quinta-feira, 10 de outubro de 2013

COISAS IRADAS DOS ANOS 80


E aí galera, semana das crianças tá aí e as nossas postagens de outubro continuam a todo vapor. Hoje vamos lembrar de um pouco da cultura nerd da década perdida. Por que? Quando penso no dia das crianças, lembro imediatamente dos anos 80 e também dos anos 90, que em breve também falaremos. Então vamos nessa e se preparem para altas doses de pura nostalgia.


                                                               Filmes marcantes


 Quem não se emocionou com os filmes da década de 80? Tínhamos grandes sucessos e alguns são exibidos até hoje pela TV, mesmo que em horários menos acessíveis ou em canais mais obscuros (como a rede Brasil).
Os filmes dos anos 80 eram daquele tipo que não cansávamos de ver, graças as suas intermináveis reprises, seja no "Cinema em casa" do SBT ou na "Sessão da tarde" da rede Globo, esta sempre anunciada pelo seu imortal narrador prometendo "altas confusões num clima de pura azaração".
"História sem fim" (foto acima) foi um dos meus favoritos (sim, eu me identificava com o protagonista), junto da trilogia original "Star Wars" (Darth Vader, o melhor vilão do cinema), "Hylander" (só o original que era fodão, porque as continuações estragaram), "Caratê Kid" (Sr. Miagi eterno), os "Goonies", dentre outros.

                            

Quem não vibrou com a última luta de "Te pego lá fora" nos finais de tarde nas férias ou depois da escola? Atenção, isto não é um filme de luta!


                                                           Desenhos animados fodas


 As animações daquele tempo eram demais, divertiam e ao mesmo tempo ensinavam. E os desenhos de ação eram bem fodas (desculpem, mas vou falar "foda" demais neste texto).
Vocês podem zoar tipinhos como o He-Man o quanto quiserem, mas o cara é um exemplo de honestidade para os nossos padrões atuais.

                              

O último do vídeo foi uma piadinha do cara que editou o vídeo, que fique bem claro.
Pode parecer engraçado, mas sinto falta de desenhos assim que ensinam coisas boas às crianças. Esses conselhos são bem atuais, muito poderia ser evitado se todos ouvissem o He-Man (he, he).
Uma constante nesses desenhos era uma lição de moral no fim de cada história. Hoje as pessoas parecem não se importar mais com isso. Os tempos são outros e não se dá mais espaço para os "certinhos". Dá para entender porque o mundo está do jeito que está. Nem as crianças dão mais moral para o herói clássico. Não me entendam mal, sou muito fã de caras como o Vegeta e o Justiceiro, mas é bom ter alguém que ensine o correto de vez em quando pra essa galera.
Um outro fator legal das animações da época era elas tinham uma casa em comum, o Japão. Os maiores clássicos da época foram produzidos por estúdios japoneses em conjunto com os americanos, como "Thundercats", "Silverhawks", "Galaxy Rangers" (a gatinha da foto que ilustra este tópico), etc. As aberturas em estilo animê eram um show à parte, além das suas tramas inteligentes. Como eu gostaria de ter assistido melhor "Ulysses 31".

                             

Também era demais o "Jayce" (um dos meus favoritos), "Pole position", dentre outros desenhos de ação. E, é claro, o clássico imortal, reprisado a exaustão, "Caverna do dragão".


                                                    Desenhos animados fodas - parte 2


Um detalhe que deve ser deixado bem claro: é injustiça esse papo de velho, de que os desenhos da sua época eram bem melhores do que os atuais (mesmo que seja verdade as vezes). No nosso tempo por exemplo assistíamos a muitos desenhos que eram do tempo dos nossos pais ou até dos nossos avós (como "Tom e Jerry", "Pernalonga" ou os clássicos de Hanna Barbera) e nós amávamos a todas estas animações. Não sejam injustos com os mais jovens, que inclusive ainda podem assistir a alguns dos nossos clássicos em alguma emissora de boa vontade. Existem muitos desenhos atuais que são melhores do que os antigos e vice-versa.
 Além dos desenhos de ação, que já falamos, tinham também aqueles divertidos para as crianças menores como os "Smurfs" (os filmes recentes ficaram muito fodas, Gargamel e Cruel são os melhores), os "Popples" (eu era apaixonado pela Bela quando moleque), "Duck Tales", dentre outras animações feras da Disney, Kissyfur (foto acima), etc.
Você com certeza teve algum preferido.


