão sexual! Ô loco! 


E esse foi o caso de Sanji, o cara mais pervertido, mulherengo, macho e forte (sem poderes, sem armas, o cara luta só com os pés) de One Piece. O que prova que no mangá de Oda tudo é possível!
Frank Miller não sabia o que estava dizendo quando apelidou a batalha entre o Batman e o Coringa no Túnel do Amor em The Dark Knight Returns de "pesadelo homofóbico".
Sanji teve o azar de ser derrotado pelo Shichibukai Bartholomew Kuma e ainda foi teletransportado pelos poderes da Akuma no Mi dele para o inferno Kama Bakka.


O cozinheiro mulherengo da tripulação do Chapéu de Palha se transformou em um travesti, mas a notícia de que seu capitão estava enfrentando problemas, o fez na mesma hora voltar a ser macho. Então talvez a lavagem cerebral anti-hétero seja mais um tipo de feitiço ou hipnose.


Ivankov é um cara legal. Mas ele não gostou nem um pouco de ter alguém como Sanji, tão certo de sua heterossexualidade e incapaz de tornar o seu coração tão puro quanto o de uma donzela, arruinando a reputação do seu reino!
Sanji voltou a si deixando bem claro que nasceu para amar todas as mulheres e não para ser um amigo delas. E depois desta experiência traumatizante, tornou-se ainda mais mulherengo e pervertido do que nunca. Vide a sua visita ao país das sereias assanhadas. Épico!


Estes acontecimentos bizarros nos dias de hoje dividiriam opiniões. Haveria os leitores que odiariam a forma ofensiva e estereotipada como Oda retratou os travestis e transexuais, e haveria ainda aqueles que repudiariam a piada feita com Sanji demonstrando feminilidade, usando vestido e maquiagem, e por isso seriam taxados de homofóbicos e intolerantes.

Eichihiro Oda apenas fez o que sabe fazer de melhor: COMÉDIA!
Certamente há uma pequena crítica social por trás de tudo isto. Como já dito, histórias em quadrinhos não devem ser levadas tão à sério.




Luta-livre ou Vale-tudo?
(Kinnikuman Nisei)

Eichihiro Oda teve muitas inspirações para compor a sua obra, e entre elas está um clássico mangá battle shonen de Yudetamago (pseudônimo da dupla Yoshinori Nakai e Takashi Shimada), chamado Kinnikuman. De fato, os personagens de One Piece tem muito das bizarrices divertidas de Kinnikuman.
Esta franquia é uma das mais amadas da história do Japão, e também é uma de minhas preferidas. Mesmo os não-leitores de mangá, mas fanáticos por luta-livre, podem se interessar por este tipo de leitura. Hulk Hoogan é fã de Kinnikuman, e de fato o personagem Neptuneman foi baseado nele.
Kinnikuman é repleto de momentos bizarros e únicos, em meio a combates ultra-brutais, principalmente em sua sequencia Kinnikuman Nisei (o nosso "Músculo Total").


Por outro lado, em Nisei o clima de violência foi de certa forma atenuado. Em Kinnikuman clássico, as decapitações e desmembramentos eram muito mais presentes.
Já no início da história, Kinniku Mantaro (o nosso "Kid Músculo") enfrenta Maxman, neto do lutador Sneagator que enfrentara o seu pai, "O Rei Músculo", na série clássica. E ao que parece a esquisitice é algo que vem de família, porque Maxman tem o incrível poder de se transformar em um tênis turbinado. Se já acha isso bizarro, saiba que o avô dele era um pé de T-Rex!


Kinnikuman clássico já era um campeão de bizarrices e situações nonsenses. Mas Kinnikuman Nisei é superior neste departamento, além de ter algumas cenas que certamente fariam alguns pais chiarem bastante.


Como derrotar um homem-tênis turbinado?
Aliás, Turbinado é o nome que Maxman ganhou na nossa dublagem.
Depois de muito apanhar, Mantaro tem a brilhante ideia de usar a maior fraqueza de todos os calçados...
As cenas a seguir são fortes...


Esta cena foi anemizada na versão animê. De acordo com as leis de censura no Japão, fezes devem sempre ter a cor rosa nos desenhos animados (lembrem-se de Digimon e Dr. Slump).


A versão 4Kids inventou que aquilo não era "bosta", mas uma criatura do planeta Kinniku com o simpático nome de "João Fedorento" que estava convenientemente escondida dentro das calças do Mantaro, segundo esclarecido pelo lutador Terry Kenyon.

O que dizer? 4Kids, não é.



