sábado, 1 de agosto de 2015

TOP LUTAS CONTRA OS CHEFES MAIS TRAPACEIROS DOS VIDEOGAMES


Personagens apelões são os mais marcantes dos videogames. Muitos dos conhecidos "final bosses" são verdadeiramente inesquecíveis e até hoje permanecem vivos dentro dos nossos piores pesadelos. Todo o gamer certamente guarda na memória aquele chefe que mais lhe deu dores de cabeça. Eu tenho a minha experiência pessoal com games desde os 8 e 16 bits e algumas das minhas recordações não são todas agradáveis, visto os traumas causados por estes grandes vilões no final de cada nível.
Sou um gamer old school, jogar videogames foi uma grande diversão na minha adolescência, e apesar de eu nunca ter tido muita habilidade, me considerava um bom jogador. 
Uma coisa curiosa sobre os games antigos: Você poderia até não conseguir chegar na última fase na sua primeira tentativa, mas você passava as fases até de boa. Agora, quando você tentava mais vezes parecia até que o jogo se adaptava a sua maneira de jogar. Claro, isso é apenas uma sensação causada por uma overdose de horas seguidas na frente da tela do videogame. Com tanto tempo ocioso naquela época isso era comum.
As lutas contra chefes são o último obstáculo antes da promoção. E como era frustrante dar de cara com um puta de um personagem apelão e trapaceiro entre você e a glória de zerar o game.
Boas lutas contra chefes representam alguns dos melhores momentos na história dos jogos. Lutas ruins podem ser decepcionantes e por vezes traumáticas. E este tópico representa o conteúdo desta postagem.
 
                                    

10º Lugar
Yellow Devil - Megaman
 
Fãs da série Megaman sem dúvida devem se lembrar do "Diabo Amarelo", um chefe que representa um grande desafio para as habilidades do jogador. Enfrentá-lo exige muitíssima habilidade em saltos e em prevenção de ataques que devem ser executadas em um timing perfeito.
Os ataques dele são simples. Ele atira em você um projétil simples, e então divide-se em manchas e voa para o lado oposto da tela. Cada "bolha" deve ser evitada, e uma vez que ele é reformado, o ciclo recomeça, dando-lhe tempo para apenas um ou dois tiros.
A dificuldade aqui é tudo sobre o timing perfeito e o salto necessário para evitar partes de seu corpo. Em versões posteriores, como Mega Man 3, isso não é tão difícil, já que apenas a sua camada inferior pode tocar em você na maioria das vezes. Aqui, as duas camadas inferiores podem bater em você, e como as bolhas voam em tal sucessão rápida, muitas vezes ao saltar para evitar uma bolha menor, você vai ser atingido por outra. É um chefe memoravelmente muito complicado em uma série de jogos conhecida por colocar você contra adversários difíceis. Eu, por exemplo, não me lembro de já ter vencido o Yellow Devil, embora conheça muitos jogadores que o venceram mais de uma vez.
 
 
                                  
Claro que o maldito participaria de Super Smash Bros!
 
 
 
 
                                     
 
9º Lugar
Shredder - Tartarugas Ninjas 2
 
Shredder, mais conhecido como Destruidor, junto de praticamente todos os chefes do jogo de arcade da Konami, não tem um padrão distinto em seus ataques, em vez disso o obriga a entrar em confronto direto com ele.
Shredder tem uma tendência desagradável de combate, arremessando-o por todo o cenário e cortando todos os seus ataques. Para o jogador a única opção é tentar e permanecer evasivo e levar, inevitavelmente, seus tiros a distância. E não importa quão rápido ou preciso você seja com seus ataques, Shredder vai encontra-lo e vai lhe causar dor!
Embora se possa argumentar que outros chefes com um estilo similar poderiam ocupar esta posição, a capacidade de multiplicação de Shredder e o seu feixe anti-mutagênico, o fazem ficar bem acima dos outros.
É isso mesmo, Shredder pode, efetivamente, se multiplicar neste jogo! Quando ele usa o seu "Kage Bushin" pode mata-lo em um contra-ataque a qualquer momento!
Então imagine cada detalhe sórdido que mencionei aliado ao fato de que durante o curso da batalha você tem que lutar contra dois Shredder no NES, e até cinco no arcade. Qualquer um dos quais pode facilmente tirar uma das suas vidas com uma explosão de laser azul das suas mãos!
Imagine agora ser criança naquela época e ter que lidar com toda essa merda!
Mas apesar disto, eu honestamente acho que a versão NES é mais difícil. Quando você enfrenta cinco Shredders, você pode faze-lo com a ajuda de três outros jogadores, para não mencionar o Shredder do arcade tem um estilo menos arrogante de ataques. 
 