                                                                            Animês


 Quem pensa que os animês só apareceram na TV nos anos 90, com a febre dos "Cavaleiros do Zodíaco" deveria pesquisar mais. A década de 80 foi até generosa, apesar destas belezas do oriente serem exibidas mais timidamente.
Quem não assistiu Honey Honey não sabe o que perdeu. Uma das séries mais engraçadas que eu já vi. Outro detalhe legal dos animês que vamos é que alguns adaptavam livros, como "O pequeno príncipe" e o "Rei Arthur", e até histórias bíblicas como o "Super Book".
Os animês sempre chamaram a atenção pela sua forma dramática e empolgante de contar uma história. "Nick e Neck", aparentemente infantil, trazia muitas batalhas, sangue e lágrimas em vários capítulos. Aliás os animês da década de 80 exibidos no Brasil realmente levaram às lágrimas crianças e até adultos.
"As aventuras de Kaká" era bem profundo e tratava de temas que muitas vezes não ousamos nem comentar, como a morte. Também tínhamos os animês de ação como o Volt 5 (esse era foda demais), Zillion (o meu favorito) e até Macross, que infelizmente não pude ver.

                             

Se você nunca tinha visto o final de Zillion, ele tá aqui. Deus abençoe o Youtube.


                                            Programas infantis muito bem humorados


 Se tinha uma coisa que a TV, principalmente o SBT e a Manchete, tinha de soberbo era a programação infantil. Não seu se é porque eu cresci, mas acho os programas de hoje tão pobres. Parece até que os produtores atuais não se importam muito com a qualidade daquilo que fazem, afinal seus telespectadores são em sua maioria moleques que ainda estão na pré-escola e não tem lá muito senso crítico ainda.
Nos anos 80 tínhamos programas divertidos, engraçados e até inteligentes. O Bozo foi um exemplo, por mais que possa causar vergonha alheia para alguns admitir. E foi este o programa que exibiu o seriado "Chaves" pela primeira vez no Brasil. O "Clube da Criança" na rede Manchete também está na memória afetiva de muitos de nós com seus desenhos e os seriados japoneses que marcaram a época.


                                                         Michael Jackson e amigos


 Ah, que saudades. Essa turma era demais. Você pode até não gostar do Michael Jackson, seja pela pessoa que ele foi, por suas polêmicas ou simplesmente por acha-lo feio de doer (coitado) nos seus anos decadentes. Mas você tem que admitir, nos anos 80 (foto acima), o cara era rei. E eu era um grande fã dele e de toda essa turma. Pena que a vida de Michael Jackson tomou esse rumo trágico e decadente até que o perdemos em 2009.
Cindy Lauper (gatíssima na época) era para os anos 80 o que, digamos. Katy Perry é para os tempos modermos. Divertidos e saudosos tempos de boa música. Pena que não dá para negociar com o destino que levou Michael Jackson e Whitney Houston e nos deixou com Justin Bieber e Miley Cyrus. Eu sei, piadas cruéis não são meu estilo, mas ficou engraçado, vai.