Kamatari revela o seu segredo
(Rurouni Kenshin)

O arco de Kyoto é o preferido da maioria dos fãs do mangá Rurouni Kenshin.
Makoto Shishio é um dos maiores vilões de todos os tempos, e os membros do grupo criminoso ao qual ele lidera, a Juppongatana, todos esbanjam muito carisma. O mais intrigante destes guerreiros é Honjo Kamatari, conhecido como "Foice Gigante".


Kamatari lutava por Shishio por estar perdidamente apaixonada por ele, e tinha uma grande rivalidade com a incrivelmente sensual Komagata Yumi, uma ex-prostituta que se uniu ao vilão para enfrentar o governo Meiji que instituíra leis que prejudicaram muito a situação das mulheres japonesas. Também nutria uma inimizade com Seta Soujiro por este ser o homem mais forte e confiável de Makoto Shishio.
Acontece que Kamatari é um travesti (esta postagem está repleta deles), e Shishio, preferindo a companhia de Yumi, ensinou que a frase "se for bonita não importa que seja travesti" é uma das maiores mentiras da história.
O momento bizarro envolvendo o personagem acontece na cena em que Kamatari revela o seu grande segredo para Makimachi Misao, durante a luta em Kyoto.
Sem um pingo de receio, Kamatari, que não gostou de ser confundido com uma mulher, levanta a saia e mostra o tem debaixo do vestido para uma MENOR DE IDADE!


Misao entra em estado de choque devido ao tamanho da tromba do Kamatari, mas ela garante que não é a primeira vez que viu um. Quando pequena viu o do seu avô durante o banho, e só ficou tão impressionada porque o do Kamatari era maior do que o do velho. 
Preciso dizer que essa cena foi censurada para a versão animê?
Em entrevista, o mangaká Nobuhiro Watsuki contou que sua ideia inicial era fazer de Kamatari uma "bichona" musculosa, peluda, com um bigodão e fumando um charuto. Ou seja, Kamatari seria mais parecido com...


... este cara!

Mas logo Watsuki mudou de ideia. Se você prestar bastante atenção, verá que Kamatari parece muito com a personagem Rei Ayanami, de Neo Genesis Evangelion.
Isso acontece porque na época em que o mangá de Rurouni Kenshin era produzido, o animê/mangá de maior sucesso era Neo Genesis Evangelion, e Rei foi uma das inspirações para o desenho de Kamatari.


Watsuki curtiu fazer com que Kamatari parecesse uma menina bonita, e de fato ele tornou-se um dos personagens mais populares da sua franquia. 
Assim o autor chegou a conclusão de que nem sempre criar bizarrices era o melhor caminho para conquistar o público.



"Hisoka, ande na frente!"
(Hunter X Hunter)

Uma cena dessas não deveria aparecer em um desenho...
Hunter X Hunter é um dos melhores, se não o melhor, mangá do estilo battle shonen já feito, e Yoshihiro Togashi merece todo o nosso reconhecimento.
O personagem mais famoso e querido desta franquia, sem sombra de dúvidas é o Hisoka. Ele tem um estilo único dentro do universo mangá, parece uma mistura de Coringa do Batman com Iori Yagami do KOF, e curiosa é a sua habilidade de luta.
Todos imaginávamos que Togashi daria uma bola de fogo como poder para Hisoka, devido seu estilo e tendências homicidas. Mas em vez disso, Hisoka luta transformando a sua aura em um tipo de "chiclete", e ele preferia usar o seu cérebro para criar as mais incríveis estratégias de luta. Sem falar que nunca o vimos perder uma luta sequer.


Hisoka protagoniza as cenas mais bizarras do mangá, por causa de suas constantes "inversões sexuais". Ele é obcecado pelo sangue e pelas lutas, mas sua obsessão parece estar muito além da simples emoção pela batalha.
Se você, sendo mulher ou homem, tem um grande poder oculto e um surpreendente potencial, Hisoka vai dar em cima de você. E ele já deixou bem claro que "frutas maduras" não fazem o seu tipo.
A panssexualidade do personagem é latente. Considerando a maneira como ele trata Gon, muitos apontam Hisoka como um depravado.


A luta que Gon e Hisoka travaram no arco Heavens Arena foi épica, mas também foi responsável por uma das cenas mais bizarras e hilárias do mangá. Quando começou a apanhar, Hisoka dava gemidos como se estivesse tendo orgasmos, e até pedia por mais porradas.


Mas o pior aconteceu no arco Greed Island, quando Hisoka tornou-se "aliado" de Gon e Killua por um tempo.
Como se já não bastasse o horror que foi a cena em que Hisoka os recebeu todo peladão em um riacho, mais tarde quando caminhavam juntos na floresta, ele demonstrou como realmente se interessa pelo potencial dos garotos.



Isso foi MUITO bizarro!
Tudo bem que Hisoka é forte, inteligente e muito competente em tudo o que sabe fazer (principalmente assassinato), mas é  muita coragem aceitar a ajuda de um psicopata que literalmente fica te comendo com olhos quando você não está vendo. 
Hisoka nos faz morrer de rir de algo que deveria ser doença e causar medo. 
Ainda não é muito compreensivo porque isso acontece com ele, mas podemos dizer que Hisoka persegue Gon e Killua durante toda a história do mangá de modo similar ao que o Bum Defora perseguia a Vaca e o Frango (quando menos você espera, ele aparece).
E todo mundo sabe que a fama do Bum Defora não é das melhores.

É um pouco estranho esse tipo de coisa tornar-se piada em certos mangás. Como é o caso de Excel Saga (que não entrou nesta postagem, simplesmente por ser uma obra que tem a real pretensão de ser escrota), com suas piadas envolvendo o professor Gojo Shioji e o seu exótico gosto por garotinhas.
É como um convite para o bullying contra um personagem fictício que caso fosse real seria nada além do que um criminoso e doente.




Seiya cara de pau
(Saint Seiya)

Muitos podem argumentar que este não é um momento propriamente bizarro. Mas já esclareço.
Durante a saga de Hades em Cavaleiros do Zodíaco, há um acontecimento estranho quando Seiya e Shun chegam à Morada do Juízo, o equivalente ao Purgatório do mundo dos mortos.
A dupla é recebida pelo espectro Markino de Esqueleto, um tipo de soldado raso no exército de Hades, ou seja, um idiota qualquer.
Costumam criticar o poder dos Generais Marinas de Poseidon, mas convenhamos que o deus dos mares tinha apenas sete guerreiros, e estes era dotados de poderes consideráveis, estando todos no nível dos cavaleiros de ouro de Athena. E Hades por outro lado tinha 108 guerreiros, e o Sorento de Sirene certamente acabaria com metade deles tocando aquela sua flautinha.
Voltando a Markino, ele apresenta aquele "Purgatório" a Seiya e Shun e afirma ser necessário fazer silêncio absoluto.
 

Por isso Seiya começa a sacaneá-lo, falando alto, simulando espirros e bancando o surdo. Markino perde a paciência e grita com ele, se esquecendo também de manter o silêncio. 
Na sequencia Seiya peida (!) na Morada do Juízo e ainda pergunta na maior cara de pau se foi o Shun quem peidou, deixando o espectro fulo de raiva.


O bizarro deste momento é que nunca havia acontecido piadas do gênero até então na história do mangá de Saint Seiya. O momento não foi só hilário, mas também bizarro, e fez a todos se perguntarem qual foi a erva que Masami Kurumada fumou antes de escrever esta cena. Provavelmente a mesma que fumou quando criou um certo Death Toll de Câncer?


Ainda mais hilário foi o guardião da Morada do Juízo, Lune de Balrog, aparecer do nada e por a culpa do peido em Markino, que ficou indignado com a injusta acusação.
A versão animê, como era de se esperar, censurou o infame momento. De fato, o Seiya do mangá é muito mais marrento e engraçado do que o Seiya do animê.


Por isso a cena na versão animê, mesmo apenas com o espirro e os gritos, ficou ainda mais estranha, dando a impressão de que Seiya simplesmente saiu do personagem.
Lune de Balrog tem essa cara de bom moço, mas é tão sacana quanto o Seiya. A diferença é que mexer com ele pode terminar em tragédia, como foi o caso de Markino, fatiado vivo pelo chicote do guardião da Morada do Juízo por um grito e um peido que não foram dele. Loucura total!




O problema da Kotomi-chan
(DNA²)

Sim, isto é o que parece. E sim, tal como o seu predecessor, também está relacionado com os temíveis gases intestinais.
Caso imagine que seus olhos estão tentando lhe pregar uma peça, na imagem acima é possível ver a mocinha do mangá em questão em pânico, contraindo desesperadamente o seu quadril para impedir um inoportuno escapamento de gás (repare a onomatopeia), enquanto a sua rival invejosa torce para que suas tentativas fracassem e sua apresentação de ginástica transforme-se em pura zoeira.
DNA² é uma obra extremamente nostálgica, e nos faz recordar de como eram bem feitos os mangás de antigamente, seja em traço, seja em roteiro. É a realidade, garanto que não é babaquice de um fã cego e nostálgico.
Este mangá é uma das mais loucas histórias já concebidas, graças ao talentoso e pervertido assumido mangaká Masakasu Katsura, mestre da comédia romântica pornográfica. Tudo no bom sentido!


DNA² tem um enredo bem insano. Karin Aoi é uma viajante do tempo que volta ao passado para salvar a Terra do desastre da superpopulação causada por Momonari Junta que viria a transformar-se no Mega-playboy.
Resumindo, o Mega-playboy é um cara tão irresistível e poderoso (ele parece um Super Saiyajin) que engravidou centenas de mulheres no futuro, e os seus filhos que nasceram desta foda, herdando todos os seus poderes, engravidaram outras centenas de mulheres. 
Explicado o caos do crescimento populacional?
Acontece que Junta é um perdedor de marca maior, um macho-zeta, que, sempre que vê qualquer mulher atraente em uma situação insinuante, vomita (!). Mas Karin comete o erro de atirar em Junta uma bala especial que acelerou a sua transformação no Mega-playboy...


Takanashi Kotomi é uma garota ginasta muito linda, tímida, e toda perfeitinha e fofa. Ela entretanto tem um problema similar ao de Junta, mas por uma outra ponta.
Vejam o drama da pobre menina: Quando em meio a situações constrangedoras e insinuantes, Kotomi perde o controle e... peida. E isso acontece MUITAS vezes na história. 
No animê deram uma anemizada, mas no mangá há muito mais cenas.
Não é preciso dizer que Junta e Kotomi começam a namorar para se ajudarem a superar os seus problemas.


Os momentos em que Kotomi tenta lidar com os seus gases são de certa forma épicos. A menina é muito adorável, mesmo quando ela menciona "dia do pagamento em inglês". 
Se por um lado existem aqueles que não veem graça nenhuma em um peido, DNA² parece explorar o momento com um tipo de obsessão. 
Você fica em dúvida se acha graça, se sente pena da Kotomi, ou se fica preocupado com o estranho fascínio que o mangá tem pelo tipo de piada.


Tipo o momento mais bizarro deste mangá em que Kotomi quase é estuprada por dois arruaceiros, mas é salva por uma crise que a faz soltar seus gases na cara dos molestadores até que eles desistem de cometar o crime. 
E Junta se vinga pela menina "currando" os delinquentes, fazendo eles literalmente tomarem no c* com os seus super poderes psíquicos de Mega-Playboy.


Caso Junta e Kotomi tivessem ficado mesmo juntos no final, poderiam entrar para a história como o casal mais estranho de todos os mangás.
Tudo em DNA² é jogado para o leitor sem muita explicação, você precisa engolir ou ignorar as viagens do roteiro e a falta de explicações, porque o foco da história é o romance e a comédia descompromissada.


Seja como for, os momentos mais peculiares de DNA² acontecem quando Kotomi e a sua bundinha LINDA entram em ação.



Forever, o orangotango
(Jojo's Bizarre Adventure)

Seria justo se esta lista fosse totalmente ocupada por todos os momentos estranhos que acontecem neste mangá, mas também seria monótono demais...
O cúmulo da esquisitice de Jojo's Bizarre Adventure ocorre já em seu terceiro e mais famoso arco, Stardust Crusaders, quando Jotaro Kujo enfrenta o mais bizarro e perturbador aliado de Dio Brando, um orangotango chamado Forever.
Nada é esclarecido sobre a origem do personagem. Nós simplesmente precisamos aceitar que há um macaco super-inteligente, maníaco e portador de um Stand entre os aliados de Dio. Por que ele trabalha para o vampiro também é um mistério. Forever é o primeiro de muitos animais que são usuários de Stands, depois dele tivemos cães, pássaros, etc.
O momento esquecível decorre quando o macaco com poderes sobre o metal tenta violentar Anne, a amiguinha apaixonada de Jotaro Kujo.


Araki Hirohiko sempre gostou de incluir referencias ao cinema de horror clássico em seus trabalhos. Em Jojo's Bizarre Adventure há muitas destas referencias. É possível encontrar cenas que homenageiam filmes como O Iluminado, Christine: O carro assassinoA Hora do Pesadelo, só para citar alguns exemplos.  
A cena em questão é uma referencia a um filme de terror britânico de 1986, chamado Link.
O personagem-título é um orangotango malicioso e também super-inteligente que se revolta contra os seus mestres. E durante o filme o macaco intenta tornar-se o próprio mestre de uma jovem mulher.


Esta é um interessante referencia. Mas aquilo que quase aconteceu nesta cena do mangá pode chocar um pouco.
Como resumir este estranho acontecimento? Um sujeito bombado possuído pelo espírito de um guerreiro asteca surrando um macaco pedófilo?


Kenshiro de Hokuto no Ken e Ryu de Street Fighter não são os únicos a terem fangirls grudentas.
Nossa, Anne até que é bem recheada para uma pirralha da idade dela...

Caras, TÁ TUDO ERRADO NESSA CENA!

BIZARRO, BIZARRO, BIZARRO e PERTURBADOR.


Será que os ativistas dos animais criticariam?


Que tal a lista? Conhecem alguma peculiaridade de animês famosos? Deixem nos comentários.