 
                                      
Cenas épicas: Destruidor é tão miserável que banca as 
suas zoeiras com o cartão de crédito do seu chefe.
RIP James Avery.
 


                
                                     

8º Lugar
Shao Khan - Mortal Kombat 2
 
Como M. Bison, que em breve veremos, Shao Khan foi um dos primeiros chefes de games de luta que realmente representaram um grande tormento em termos de dificuldade. No entanto, ao contrário de muitos chefes que são desafios complexos,  mas ainda são bem equilibrados no seu conjunto, Khan não é um sujeito tão camarada assim.
A sua versão do Mortal Kombat 3 também foi bem marcante, com o seu impiedoso estilo "Charge, Charge, Charge, Charge, Hammer". Dizem que esta foi uma resposta a sua primeira versão que "falava, falava, falava, mas lutar que é bom...". Mas considero esta sua primeira versão bem mais irritante e complicada de dominar.
Ele é forte, pode bloquear como um profissional, e não tem medo de tentá-lo no meio da batalha. O grande problema aqui, porém, são os seus contragolpes que vem a qualquer momento sem nenhuma piedade, negando qualquer chance de reagirmos. A experiência chega a ser frustrante.
Muitas vezes a melhor tática para vencê-lo é acertá-lo mais e mais com um fácil, mas poderoso, ataque especial, como o ataque do torpedo de Raiden, que requer pouca habilidade. Seus insultos proporcionam uma abertura, mas ele pode mais do que frequentemente retaliar rapidamente durante tal abertura.
Sua dificuldade se manteve na maioria de suas aparições seguintes, com a reinicialização de Mortal Kombat em 2011 ostentando uma de suas mais difíceis versões.
 
 

 
 
 
 
                                     
 
7º Lugar
Fernandez - Waku Waku 7
 
Nunca ouviu falar deste jogo? Bem, deixe-me explicar... Waku Waku 7 era uma paródia abrangente de todos os jogos de luta da Era de Ouro dos videogames.
Aliás o jogo parodiava a tudo, desde animês como Dragon Ball, filmes de ação e séries de ficção científica. Com direito a um personagem tanque de guerra pilotado por um "Super Mário" e um cachorro-falante. E ainda há um "Chuck Norris" que luta acompanhado por uma guria gostosinha em sua jornada em busca das esferas do drag... digo, Waku Waku Balls! Só faltou o porquinho...
E um game de luta como este necessitaria de um chefe tão sem noção quanto o resto do seu elenco.  Então os produtores do game, certamente trabalhando sob efeito de drogas alucinógenas, idealizaram um chefe final gigantesco, lutando sobre uma cidade, esmagando pessoas, carros e prédios, rolando indefinidamente feito uma bola de boliche e achatando, perfurando, mastigando, engolindo e até cagando o nosso personagem como se não houvesse amanhã. Logicamente o nosso personagem tem seu tamanho aumentado por magia para que a luta seja possível.
Fernandez é tão absurdo e o sentimento de ódio que você desenvolve por ele é tão intenso, que ele acaba tornando-se um dos chefes mais gratificantes de se vencer em um game de luta. Ele é a personificação do mal!
Fernandez é mais do que apenas um desafio. Ele é um insulto! Suas motivações para destruir permanecem misteriosas (ou sem sentido, faça a sua escolha), mas aqueles olhos arregalados parecem refletir um profundo anseio dentro do coração desta besta. Quais foram os horrores que você testemunhou, Fernandez? Nunca saberemos...
 
 

 
Fernandez e o seu lado devasso.
 

 
 
                                   
 
6º Lugar
Dural - Virtua Fighter 2
 
Dural, durante o primeiro Virtua Fighter, parecia até ter sido concebido como um personagem de luta na clássica Midway. Não tinha muita graça e atrativos como um lutador, parecendo um bonequinho editado de um outro personagem do jogo, mas isso não significava que ele não era um chefe duro de matar.
No entanto, a Sega trabalhou o personagem em Virtua Fighter 2, fizeram-lhe uma verdadeira reforma. E ela agora tem um design intrigante e até um enredo que traz uma carga dramática a personagem, coisa rara nesta série de games.
Repararam que eu troquei os pronomes para falar da personagem? Pois é.
Devido as suas características no primeiro game, nunca passou pela minha cabeça que o sexo da personagem fosse o feminino. Mas a partir da sua segunda versão, isso fica bem claro. Dural é uma mulher. E que mulher!
A luta contra o "T-1000 com peitos" traz uma sensação de que você está no fundo de um oceano. Mas enquanto os seus movimentos parecem extremamente limitados, Dural vai esmurrar você sem dó e com uma velocidade insana.
A luta inteira vai se resumir a isso: sua velocidade limitada e a chefe movendo-se em velocidade máxima (assim como os seus pesadelos!). Pronto, você tem uma vilã inesquecível.
Ah, ela também é mãe do personagem ninja do jogo, o Kagemaru. E o seu nome verdadeiro era Tsukikage. Isso não é demais? Mas espera. Por que ela está nua e agora é feita de metal? Ah, não importa. Horror existencial é mais assustador quando você sabe menos sobre isso.
 
 
                                  
Final secreto de Dural em Virtua Fighter 2.
 
 
 
 
                                    

5º Lugar
M. Bison - Street Fighter 2
 
Esse cara define muito bem a palavra "trapaceiro". Bison tinha uma vantagem aparente sobre os outros personagens em Street Fighter 2, ele parecia quase imbatível. Exigindo muita prática, dedicação e nervos de aço para finalmente limpar o chão com ele.
Um dos mais difíceis chefes de jogos de luta que já conheci. A primeira vez que eu lutei contra ele, fiquei espantado com seu poder e seus movimentos. Derrotá-lo no nível mais difícil foi o maior dos meus desafios.
Street Fighter 2 era um jogo relativamente simples, mesmo em níveis maiores de dificuldade, mas era impossível vencer esta aberração sem suar a camisa. Eu geralmente tinha pouco problema com os outros personagens, descontando os três primeiros chefes, claro. Quero dizer, na versão Turbo, a dificuldade de todos os personagens foi incrivelmente aumentada, e caso o Ryu fosse o último a aparecer antes dos quatro chefes, você poderia largar na hora o joystick, porque você não passava dele, ele te massacrava, te comia na porrada!
O Bison por outro lado é verdadeiramente mal, em suas intenções e em seu estilo de luta (Psycho Crusher estúpido!).
Bison poderia ser um chefe diabolicamente difícil, especialmente para todos nós que ainda éramos iniciantes nos games de luta quando Street Fighter 2 foi lançado. Ele é rápido, forte, tem chutes com um alcance demasiadamente longo e pode move-se pelo ar, pisando em sua cabeça ou aplicando um soco em suas costas, e sem mencionar os seus arremessos. Por isso você precisa ser muito bom para vencê-lo, muitas vezes contando também com a sorte para faze-lo.
Enfim, Bison é o inimigo definitivo. A Capcom o projetou para ser a máquina de matar suprema com movimentos especiais imparáveis que outros personagens só poderiam sonhar em ter.
 
 
 
 
 
 
 
                                       

4º Lugar
Gill - Street Fighter 3
 
Pode parecer estranho M. Bison não estar em primeiro depois de tudo o que falei dele. Isto acontece porque a partir desta posição começam os chefes que eu fatalmente nunca venci sem apelar para macetes ou trapaças.
Deixe-me apenas começar dizendo: Gill é um cuzãofiladaputaviadocapetaduinferno!!!
Deixando de lado a antipatia resultante de toda a dor e sofrimento que esse monstro me causou, devo admitir que Gill também é um dos chefes melhores projetados na história dos jogos de luta.
As vantagens naturais que Gill possui sobre os demais personagens do jogo são extensas: Seus ataques geram uma quantidade absurda de dano; a maioria de seus golpes especiais movimentam-se pela tela a partir de ângulos problemáticos; seus projéteis podem atingir mais de uma vez, garantindo que ele sempre vá ganhar qualquer troca de magias e sua durabilidade e velocidade estão ambas bem acima da média. A IA de Gill geralmente se comporta com uma precisão impressionante, fazendo dele um grande desafio na maior parte do tempo.
Um de seus movimentos especiais, o Meteor Strike, é relativamente inofensivo, mas os outros dois são absolutamente devastadores. O primeiro é Seraphic Wing que cobre a tela inteira sem dar escapatória. E o segundo é o Ressurrection, que é basicamente uma habilidade de ressurreição!
Imagine este cenário: Você acabou de passar a última hora enfrentando Gill e finalmente, depois de inúmeras tentativas, você conseguiu obter a vantagem e está a apenas alguns preciosos hits da vitória!A tensão é palpável. Seus olhos contraem involuntariamente. Com habilidade você atinge um Shoryuken no queixo do maldito e larga o joystick, erguendo os braços rumo a vitória. Gill tomba em câmera lenta. O grito de "campeão" entala na sua garganta quando de repente Gill começa a levitar, e imediatamente a sua barra de life começa a encher-se rapidamente!
Você rapidamente dispara um Hadouken, só para ver como ele é inofensivamente repelido pelo poderoso vácuo gerado pelo campo de Ressurreição.
Exausto com o esforço histórico que você fez para chegar até aqui, em última análise, você perde na terceira rodada como acontece em todas as ocasiões anteriores.
Gill é bem inteligente, mesmo quando ele é estúpido.
 
 

A cena que mais frequentemente você verá!




Este não é um game para fracos... 
 
 
 
 
                                    

3º Lugar
"Iron" Mike Tyson - Mike Tyson's Punch-Out!!
 
A maioria dos games são todos sobre reflexos e timing, mas Mike Tyson Punch-Out!! no NES é possivelmente o melhor exemplo disso. Apesar de ser um jogo de boxe bastante simples, a luta final contra o próprio Tyson é notoriamente difícil.
Enfrentar este chefe requer um timing absolutamente perfeito, os reflexos de uma cascavel e comprometer-se em ter todos os movimentos e combos de Mike na memória, para que você saiba o momento certo para atacar, aproveitando-se principalmente dos seus golpes especiais mais potentes. Mas claro que se fosse assim tão simples, Mike Tyson não aparecia nesta lista.
A mecânica do game é extraordinariamente simples no papel, mas na prática a sua complexidade não pode ser negada.
Muito parecido com o boxe real, em cada luta no jogo a estratégia básica, sem falhar, é de se esquivar ou bloquear golpes de seu oponente e contra-atacar quando possível. Cada luta no jogo dura um máximo de 3 rounds, embora mais frequentemente as lutas não terminam com um KO devido à regra dos 3 knockdown.
Todos os lutadores no jogo têm um padrão complexo para as suas ações, embora muitos deles possam expandir seu repertório de movimentos ao avançar para os segundo e terceiro rounds da luta.
Mike Tyson tem todas as complexidades de um chefe ridiculamente complicado de ser vencido. Seu poder é irreal. Seu timing é enganoso e incerto.
Em suas próprias palavras:
 

                                   

 
 
 
 
                                 

2º Lugar
Geese Howard - Fatal Fury
 
Geese Howard era, e sempre permanecerá, um dos chefes mais difíceis em todos jogos de luta.
Ah sim, e ele é muito possivelmente um dos desafios mais complicados dos videogames de todos os tempos.
E isso é dizer muito, considerando o quão longe jogos de luta têm chegado desde 1991.
Possuidor de um repertório limitado, mas totalmente devastador de movimentos, Geese era difícil de vencer por todas as razões que você esperaria de um chefe SNK.
Ele é melhor do que você em todos os sentidos, especialmente na sua capacidade para causar danos absurdos com alguns poucos hits.  Apesar disso, eu hesitaria em chamar Geese de trapaceiro, apenas excessivamente difícil e um pouco frustrante.
Muito parecido com Sagat em Street Fighter original, Geese era um chefe de jogo de luta cuja estratégia consistia em fireballs que poderiam se transformar em armadilhas brutais e implacáveis.
Talvez o pior de tudo em Geese, porém, seja o fato de que ele era capaz de cancelar a maioria de seus ataques no combate corpo a corpo.
E eu também não acho que precise falar que ele muitas vezes empregava esta técnica com um timing pontual, e na maioria das vezes vai usar isto para arruinar as suas manifestações ofensivas no mais inoportuno de momentos.
 
 

 
FDP!
 
 
 
 
                                    

1º Lugar
Rugal Bernstein - The King of the Fighters 94
 
O primeiro lugar não poderia ficar com outro se não ele. O maior vilão de toda a franquia KOF, o mais pestilento e lazarento de todos os chefes de jogos de luta, o chefe que você certamente mais xingou em toda a sua vida.
Rugal inaugurou a chamada "Síndrome chefe KOF". E ele é o responsável por toda a nossa dor, traumas e possíveis danos cerebrais.
Basicamente, ele parte para um confronto direto e simplesmente ganha a luta. Simples assim.
Seus combos parecem intermináveis, são agressivos e tiram uma quantidade absurda de energia. E seus golpes especiais são um absurdo de poderosos.
"Genocide Cutter". Nós aprendemos a odiar esta porra de movimento. A perna de Rugal parece cobrir a tela inteira. Você pode estar a quilômetros de distância, mas vai ser atingido e vai perder metade da sua energia, e a outra metade você perde com o próximo peteleco. 
Rugal deve estar presente nas listas da maioria dos gamers que já tiveram o desprazer de enfrenta-lo.
Síndrome chefe KOF é uma coisa real, e por isso está no topo dessa lista. Eu poderia colocar qualquer outro destes chefes aqui como Goenitz ou o maldito Magaki. Este último, após ser criado, seus idealizadores provavelmente disseram: "Só quero ver alguém vencer este aqui". Mas Rugal 94 é o pior e o mais marcante para mim. 
Os chefes da série KOF foram concebidos para enfrentar 3 ou mais lutadores e isso deve ser levado em consideração.         
 
 

Rugal fez história. Os chefes que surgiram após 1994 seguiram emulando o seu estilo,
design, golpes devastadores, bem como desperation moves que  pegam a tela inteira.
Mas caso Rugal conhecesse o seu suposto filho, certamente morreria de desgosto. 

 
                     

                                  

O CHEFE MAIS APELÃO DE TODOS OS TEMPOS
Shin Akuma - Super Street Fighter 2 Turbo
 
Não há muito o que se falar deste aqui. Ele é de fato um matador!
Akuma já é durão em sua forma normal (o típico personagem que não deveria ter sido tão facilmente colocado a disposição dos jogadores), mas quando ele mostra o seu verdadeiro poder, cuidado! Shin Akuma se teletransporta constantemente, seus movimentos cortam praticamente tudo o que você tem, e o seu super movimento é praticamente uma morte instantânea.
Ele é super rápido e sua IA é tão incrível que parece que ele sabe seus movimentos antes que você mesmo pudesse usá-los. Shin Akuma é o chefe secreto e ele tem requisitos difíceis para que possamos enfrenta-lo no final. Mas caso você possa vê-lo após terminar sua partida contra M. Bison na fase final, prepare-se para a luta da sua vida!
 
 

K.O.

YOU LOSE!

GAME OVER!
 
 
Isto termina a minha lista, consciente é claro de que este é um tema muito subjetivo.
Chefes difíceis para uma pessoa podem ser uma tarefa simples para outra pessoa, então caso tenha outros exemplos de chefes que lhes causaram pesadelos, pode deixar isso nos comentários.

2 comentários:

  1. Cara seu blog é ultra mega interessante, aborda vários assuntos, muito legal mesmo. Já estou seguindo. Mais uma vez um top que concordo, talvez por que eu seja old school kkkkk.
    Para mim Geese é o vilão mais elaborado da SNK, fora que ele é bem mau cumpriu seu papel muito bem, era de ouro da SNK, que falta faz.

    Gosto de mais da cena do OVA do Fatal Fury, ele mostra como ele é cruel.
    "Se você ainda quiser ela é toda sua hahahahahahaha....." depois que ele mata a mulherzinha do Terry.

    https://www.youtube.com/watch?v=gwjkGn-HxBU


    Uma sugestão de matéria para o seu blog, top 10 jogos de luta da CAPCOM e SNK; e top 10 músicas de games (se você gostar é claro).

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelas sugestões!
      Anotado!
      Geese é o maior dos lazarentos!
      O OVA teve seus grandes momentos!

      Excluir