                                               Filmes de terror realmente assustadores


 É, nessa época maldita (no bom sentido), o cinema nos trazia filmes de terror de verdade, do jeito que não se faz mais. Eram bem mais assustadores do que as tentativas atuais de te fazer sentir medo. Acho que isto pode render uma boa postagem no futuro.
Na foto aí em cima vocês veem o Michael Meyers, eu o conheci bem depois dos anos 80 e até achava que ele tinha se inspirado no Jason, quando na verdade foi o contrário (que ingenuidade). Esse filme, assim como outras maravilhas como "A hora do pesadelo" eram o terror das tardes do SBT e da Band. Sim, os filasdaputa exibiam um troço desses de dia e com crianças, eu incluído, assistindo. Mas foi bom, aprendi a não ter mais medo da TV, afinal é tudo ficção e das boas.
Lembro que a emissora do sr. Abravanel exibiu um filme chamado "O nevoeiro". Caras, não sei como seria revê-lo hoje, mas na época fez meu irmão e eu perdermos o sono. Esse dava medo!


                                                       O auge do cinema brucutu


 A geração atual que está efeminada precisava ter conhecido o cinema dos anos 80. Naquele tempo os filmes eram feitos para homens de verdade. As feras do cinema brucutu estavam no seu auge, foi uma época e tanto. E foi agora bem legal ver todos os nossos lendários heróis juntos no filme "Os mercenários" (que só não ficou perfeito porque não apareceu nos créditos "em memória de Charles Bronson"). Então, jovem, conheça o cinema brucutu, procure em alguma vídeo locadora ou baixe algum "piratão" pela internet. Sua masculinidade certamente agradecerá!


                                                  Séries norte-americanas divertidas


 Vocês já viram "Punk, a levada da breca" (foto acima)? Esse era muito bom. Um caso incrível em que uma sitcom norte americana junta bom humor com uma boa carga gramática e desenvolvimento dos seus personagens, todos muito carismáticos por sinal. O meu favorito da série era o Arthur (Henry, no original) e acho que vou me parecer com ele quando chegar a idade. Eu me lembro que não queria acreditar que aquele velhinho simpático era interpretado pelo mesmo ator que fazia o comandante Lassard, aquele velho safado do filme "Loucademia de polícia". Será que destruí a infância de alguém? Então é melhor nem comentar o que o Firmino do remake da novela Carrossel fazia na década perdida na pele do pistoleiro Papaco.
As sitcons americanas com o tempo foram se tornando motivo de piadas por causa do besteirol que foi tomando conta delas e piadas sem graça que precisavam daquelas risadas de cenário pra gente saber quando rir. Mas nos anos 80 e início dos 90 tínhamos séries bem divertidas e inteligentes. "Alf, o eteimoso" era uma das mais engraçadas e ainda contava com a dublagem marcante do mestre Orlando Drummond. Outra bem comédia também era a "Super Vick" e ainda havia aquelas séries de ação para quem gosta de adrenalina, como o fodão e mentiroso Macgyver.

                                


Aprovado por Patty e Selma Bouvier

Só por curiosidade, a abertura do super clássico anime Fantomas.


                              

Será que o nosso primeiro super herói com cara de vilão nunca pensou em pedir direitos autorais?


                                                                         Tokusatsus


 Chegamos finalmente. Os meus programas favoritos quando criança sem dúvida foram as grandes séries de enlatados japoneses. Eu amo o Japão. E, por ter vivido a época da Manchete, sempre tive o Japão como a minha segunda casa.
Fala sério, cara. Estes eram os heróis de verdade e na época valia a pena ficar na frente da televisão e assistir a tudo o que passava.

                                

                                

                               

                               

                               

                               
                              Esse encerramento do Jaspion tinha a minha música favorita de
                              Tokusatsu. O Akira Kushida é o cara mesmo!

Recordar é viver. E, já que falamos dos Tokusatsus, não podemos nos esquecer de homenagear aquela que possibilitou tudo isso...


                                                                   Rede Manchete

                              

Obrigado por existido e por ter nos possibilitado tantos anos de entretenimento.
Então ficamos por aqui e o mês de Outubro ainda promete.



Até a próxima, minha gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário